Acesso rápido

Como montar uma loja virtual passo a passo

por Leonardo Vergani Segunda-feira, 11 de novembro de 2013

montar-loja-virtual-brasil
Nesse artigo, focaremos no lado de negócios da criação de uma loja virtual: quais são os pontos de atenção para que sua empresa seja bem sucedida.

Pontos de atenção na abertura da loja virtual

Os principais pontos de atenção são: plataforma, pagamentos e antifraude, segurança, marketing, suporte, backoffice e frete.

Plataforma

A plataforma é uma das primeiras e mais importantes decisões a serem tomadas por uma pessoa que deseja montar sua loja virtual.

A escolha da plataforma é importante pois ela é a base da sua loja: tudo que você construir estará apoiado nela e, por isso, é essencial escolher uma de qualidade e que seja flexível – podendo ser alterada para suas necessidades e preferências.

As lojas virtuais costumam trocar de plataforma a cada três anos; por isso, tenha em mente que você deve escolher uma que supra suas necessidades agora, mas também te atenda no longo prazo. (Um dos erros mais frequentes é utilizar uma plataforma muito pequena/limitada e ser obrigado a utiliza-la por alguns anos, impedindo que seu negócio cresça na máxima velocidade.)

Existe três tipos de plataformas no mercado: gratuitas, de código fonte aberto e pagas. As gratuitas são muito limitadas e não permitem que você customize sua página. As de código fonte aberto são gratuitas, mas demandam que você tenha conhecimentos específicos da plataforma ou contrate especialistas; além do distribuidor não oferecer suporte. As pagas costumam ter suporte de qualidade e te oferecem a possibilidade de customizar a plataforma, mas cobram uma porcentagem da sua receita.

Recomendo começar a busca pelas plataformas de e-commerce que são mantenedoras do Ecommerce Brasil, além da lista atualizada de plataformas mantida pelo projeto.

Pagamentos

Receber pagamentos é, obviamente, fundamental para manter sua loja virtual operando de forma saudável. Por isso, recomendo que você dê bastante atenção à essa escolha. Existem três maneiras de você receber pagamentos online:

  1. Intermediadores de pagamentos – os intermediadores são a solução mais recomendada para quem está começando uma loja virtual. Os intermediadores são mais simples de utilizar que as outras opções (tanto do ponto de vista técnico quanto de negócios) e ajudam o lojista em duas frentes: assumem o risco de fraude e fazem adiantamento de recebíveis. Os intermediadores costumam cobrar uma taxa fixa por transação mais um variável sobre o valor da venda.
  2. Gateways de pagamento – os gateways oferecem soluções mais robustas de pagamentos e garantem conexões mais estáveis com as redes de adquirência (como Cielo e Redecard). Diferentemente dos intermediadores, cobram apenas uma taxa fixa por transação – o que torna a solução mais barata. Entretanto, o lojista precisará contratar outros serviços, como anti-fraude; e lidará diretamente com a adquirente na negociação por adiantamento de recebíveis e taxas.
  3. Integração direta com a adquirente – Essa é a opção para lojistas mais experientes com equipes dedicadas de desenvolvimento e que entendam de segurança. Assim como com o gateway de pagamento, você tem contato direto com o adquirente e pode negociar taxas livremente. Além disso, você tem controle de toda a experiência do usuário – o que pode ser bom ou ruim.

Se você está começando agora e pretende crescer sua loja virtual com tranquilidade, recomendo que comece por um intermediador de pagamento. Se pretende investir um volume significativo em marketing, pode fazer mais sentido pular para um gateway de pagamentos.

Outros autores do E-Commerce Brasil já postaram diversas dicas de como escolher uma ferramenta de pagamentos e quais funcionalidades analisar antes de tomar a decisão.

Para ajudar ainda mais sua escolha, o E-Commerce Brasil mantém uma lista de empresas que fornecem serviços de pagamentos.

Anti-fraude

Receber pagamentos na Internet exige algumas preocupações adicionais (em comparação com o mundo físico). Uma dessas preocupações é a fraude: o ‘cliente’ compra com um cartão de crédito roubado, você envia o produto e dias depois o pagamento via cartão é desfeito. Resultado: você fica sem o produto e sem o dinheiro.

Diferentemente do mundo físico, em que a rede de adquirência se responsabiliza pelo pagamento das fraudes; nas vendas pela Internet (também chamadas de vendas não-presenciais), quem se responsabiliza pelo pagamento da fraude é o lojista.

Por isso, sempre que você for pensar em como receber pagamentos pela Internet precisará pensar, também, em qual empresa/método de detecção de anti-fraude irá usar.

Como falamos no item anterior, se você utilizar um intermediador de pagamentos, não precisa se preocupar com isso – o intermediador toma conta de tudo para você. Entretanto, ao utilizar um gateway ou integração direta, você vai precisar contratar um serviço de anti-fraude.

Alguns fornecedores de anti-fraude podem ser encontrados na página de Fornecedores de segurança do E-Commerce Brasil.

Segurança

Ao montar sua loja virtual, você deve ser preocupar com segurança por dois motivos: 1) seus potenciais clientes se preocupam com isso; 2) você deve proteger os dados de compra dos seus clientes.

Os potenciais clientes da sua loja virtual se preocupam a segurança das informações de compra deles (como endereço completo, número de cartão de crédito, etc). Por causa disso, você deve demonstrar que se preocupa com a segurança do mesmo, pois isso deixará o usuário mais confortável para comprar. Além disso, caso você aceite transações diretamente na sua página, é obrigado a utilizar ferramentas de proteção de dados na sua loja.

Existem dois tipos de segurança fundamentais em todo e-commerce:

  1. SSL (Secure Socket Layer) – se você possui ferramentas de cadastro ou compra na sua loja virtual, é obrigatório o uso de SSL. O SSL funciona como uma proteção para todos os dados que seus usuários inserem em formulários, assim, você impede que um invasor roube informações de cadastro de seus clientes. (Caso você aceite transações na Internet, as redes de adquirência – a Cielo, por exemplo – exigirão que você utilize um SSL.)
  2. Scan de Aplicação e IP – o Scan de Aplicação e IP busca vulnerabilidades no seu site que permitiriam que uma pessoa mal intencionada consiga acessar seu banco de dados e roubar informações. Dessa forma, o Scan encontra essas falhas e as aponta para sua equipe de desenvolvimento corrigir.

Como de costume, o E-Commerce Brasil mantém uma lista de fornecedores de segurança para e-commerce.

Vale lembrar que tão importante quanto proteger as informações do seu cliente é demonstrar para eles sua preocupação. Por causa disso, selos reconhecidos que indiquem a alta segurança de seu site tendem a ter um impacto positivo na sua loja virtual: muitas vezes a presença desses selos aumenta as taxas de conversão e vendas.

Marketing

Não basta escolher a plataforma, contratar um meio de pagamento e antifraude e ter um site seguro se você não tem visitantes! Por isso, você precisa dedicar uma parte do seu tempo e dinheiro para captação de novos clientes para sua loja virtual.

Listamos as principais fontes de tráfego que você pode utilizar para potencializar seu e-commerce:

  • Conteúdo – criar bom conteúdo é uma das melhores maneiras de atrair visitantes com potencial de comprar para sua loja virtual. É um método barato e que traz bastante resultado no longo prazo. Segundo pesquisa do eBricks, a criação de conteúdo é muito relevante para criar uma boa relação com seus consumidores.
  • Redes sociais – as redes socias são um ótimo (e barato canal) para começar a construir a marca da sua loja virtual. Crie uma conta no Facebook e Twitter e comece a publicar conteúdo relevante para seus clientes. Pode postar seu conteúdo próprio ou de outros sites.
  • Google Adwords – Adwords é uma ferramenta de anúncios do Google. Funciona muito bem para empresas que tem verba de marketing e podem investir nesse canal, pois geram um volume de visitantes grande e no curto prazo – essencial para gerar as primeiras vendas.
  • Aumento de conversão – depois de trazer tráfego para seu site, é hora de ser preocupar em tornar esses visitantes em clientes. Ou seja, o objetivo é aumentar a conversão de visitantes para clientes; essa proporção é chamada de taxa de conversão. Existem diversas ferramentas que te ajudam a aumentar sua taxa de conversão.
  • Email Marketing – o email marketing é o melhor canal de vendas de toda loja virtual. Por isso, você deve se preocupar em manter uma lista de todos seus clientes para poder vender novamente para eles! Existem ferramentas que podem te auxiliar na gestão da lista de emails.

O E-Commerce Brasil mantém uma lista dos fornecedores de marketing (tanto as agências quanto os fornecedores de marketing) atualizada! Os fornecedores são separados em duas categorias: Marketing de Performance e Email Marketing.

Suporte

Depois de trazer as primeiras visitas e vendas, você vai precisar se preocupar com o suporte desses clientes. Tanto o pré-venda quanto o pós-venda. Depois da “Lei do E-commerce” (explicamos em detalhes mais abaixo), todas as empresas que operam nesse mercado precisam oferecer suporte 24/7 para seus clientes.

Se você está começando agora, é provável que você mesmo vá fazer o suporte, diretamente por email e seu telefone. Num segundo momento, ferramentas de gestão de processos de suporte (como o Zendesk) serão úteis para ajudar você a se organizar. Num terceiro momento, em que você já terá uma equipe, ferramentas mais sofisticadas serão bastante importantes para trazer eficiência.

Quando você chegar nesse nível, os fornecedores indicados pelo E-Commerce Brasil serão de bastante utilidade.

Backoffice e ERP

Assim que sua operação começar a ficar mais complexa, você precisará de um sistema que facilite sua operação e automatize alguns processos da sua loja virtual.

Segundo Samuel Gonsales, toda loja virtual – mesmo as mais básicas – possui os seguintes processos:

  1. Receber o pedido de venad que foi gerado na plataforma
  2. Verificar os pagamentos (boletos, cartões, depósitos bancários, etc)
  3. Separar as do pedido e conferir a separação (picking)
  4. Embalar as mercadorias (packing)
  5. Emitir as notas fiscais eletrônicas e etiquetas
  6. Expendir e/ou despachar as mercadorias
  7. Acompanhamento da entrega do pedido (mantendo o cliente informado)

Uma ferramenta de ERP/Backoffice se conecta a sua plataforma de e-commerce e automatiza o controle desse passo-a-passo que mencionamos. Assim que sua operação ficar maior (acima de 10 pedidos por dia), uma ferramenta desse tipo será fundamental para você ganhar tempo.

Como o ERP se conecta a sua plataforma, é importante escolher previamente uma plataforma que permita esse tipo de integração. Caso contrário, você terá problemas de gestão no futuro.

Para conhecer as melhores ferramentas de backoffice e ERP do mercado, leia a lista curada pelo E-Commerce Brasil.

Logística e Frete

A logística da sua loja virtual é muito relevante para o sucesso da mesma, pois uma experiência ruim marca fortemente o cliente e ele não voltará a comprar. Por causa disso, é ideal dedicar tempo de planejamento para escolher a forma de entrega da sua loja.

Existem, de maneira resumida, duas maneiras de realizar a entrega:

  1. Correios – os Correios são o meio mais simples de começar a realizar suas entregas. Há, entretanto, um limite de 30kg por envio e de dimensões; e o risco de ser prejudicado por greves e outras paralisações.
  2. Transportadoras – são mais estáveis que os Correios, pois o risco de greves é muito menor; além disso, não há problemas com limitação de peso e tamanho. Entretanto, essa opção não vale a pena para quem possui uma operação pequena.

Marcio Eugênio, da D Loja Virtual, escreveu um artigo excelente com dicas para escolher a forma de entrega. Recomendo a leitura!

Quando sua operação começar a crescer, faz sentido buscar um operador logístico (em inglês, third-party logistics provider, ou 3PL). O operador logístico toma conta de toda a logística da sua loja virtual (desde gestão de estoques até picking e packing).

Par conhecer as transportadores e os operadores logísticos, basta dar uma lida na lista do E-Commerce Brasil.

Legislação

Depois da promulgação da Nova Lei do E-commerce, nenhum lojista pode descuidar das regras definidas para toda loja virtual.

Recomendo que você leia com bastante atenção as regras para evitar problemas jurídicas no futuro. Para facilitar, enumeramos os principais pontos:

  1. Informar dados da empresa – O lojista é obrigado a informar no rodapé das páginas as seguintes informações da loja vista: CNPJ/CPF, endereço, nome da empresa (ou do vendedor).
  2. Discriminar despesas adicionais, como frete e seguro – É obrigatório que o lojista discrimine todas as despesas embutidas na compra: como frete e seguro.
  3. Atendimento ao consumidor – todo lojista deve oferecer pelo menos um canal de atendimento para os clientes.
  4. Direito de arrependimento em 7 dias – o consumidor pode trocar o produto até 7 dias depois de fazer a compra; sem qualquer restrição por parte do lojista.
  5. Troca de produtos com defeito – a mesma regra vale para clientes que compraram um produto com defeito. Se o produto for um bem não durável, o prazo para troca é de 30 dias. Se for um bem durável, é de 90 dias.

Outras fontes de informação

A busca por informação sobre como montar uma loja virtual nunca termina! Esse artigo foca apenas nos primeiros passos da abertura de uma loja, mas outros sites e artigos fornecem uma visão mais específica de cada assunto que envolve a criação e manutenção do seu ecommerce.

Por causa disso, listamos alguns blogs sobre E-commerce e Marketing que recomendamos para você ler e aprender mais.

Ecommerce

Marketing

— ARTIGOS DA SÉRIE —

— ARTIGOS DA SÉRIE —

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

155 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

      1. você está de parabéns meu amigo. parabéns mesmo pelo artigo, graças a ele posso dar o ponta pé inicial no meu negócio! muito bom que divida o conhecimento. nota 10.

        Responder
  1. nossa muinto obrigado tenho uma loja física e estou tentando uma virtual

    mas tenho encontrado dificuldades com alguns profisionais,seu artigo foi bem bacana vlw mesmo..

    Responder
  2. Muito boa materia sem falar que explica diretamente e objetivamente o que precisamos saber pra abrir uma loja virtual.só gostaria de saber mais sobre a legislação e fraudes.quando fizer outro artigo por favor me mande o link.obrigado.

    Responder
  3. Gostei muito dos esclarecimentos, me irão ser de muita utilidade.
    só uma coisa que não foi dita e se for possível diga por favor, mais ou menos qual o valor minimo, para montar a loja virtual? claro sem os produtos..

    Responder
  4. Artigo esclarecedor! Gostei bastante. Parabéns!
    Apenas existe um equívoco no tópico 5, “legislação”, os prazos estão invertidos.
    Prazo de 30 dias para bem NÃO durável e 90 para bem DURÁVEL (vide art 26, CDC)
    Espero ter ajudado também
    Abraça

    Responder
  5. Ótimo Artigo, porém tenho uma dúvida que não foi esclarecida.
    Ao montar um e-commerce, para emitir Notas Fiscais dos produtos vendidos, necessariamente preciso ter um sistema ou há algum outro meio ?

    Responder
    1. Olá Dirceu, tudo bem?

      O sistema facilita e automatiza o processo de emissão de notas fiscais. Se não quiser usar um sistema, pode emitir manualmente no site da Prefeitura!

      Responder
  6. Pessoal, a plataforma Magento é cara demais, as lojas virtuais da Uol Host são uma opção pelo menos pra quem está começando? Tenho medo de entrar e não conseguir mais sair…

    Responder
  7. Achei o post de extrema qualidade e super informativo. Eu que trabalho com lojas virtuais, sei que é preciso cautela e estudo para montar uma loja virtual de sucesso.

    Trabalho com lojas virtuais aqui: wmasites.com.br/lojawma/

    Parabéns pelo post!
    Mozzer

    Responder
  8. Excelente! Quando pensamos em um negócio e todo leque de coisas que precisamos providenciar, ficamos meio perdidos!
    Seu artigo nos da direção do passo a passo e ressalta pontos super importantes, que poderiam passar despercebidos… Muito obrigada pela ajuda!
    Sucesso para todos nós!

    Responder
  9. Excelente artigo, e falar da legislação para mim foi um ponto muito importante, para que saibamos o caminho certo e com segurança.
    Estou analisando a possibilidade de entrar neste ramo e para isso pretendo ler cada link com prioridade e muita atenção. Obrigada pelo artigo.

    Responder
  10. Muito bacana o artigo Leonardo…tenho muita curiosidade em saber mais sobre “Vírus espião”. Como saber se alguém instalou algum na sua máquina? Como saber se vc está sendo vigiado? Abs

    Responder
    1. Olá Sandra! O custo de uma loja virtual vai depender muito do modelo de negócios que você precisa. Antes de mais nada saber primeiro quanto tem de orçamento disponível para ter uma Loja Virtual. Não significa que se seu budget for alto você tem gastar tudo e fazer altos investimentos, mas a realidade e o pé no chão é importante se o budget é baixo não adianta ficar sonhando ou procurando por soluções de alto investimento. Resumindo se você tem R$ 100.000,00 para montar uma Loja Virtual, não significa que tem procurar os fornecedores “caros” e se você tem R$ 1.000,00 não adianta ficar sonhando com o que não pode pagar e perder tempo na negociação sabendo que não dará em nada. Tenha foco sempre.

      Esta escolha tem que se basear primeiramente no seu budget, há plataformas que custam milhões e há plataformas gratuítas. E claro neste intervalo há plataformas de R$ 29,00 por mês de R$ 1.200,00 por mês, de R$ 12.000 por mês e por aí vai. Então baseado no seu budget selecione algumas empresas para poder escolher uma entre elas. Tome bastante cuidado com o barato que sai caro. Um grande abraço!

      Responder
  11. “As de código fonte aberto são gratuitas, mas demandam que você tenha conhecimentos específicos da plataforma ou contrate especialistas; além do distribuidor não oferecer suporte.”

    FUD.

    Qualquer ferramenta demandará que você tenha conhecimentos específicos dela ou contrate quem já a usou. Isso vale para plataformas de e-commerce ou de RH, força de vendas, controle de estoque e assim por diante.

    Além disso, a maior parte da receita de plataformas de código-fonte aberto vem do fornecimento de suporte, desde a instalação, configuração, uso e mesmo personalização da tal plataforma. Em alguns casos, tal personalização (que pode vir na forma de integração com algum serviço de terceiros, como os de pagamento), pode custar nada ao empreendedor, caso a comunidade ao redor dessa plataforma aberta já a tenha desenvolvido.

    Por fim, aberto =/= gratuito. O código-fonte, i.e., a parte da plataforma que faz com que ela funcione, pode ser aberta, ou seja, visível e alterável por quem quer que seja. Mas isso não significa que ela seja automaticamente gratuita. Magento, por exemplo, é código-fonte aberto e pago.

    Responder
  12. Muito bom.
    Aqui na empresa, temos um site que ensina você a como aprender a tocar violão. Possui ótimos conteúdos escritos divididos em capítulos porém ainda está em fase de construção. Junto a ele inserimos um e-commerce de venda de violões usando o WordPress. Então o site “aprender a tocar violão” é um site de ensinamentos unido com e-commerce e funciona muito bem.

    Não sei bem sobre a plataforma que outras empresas usam, porém o wordpress é muito bom para e-commerce.

    Responder
  13. parabéns leo, belicismo artigo, informações muito importantes pra quem quer começá um negocio virtual e não tem muito conhecimento .obrigado e que Deus te abençoe.

    Responder
    1. Oi Leandro, tudo bem?

      O 5º parágrafo do 4ª artigo fala sobre o atendimento!

      “manter serviço adequado e eficaz de atendimento em meio eletrônico, que possibilite ao consumidor a resolução de demandas referentes a informação, dúvida, reclamação, suspensão ou cancelamento do contrato”

      Ou seja, indica que você sempre deve manter uma forma de ser contactado pelos seus clientes, não importando a hora do dia.

      Mas existe uma diferença entre o que o artigo define como necessário e um atendimento 24h:
      – O artigo afirma que você precisa disponilizar um canal que funcione 24h para que entrem em contato com você. Um endereço de email já funcionaria, pois você estaria recebendo os emails em qualquer horário do dia. (Não é necessário, entranto, que você esteja disponível para responder esses emails recebidos 24/7).

      – O atendimento 24h significa que você sempre terá alguém para responder aos clientes, mesmo de madrugada! E não é isso que a lei demanda; só é importante que exista um canal disponível durante 24h para que entrem em contato contigo.

      Ficou mais claro?

      Abraços!

      Responder
      1. Agora sim, fiquei assustado, hahaha. Pois é claro que um e-commerce grande até teria condições em fazer um atendimento 7 dias por semana, mas o mesmo não será possível para alguém que esteja apenas começando um. A matéria é muito boa Leonardo, agradeço pelos esclarecimentos!

        Responder
  14. Olá Leo,
    muito bom seu texto, parabéns.

    Porém ficou apenas uma dúvida, eu gostaria de saber como funciona a parte do CNPJ/CPF. Eu preciso abrir uma empresa para trabalhar com e-commerce? Se sim, como faço isso?

    Obrigado!

    Responder
  15. Show o artigo, Parabéns.
    Me diga qual o capital inicial que eu preciso para começar a loja?
    Se puderes me faz uma planilha básica. tenho que partir do “zero”.
    Sou Analista de Sistemas, mas a Facul. não focou este assunto só que eu me interesso.
    Abç, Obrigado

    Responder
  16. Olá, boa tarde, adorei seu artigo e estou com interesse de montar uma loja virtual, o problema é que não sei por onde começar, mesmo após a leitura, portanto queria entrar em contato com você por e-mail para poder esclarecer minhas dúvidas, tem como me informar seu e-mail? Obrigada e Parabéns pelo artigo!

    Responder
  17. Parabe’ns, estarei me preparando para entrar no Ecomerce, desde a parte de informática, local, meu ambiente, e meu staf. Até a parte legal de montagem da empresa, parte contábil, emfim. Estou muito interessado, são muitas oportunidades realmentepara se criar a sua loja. Até breve

    Responder
  18. E-commerce é uma ideia segura e criativa. Novos modos de administrar o dinheiro e a vida! Digitalizando e musicalizando, desenhando tudo aquilo que vai se moldando!

    Responder
  19. Olá! Minha dúvida é quanto aos estoques. Existem plataformas wue permitem integração com o estoque fis fornecedores? O que as empresas fazem em relação s isto?

    Responder
  20. Parabéns pelo artigo. Já criamos nossa loja virtual. Mas, não consigo encontrar resposta para um problema que vem ocorrendo diariamente na nossa loja. 90% do publico que visita a loja esta nos EUA. Somos .com.br, criamos campanha no adwords e facebook. Por que isto está acontecendo?

    Responder
  21. Estou interessado em abrir uma loja virtual, porem, ainda existe muitas dúvidas em como começar e se a possibilidade de escolher o segmento desejado. Peço o retorno para poder me dar uma força, por favor!

    Responder
  22. ‘As lojas virtuais costumam trocar de plataforma a cada três anos; […]. (Um dos erros mais frequentes é utilizar uma plataforma muito pequena/limitada e ser obrigado a utiliza-la por alguns anos, impedindo que seu negócio cresça na máxima velocidade.)’
    Sou leiga no assunto, mas gostaria de ter um site comercial, por isso a pergunta: rxiste um prazo determinado por lei para manter uma página comercial?

    Responder
  23. Olá, bom dia.

    Primeiramente gostaria de agradecer e parabenizar pelo artigo muito interessante.

    Mas gostaria de tirar uma dúvida, estou levantando informações sobre abertura de uma loja virtual, contudo não vi em lugar nenhum falando sobre o armazemanamento de estoque, ele dever ser feito apenas em pontos comerciais ou posso ter minha loja virtual e ter o estoque em minha casa e o endereço pode ser residencial tbm? Se manter o estoque em casa posso ter problemas com fiscalização.

    Grato.

    Carlos Henrique, Maringá – PR.

    Responder
    1. Tenho essa dúvida também Carlos e Leonardo. Como é obrigatório ter um endereço no rodapé, mas se terei apenas a loja virtual (sem loja física) não preciso por ou precisa ser meu endereço pessoal?

      Responder
  24. Gostei bastante do artigo, muito bom mesmo estou super interessado em abrir minha lojinha virtual. Se fosse possível queria receber um e-mail para que eu tire algumas dúvidas, parabéns

    Responder
  25. Boa noite! Li seu artigo passo a passo pra montar uma loja virtual. Foi esclarecedor, mas como meu ramo é alimentação, pois trabalhei mt tempo com festas,ou seja, organizo e faço todo o cardápio, desde as entradas à sobremesas. Agora, que tenho mais tempo livre, pensei em montar essa empresa virtual para fazer jantares, coofebrek, pratos individual , etc. Esse atendimento seria só pra minha cidade, Teresina -PI. Tô precisando começar, mas n sei como. Se possível, mande algumas sugestões. A princípio, vou usar só o Facebook, Twitter e dispor uma boa parte do meu tempo fazendo marketing. Peço que me ajude.

    Responder
  26. Excelente artigo, parabéns.
    Faço parte do Shopitos, uma plataforma de lojas virtuais grátis ( http://www.shopitos.com.br ).
    Estamos percebendo o quanto o empreendedor está buscando ingressar no mercado digital. Um dos motivos que justificam essa ação se dá pelo fato de acreditarem que ter um negócio online gera menos custos que abrir uma loja física.

    Abraços

    Responder
  27. Ótimas dicas para quem pensa em iniciar um e-commerce. Eu e minha sobrinha estamos pensando nisso. Léo eu te agradeço por essas preciosas dicas, e um forte abraço !!!

    Responder
  28. Parabéns pelo artigo, esclareceu várias dúvidas e ensinou cada detalhe extremamente fundamental para os iniciantes ou que pretendem abrir uma loja virtual ainda (como eu).

    Responder
  29. Artigo muito bom para quem ( como eu ) procura informações de como abrir uma loja virtual, destaco a importância neste momento de crise econômica de uma futura loja ter também a versão mobile para smartphones, hoje no Brasil os acessos via celular suplantam aos dos computadores, uma informação importante que não pode ser negligenciada por quem quer empreender na internet.
    Obrigado por este postar este artigo.

    Responder
  30. Adorei o artigo! E gostaria de saber quais os produtos que mais saem com o negócio da loja virtual. E como vc faz anuncia e depois como garante o preco ao cliente?Obrigada pela atenção

    Responder
  31. Oi bom dia !Estou precisando aumentar meu orçamento pois estou com um recém nascido e não consigo emprego. Gostaria de uma opinião sua .Queria abrir uma loja vitual mas meu bom estar sujo.Qual seria o melhor host para eu começar. O meu 1 passo para abrir a minha loja virtual

    Responder
  32. Excelente artigo, muito elucidativo e esclarecedor. Realmente muito completo e bem escrito. Certamente ajudará todos aqueles que desejam empreender no mercado e-commerce. Também recomendo o Guia do Comércio Eletrônico como fonte de consulta e referência para quem deseja manter-se informado sobre temas referentes a e-commerce. Forte abraço. =D

    Responder
  33. Boa tarde! Preciso de orientação como montar uma loja virtual, nao tenho produto e nem ideia de valores. Mas ja tenho um empresa no segmento de confecçoes de vestuario e acessorios. Por gentileza me informe o que preciso em valores e parte burocratica para iniciar este negocio.

    Responder
  34. Boa tarde, pessoal gostaria de montar uma loja em que os usuários cadastrados publicassem seus produtos, um exemplo é a loja enjoei.com.br só que em outro ramo de atuação, vocês conhecem alguma plataforma ou algo que conseguiria desenvolver isso ?

    Responder
  35. Boa noite, gostei muito do seu artigo, mas tenho uma dúvida quanto a abrir uma loja virtual, eu tenho que abrir uma empresa e ter o CNPJ para poder trabalhar com uma loja virtual?

    Responder
  36. Quero montar um site e um blog para divulgar meus poemas…só não sei como fazê_los.
    E quero saber se isso tem a ver com o E COMMERCE. Aguardo sua resposta
    urgente…Atenciosamente…BABY POETA..

    Responder

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.