Logo E-Commerce Brasil

iFood aumenta o ganho dos entregadores parceiros da plataforma a partir de abril

Por: Júlia Rondinelli

Editora-chefe da redação do E-Commerce Brasil

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero e especialização em arte, literatura e filosofia pela PUC-RS. Atua no mercado de <nowrap>e-commerce</nowrap> desde 2018 com produção técnica de conteúdo e fomento à educação profissional do setor. Além do portal, é editora-chefe da revista E-Commerce Brasil.

O iFood anuncia o aumento dos ganhos de todos os mais de 200 mil entregadores parceiros que prestam serviço por meio da plataforma. A partir de 2 abril, de forma perene para esses trabalhadores, o valor mínimo da rota passa de R$ 5,31 para R$ 6, e o valor mínimo do quilômetro rodado sobe 50%, de R$ 1,00 para R$ 1,50. Com isso, o entregador que antes recebia pelo menos R$ 10 por uma entrega de 10km, por exemplo, passará a ter pelo menos R$ 15.

entregadores ifood

Em quase 12 meses, é a terceira vez que o iFood promove reajustes para esses parceiros. De acordo com a empresa, o aumento se deu devido às necessidades dos entregadores e ao momento socioeconômico brasileiro. A empresa elevou os ganhos em abril e novembro de 2021.

A diretora de Logística do iFood, Claudia Storch, afirmou que a empresa não tem medido esforços para assegurar a dignidade dos entregadores que usam a plataforma. “Escutamos e entendemos nossos parceiros. Estamos continuamente em busca de soluções que promovam melhorias em nossa relação e no dia a dia de trabalho de todos que atuam com o iFood. Temos acompanhado o mercado e sabemos do nosso papel de gerar cada vez mais oportunidades para o ecossistema onde atuamos. Revisamos processos, fizemos contas e nos organizamos para poder aumentar os ganhos, em um atual cenário difícil da economia, e minimizar os efeitos da alta de preços no país.”

Benefícios para os entregadores

Segundo projeções da empresa, serão repassados mais de R$ 3,2 bilhões para os parceiros nos próximos 12 meses. O reajuste será válido para entregadores de todos os modais e não há critérios de elegibilidade.

A empresa anunciou também outras preocupações que valorizem o bem-estar e a segurança dos entregadores. Entre os benefícios propostos, estão:

  • Em novembro e janeiro passados, vigorou o fundo de R$ 8 milhões para compensar os sucessivos aumentos dos combustíveis;
  • A apólice de seguro contra lesão que causa afastamento temporário da atividade de entregas foi implementada em 2021. Desde 2019, todos os trabalhadores já dispõem de seguros de acidentes pessoais, sem franquia, que cobrem atendimento médico e odontológico de emergência, invalidez permanente total/parcial e morte acidental;
  • Mês a mês o programa Delivery de Vantagens, que oferece descontos em grandes redes de varejo, em planos de telefonia celular e também manutenção de motos, tem sido ampliado;
  • Gratuitamente, por meio da AVUS, todos os mais de 200 mil entregadores e entregadoras e um dependente (com ou sem vínculo familiar) têm à disposição preços acessíveis e descontos de até 80% em consultas médicas, odontológicas, exames, medicina de apoio, medicamentos e farmácias credenciadas;
  • Na plataforma do iFood Decola, os entregadores podem fazer vários cursos do programa de capacitação para o futuro do trabalho, gratuitos ou com bolsa, seja em tecnologia (como os de programação) ou em temas como gestão financeira, empreendedorismo, inteligência emocional, qualidade nas entregas e legislação de trânsito;
  • Além disso, em janeiro de 2022, começaram as aulas do programa Meu Diploma do Ensino Médio, que disponibilizou aos entregadores mais de 2 mil bolsas de estudo para fazer o curso preparatório para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) e concluir o Ensino Médio.

Leia também: Amazon conclui compra de estúdios da MGM.