Logo E-Commerce Brasil

Principais pontos para fazer a gestão de estoque do e-commerce

Por: Giovanna Scarparo

Jornalista e link builder na Conversion, escreve sobre tecnologia, <nowrap>e-commerce</nowrap>, mercado, cultura, turismo, moda e outros temas que possam informar e agregar conhecimento aos leitores.

Do pequeno ao grande comerciante, existe um ponto fundamental de convergência entre suas logísticas. Algo que os une e que é imprescindível para ambos os tipos de negócio, além de toda a zona intermediária entre eles, é a necessidade de um estoque organizado e, principalmente, atualizado com dados fidedignos. A certeza de que tudo está de acordo com as melhores práticas resulta em uma gestão de estoque bem feita, muito importante para o e-commerce.

Organização, padronização e aplicação de técnicas de estocagem são importantes para o bom desempenho desde a armazenagem até as vendas.

A gestão de estoque passa basicamente por processos de armazenagem que envolvem a coleta de dados de entrada e saída de materiais, a melhor alocação possível para os itens, a quantificação correta dos materiais em estoque, a gestão dos seus custos e o conhecimento da demanda tanto de recebimento quanto de expedição de cada item.

É através da gestão de estoque que se torna possível conhecer o padrão de consumo de seus clientes, manter a loja sempre abastecida, conhecer o carro-chefe do seu comércio, assim como os produtos com menor saída e, com isso, economizar mais, obter maior controle sobre o que comprar e o que vender, gerenciar melhor o espaço físico de armazenamento, entre outros benefícios.

Métodos que ajudam na gestão de estoque

São vários os métodos existentes que possibilitam a aplicação da gestão de estoque. No entanto, todos partem do princípio de que seu estoque físico esteja organizado. Caso contrário, o resultado não será satisfatório. Uma boa organização passa pela separação adequada dos itens, seguindo uma ordem lógica e que facilite a localização de cada item.

Não menos importante é a identificação dos itens em códigos. Essa identificação auxilia na padronização dos produtos, evitando assim a duplicação de um mesmo item, o que causa muitos erros e perdas desnecessárias.

A organização dependerá, no entanto, do espaço físico disponível. Um e-commerce pequeno que disponha de menos metragem deve aproveitar a disposição vertical de suas prateleiras, por exemplo. Já uma loja grande pode alocar itens em corredores endereçados, de modo a facilitar a localização de um item, além de poder dispor de espaços maiores para recebimento, guarda de grandes materiais e até áreas de expedição. Porém, algo é fundamental em ambos os casos. O estoque deve ser mantido limpo e organizado, com cada item em seu lugar adequado.

Curva ABC e PEPS

Uma vez ordenado, fica fácil colocar em prática algumas técnicas. Entre elas, a curva ABC. Essa técnica consiste em separar os objetos em três grandes grupos, correspondentes a cada letra. De modo decrescente, sob o grupo A ficam os itens que tenham de 60% a 80% de mais saídas, ou então que tenham maior custo. Uma vez posto em evidência e em local de fácil acesso, é descomplicado identificar o nível de estoque desses itens. Isso facilita no reabastecimento e também no picking, no momento da expedição. Por consequência, os grupos B e C podem ocupar locais menos quentes do estoque, já que sua rotatividade é menor.

Outra prática importante, principalmente quando seu comércio lida com perecíveis, é a técnica PEPS – “primeiro entra, primeiro sai”. Nesse caso, evita-se manter itens muito velhos parados no estoque, dando então uma vazão adequada para eles. O nome é bastante explicativo e sugestionável: o primeiro item a ser estocado deve, obrigatoriamente, ser o primeiro a ser dispensado. Isso evita problemas inclusive com itens que possuem validade.

Inventário e sazonalidade

Com o estoque organizado, deve-se manter a rotina de um inventário. Através da contagem mecânica, é tornada possível a conferência do estoque físico com o virtual, isto é, com um sistema. É de extrema importância que os dados estejam iguais, pois essa é a garantia de que seu reabastecimento seja correto e o consumo de cada produto esteja sendo contabilizado também de maneira correta, evitando faltas ou excessos. Os inventários devem ser realizados periodicamente.

Conhecendo a sazonalidade no consumo de cada item, é possível programar as compras para abastecimento com antecedência, permitindo organizar o recebimento, além de eventuais economias em compras. Essa previsibilidade é interessante até mesmo para que se possa por em prática promoções, como queimas de estoque.

Um grande diferencial passa pela obtenção de algum sistema robusto, como um WMS, capaz de otimizar a gestão de estoque e facilitar os fluxos de armazenagem. De maneira integrada, é capaz de fazer a conexão entre o estoque e as saídas em tempo real, facilitando as tomadas de decisão, acelerando o contato com clientes e fornecedores, minimizando erros e aumentando muito a produtividade de seu e-commerce.