Redação E-Commerce Brasil

Índia pede ao WhatsApp para retirar atualização da política de privacidade

Quinta-feira, 21 de janeiro de 2021   Tempo de leitura: 4 minutos

O ministério de tecnologia da Índia pediu ao WhatsApp para retirar as alterações em sua política de privacidade que a plataforma de mensagens anunciou no início deste mês, dizendo que os novos termos retiram a escolha dos usuários indianos.

A demanda cria uma nova dor de cabeça para o WhatsApp e seu dono nos EUA, o Facebook, que apostaram fortemente no país do sul da Ásia para expandir seus pagamentos e outros negócios.

“As mudanças propostas levantam sérias preocupações sobre as implicações para a escolha e autonomia dos cidadãos indianos”, escreveu o Ministério de Eletrônica e Tecnologia da Informação em um e-mail para o chefe do WhatsApp, Will Cathcart, datado de 18 de janeiro.

“Portanto, você é chamado a retirar as mudanças propostas”, escreveu o ministério na carta vista pela Reuters.

O WhatsApp disse em um comunicado que está trabalhando para resolver a desinformação e continua disponível para responder a quaisquer perguntas. “Queremos reforçar que esta atualização não expande nossa capacidade de compartilhar dados com o Facebook”, disse.

Investimento do Facebook

O Facebook, com sede na Califórnia, investiu US$ 5,7 bilhões no ano passado na unidade digital do conglomerado indiano Reliance, com grande parte desse valor destinado a atrair dezenas de milhões de proprietários de lojas tradicionais para usar pagamentos digitais via WhatsApp.

Com 400 milhões de usuários na Índia, o WhatsApp tem grandes planos para o crescente espaço de pagamentos digitais do país, incluindo a venda de seguro saúde por meio de parceiros.

Essas aspirações podem ser afetadas se os indianos mudarem para mensageiros rivais como Signal e Telegram, cujos downloads aumentaram depois que o WhatsApp disse em 4 de janeiro que poderia compartilhar dados limitados de usuários com o Facebook e suas empresas do grupo.

É uma “grande preocupação” que os usuários indianos não tenham tido a opção de cancelar o compartilhamento de dados com as empresas do Facebook e eles estão tendo menos escolha em comparação com os usuários europeus do aplicativo, disse a carta do ministério de tecnologia.

“Este tratamento diferenciado e discriminatório de usuários indianos e europeus está atraindo sérias críticas e denunciando a falta de respeito pelos direitos e interesses dos cidadãos indianos, que constituem uma parte substancial da base de usuários do WhatsApp”, disse.

Resposta do WhatsApp

O ministério pediu ao WhatsApp para responder a 14 perguntas, incluindo sobre as categorias de dados do usuário que coletou, se ele traçou o perfil dos clientes com base no uso e fluxos de dados internacionais.

A empresa disse na semana passada que atrasaria o lançamento da nova política para maio, após enfrentar críticas de usuários na Índia e em outros lugares aos novos termos.

O WhatsApp lançou uma campanha publicitária na mídia na Índia para acalmar usuários preocupados. A atualização da política de privacidade também resultou em duas petições legais em tribunais indianos.

Leia também: WhatsApp adia atualização de recursos de negócios após polêmica sobre privacidade

Fonte: Reuters

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.