Logo E-Commerce Brasil

Contratações no e-commerce: o que lojistas brasileiros estão buscando em novos colaboradores?

Por: Júlia Rondinelli

Editora-chefe da redação do E-Commerce Brasil

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero e especialização em arte, literatura e filosofia pela PUC-RS. Atua no mercado de <nowrap>e-commerce</nowrap> desde 2018 com produção técnica de conteúdo e fomento à educação profissional do setor. Além do portal, é editora-chefe da revista E-Commerce Brasil.

Pesquisa da Nuvemshop realizada em parceria com o E-Commerce Brasil investigou a geração de empregos para micro, pequenas e médias empresas no ecossistema digital brasileiro. 

pessoa com camisa azul segurando um smartphone

Realizada com empresas majoritariamente de micro e pequeno porte (32% e 35%, respectivamente), a pesquisa mostrou que boa parte dos lojistas vendem seus produtos principalmente por intermédio de marketplaces, ao mesmo tempo em que vendem pelo e-commerce próprio, com 34% das respostas.

Além das micro e pequenas empresas, 28% dos respondentes afirmaram ser uma empresa individual (EI) e 9% de médio porte.

Ainda com relação ao local escolhido para as vendas no ambiente digital, 31% dos empreendedores afirmaram vender pelo e-commerce próprio combinado com a loja física, e 30% vendem apenas pelo e-commerce próprio. 

Uma parcela pequena, porém significativa, afirmou vender exclusivamente pelas redes sociais (4%).

Contratações 2023

Por enquanto, 51% dos lojistas afirmaram não ter contratado novos funcionários em 2023. Uma parcela de 20%, no entanto, ainda não contratou, mas pretende realizar adições ao time nos próximos meses. 

Dentro das respostas positivas, 15% já contrataram 1 pessoa em 2023, 8% de 2 a 5 pessoas e 3% contrataram 6 pessoas ou mais.

Para a escolha de adições no quadro de funcionários, 28% dos respondentes afirmaram que buscam profissionais com o ensino médio completo, enquanto 9% escolhem apenas entre os que têm nível superior completo.

15% afirmaram não se importar com o nível de escolaridade, 19% escolhem tanto entre ensino médio e nível superior e 25% empreendem sozinhos, sem ajuda de funcionários. 

50% das contratações são realizadas no modelo CLT, enquanto 20% preferem profissionais terceirizados e 17% utilizam o modelo de Pessoa Jurídica (PJ). Além disso, 16% ainda optam por integrar estagiários ou jovens aprendizes ao quadro de colaboradores. 

Treinamento

Entre os treinamentos oferecidos para os novos contratados, as respostas que mais se destacam são:

22% atendimento ao cliente;

20% utilização de plataformas e tecnologias;

17% montagem de embalagem e confecção de produtos;

16% mídias sociais e marketing;

6% inspeção de qualidade.

Nesta etapa da pesquisa, as empresas que optaram por responder sobre os treinamentos podiam assinalar até 3 alternativas. 

Por outro lado, dos que não realizam treinamentos, 28% afirmam que não sentem essa necessidade e 31% não o fazem, mas sentem a necessidade de capacitação da equipe para o futuro.