Redação E-Commerce Brasil

3 estratégias indispensáveis para o seu e-commerce sair na frente em 2021

Quinta-feira, 14 de janeiro de 2021   Tempo de leitura: 10 minutos

Ninguém pode negar que 2020 foi um ano atípico. A criatividade foi essencial para lidar com as mudanças repentinas nas estratégias de qualquer e-commerce. Quem conseguiu se adaptar e nadar conforme a maré dos imprevistos, com certeza está um passo à frente. Aliás, agora é justamente hora de olhar para frente e criar uma base sólida para dar os próximos passos com a sua loja online.

Sem segredos, seu e-commerce pode trilhar um caminho interessante se você se atentar a estes 3 conceitos:

  • 1 – CRO;
  • 2 – PWA;
  • 3 – Headless.

Quer saber mais detalhes sobre cada uma dessas estratégias? Então prepare-se para pôr em prática um planejamento de sucesso para o seu e-commerce em 2021.

1 – CRO: três letras que fazem toda a diferença

Medir, analisar, otimizar e testar. Tudo isso deve fazer parte da sua rotina se você almeja manter o faturamento do seu e-commerce em constante crescimento. Conversion Rate Optimization é um método que reúne técnicas direcionadas a melhorar os seus resultados quando o assunto é conversão.

Com o fluxo do CRO em execução, você consegue manter seu investimento atual ao mesmo tempo em que aumenta seu retorno. E não, isso não tem a ver apenas com o aumento do seu tráfego. Aliás, não adianta nada você alcançar um público maior se ele chega ao seu e-commerce completamente desqualificado. Então, se a sua taxa de conversão de vendas não é diretamente proporcional ao seu tráfego, como otimizá-la? A resposta está nas etapas do fluxo de CRO:

  • Pesquisa: descubra e analise quais etapas do funil de vendas precisam de otimização;
  • Hipótese: elabore uma estratégia para resolver problemas que afetam sua conversão;
  • Priorização: defina o que é mais importante dentre as otimizações necessárias;
  • Experimentação: teste as possibilidades para compreender o que realmente funciona no seu e-commerce;
  • Implementação: colete resultados dos testes aplicados e encontre as melhores opções para serem mantidas e implementadas.

A cada repetição desse ciclo, seu e-commerce certamente apresentará melhorias significativas no que mais importa para você: a taxa de conversão de vendas. A Morena Rosa — um dos maiores grupos de moda do Brasil — é um exemplo claro de que, por meio do CRO, é possível alcançar resultados históricos.

Lembre-se que para vivenciar uma rotina de testes e hipóteses, seu e-commerce precisa contar com uma equipe de especialistas em diversas áreas. Para exemplificar, cases como a CBN, Surya Dental e SCC Check só se concretizaram graças ao empenho de times de Web Analytics, Planejamento e Estratégia, UX/UI/Design, Redação, SEO e DEV front-end/back-end — isso citando apenas alguns dos departamentos envolvidos.

2 – PWA: mais agilidade, menos limitações

Desenvolver aplicações com a possibilidade de adicionar progressivamente funcionalidades – sem depender de apps nativos. Em resumo, é disso que estamos falando quando o assunto é Progressive Web Apps.

Quando o framework de uma plataforma não consegue atender às especificidades do seu e-commerce, o PWA é a solução para transpor esses limites. O objetivo principal disso? Tornar a navegação mais rápida, otimizar micro conversões na sua loja virtual ou, em uma palavra: performance.

A agilidade para o time de desenvolvimento vem justamente da arquitetura baseada em microsserviços. Com o PWA, as aplicações construídas são desmembradas em serviços independentes que se comunicam por meio de APIs. Como a arquitetura se dá em camadas, diferindo do tradicional, você não precisa se preocupar: alterações em um único serviço não afetarão o funcionamento de outras features. Para o seu e-commerce, algumas das vantagens são:

  • Navegação mais rápida;
  • Responsividade;
  • Push notifications;
  • Busca inteligente;
  • Otimização para testes AB;
  • Ecossistema de fácil gestão.

Vale também destacar que, graças às possibilidades do PWA, a responsividade do seu e-commerce é elevada ao máximo. Com isso, a experiência do usuário pode ser otimizada em vários dispositivos. Aliás, já que falamos da arquitetura baseada em microsserviços independentes, o assunto nos leva à terceira estratégia que você precisa ficar de olho para 2021.

3 – Headless Commerce: front-end e back-end desacoplados

Há separações que vêm para bem. O conceito de headless commerce tem a ver justamente com isso: a separação das estruturas de front-end e back-end que, nesse caso, passam a ser produzidas, editadas e organizadas de maneira diferente.

Fugindo da arquitetura monolítica tradicional, em que front e back estão interligados, o headless commerce separa a estrutura de front-end — que seria a “cabeça”, tudo aquilo que o usuário do seu e-commerce tem contato direto — da estrutura de back-end, que é a parte que diz respeito à gestão dessas informações e operações. Mas por que isso é uma vantagem? Vamos lá.

Se você tem a intenção de expandir seus “locais” de venda online — afinal, quem não quer ser omnichannel? — deveria estar de olho nos benefícios de ter um e-commerce headless. Não é segredo para ninguém que há inúmeras dificuldades para manter a estrutura de uma loja em diversos meios online. Além de ser complicado, essa é uma tarefa que pode custar caro. Imagine só, gerir meios de pagamento, integração logística, estoque e demais informações em plataformas diferentes, tem tudo para ser um caos. É aí que entra a adaptabilidade do headless commerce.

Em vez de baratear custos com templates engessados do modo tradicional, é melhor que você esteja preparado para priorizar o usuário no seu e-commerce. Com as infinitas possibilidades de personalização de um headless commerce, a experiência de compra deixa de ser limitada e, negativamente, previsível. Além disso, há vários benefícios de pensar nessa estratégia para a sua loja online, para citar alguns:

  • Flexibilidade total para alterar informações nas mais variadas camadas de conteúdo, sem a necessidade de interrupções ou reconfiguração do sistema;
  • A partir de uma mesma plataforma, o conteúdo pode ser entregue a diferentes ambientes;
  • Otimização da estrutura de testes, já que front-end e back-end estão desacoplados, a realização de testes e a implementação de resultados são aperfeiçoadas e agilizadas.

A tendência é que cada vez mais lojistas optem por aderir a esse conceito. Por mais que as transições pareçam difíceis inicialmente, os benefícios do headless a longo prazo representam o futuro do comércio online.

Como está o planejamento do seu e-commerce para 2021? Quer uma ajuda para colocar essas técnicas em prática? O time de especialistas da Nerau CX pode te auxiliar a traçar estratégias para que seu e-commerce alcance os melhores resultados.

Leia também: Walmart vai expandir a entrega de alimentos com refrigerador inteligente.

Deixe seu comentário

1 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.