Logo E-Commerce Brasil

O gigante acordou. Como a Temu está redefinindo o mercado de varejo online nos EUA

Por: Pablo Canano

Co-CEO da Driven.cx

Pablo é Co-CEO da Driven.cx, Professor do curso de Inovação e Tendências no E-Commerce da ESPM e do curso de Inovação em Digital Commerce da ComSchool.

O gigante adormecido acordou. E está redefinindo o mercado de varejo online nos EUA. Uma empresa relativamente desconhecida está silenciosamente derrubando um gigante do varejo online nos EUA. Prazer, Temu, a inimiga da Shein!

A Temu, ainda uma incógnita para muitos no Brasil, vem silenciosamente desafiando o domínio da Shein. Em setembro, movimentou o dobro em vendas comparado à sua rival no mercado americano.

O que pode ser o maior pesadelo da Shein pode estar próximo de abrir negócios no Brasil. A Temu, e-commerce do grupo chinês Pinduoduo que vale mais de US$ 100 bilhões na Nasdaq, já vende mais que a Shein nos EUA.

O aplicativo de vendas de roupas a utensílios domésticos a preços ultrabaixos e que foi lançado em setembro de 2022. De acordo com fontes ouvidas pelo Neo Feed, conta com aproximadamente 900 milhões de usuários na China.

Além disso, a Temu se tornou o aplicativo de e-commerce mais baixado dos EUA, à frente da Shein.

Mas o que realmente está por trás desse crescimento explosivo? 

Diferente da Shein, focada em moda sob sua marca, a Temu oferece de tudo, de eletrônicos a utensílios de cozinha, com preços que desafiam a lógica. E tudo isso, com frete grátis nos EUA, sem pedido mínimo.

Parece bom demais para ser verdade, certo? 

Contudo, essa estratégia vem com seu preço. Projetada para operar no vermelho, a Temu enfrenta um prejuízo operacional de US$ 3,65 bilhões, apesar de vendas globais estimadas em US$ 13 bilhões. 

A ambição da Temu de ser o intermediário entre consumidores e fornecedores, oferecendo produtos a preços inacreditáveis, destaca uma nova era de consumo online. Mas a sustentabilidade desse modelo levanta questões.

tatic.ecommercebrasil.com.br/wp-content/uploads/2024/02/66-temubf.jpeg-1536x864.webp 1536w, https://static.ecommercebrasil.com.br/wp-content/uploads/2024/02/66-temubf.jpeg-576x324.webp 576w, https://static.ecommercebrasil.com.br/wp-content/uploads/2024/02/66-temubf.jpeg-270x152.webp 270w, https://static.ecommercebrasil.com.br/wp-content/uploads/2024/02/66-temubf.jpeg-300x170.webp 300w" sizes="(max-width: 1600px) 100vw, 1600px" />

A Temu já foi tema de análise da XP, que destacou que a mais nova “ameaça” estrangeira para o setor de varejo brasileiro é o marketplace de propriedade da Pinduoduo (PDD Holdings) que conecta clientes diretamente a fabricantes chineses, com presença em 18 países, principalmente na Europa, América do Norte e Oceania.

A companhia conta com um volume de vendas brutas (GMV, na sigla em inglês) anualizado já acima de US$ 2,3 bilhões, apesar de ser bastante recente a indicação é de que deva ser lançada no Brasil em 2024.

Com a crescente preocupação sobre a qualidade dos produtos e o impacto ambiental da moda descartável, será que a Temu conseguirá manter seu encanto? Além disso, com a expansão para novos mercados, a Temu enfrenta desafios legais e políticos, aumentando as preocupações sobre segurança de dados e a integridade de sua cadeia de suprimentos. 

A questão não é se a Temu pode sustentar seu crescimento explosivo, mas como ela e a Shein navegarão no futuro incerto do varejo online. A disputa pelo domínio do mercado está apenas começando. 

E você, já experimentou fazer compras com a Temu ou a sua concorrente?