Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Vendedores do marketplace da Amazon sofrem impacto de surto do coronavírus

Sexta-feira, 07 de fevereiro de 2020   Tempo de leitura: 4 minutos

Vendedores da Amazon já estão se preparando para a escassez de produtos, já que trabalhadores chineses — preocupados com a rápida expansão do coronavírus — podem não estar dispostos ou não querer retornar às fábricas.

Brandon Young, que obtém mais de US$ 10 milhões em receita anual no marketplace da Amazon, tem um estoque de 30 a 45 dias dos carregadores de bateria da Apple que podem ser difíceis de encontrar porque são construídos a partir de componentes genuínos da Apple, fabricados exclusivamente na China.

Empreendedores estão entre os mais de um milhão de vendedores da Amazon cujos meios de subsistência dependem de operários da China, onde mais de 30 mil pessoas estão com o coronavírus, que matou mais de 600 pessoas. Sua situação prenuncia o risco que os vendedores da Amazon enfrentam se o surto resultar em uma escassez de trabalhadores ou no fechamento prolongado de fábricas.

Ficar sem produtos no marketplace da Amazon pode acabar com uma pequena empresa. O algoritmo da Amazon oferece um faturamento superior aos vendedores com vendas mais rápidas e recentes. Esse posicionamento de destaque ajuda a gerar ainda mais vendas.

Vendedores importantes

A receita da Amazon de serviços para vendedores representou pouco mais de 19% das vendas líquidas da Amazon em 2019. Esse número não incluiu receitas do lucrativo negócio de publicidade da Amazon. Em uma carta aos acionistas, o presidente-executivo, Jeff Bezos, disse que esses comerciantes independentes representavam 58% dos bens físicos vendidos na Amazon em 2018.

“Atualmente, não há interrupção em nossas operações”, afirmou a Amazon em comunicado.

Young disse que muitos vendedores da Amazon estocaram antes do feriado do Ano Novo Lunar, quando milhões de trabalhadores viajam centenas de quilômetros para visitar a família e a produção na China praticamente é suspensa por até três semanas.

“As pessoas têm estoque extra, mas isso acabará rapidamente” se as fábricas permanecerem fechadas ou os trabalhadores não retornarem, disse Young, que está “em quarentena” em sua casa em Miami depois de visitar fábricas e familiares na China durante o período de férias. Ele não visitou o epicentro do surto.

Em um post publicado em seu site chinês no sábado, a Amazon aconselhou os vendedores chineses a evitar níveis baixos nos estoques e atrasos nos envios devido ao coronavírus. As dicas incluíam a exclusão de produtos e a colocação de lojas em modo inativo.

Muitas empresas que vendem na Amazon não têm planos de contingência para lidar com um longo período de paralisação na China, disse Chris McCabe, fundador de uma consultoria de comércio eletrônico da Amazon. “Haverá muita mágoa e dores de cabeça”, disse McCabe.

Leia também: 95% dos compradores brasileiros utilizam marketplace, revela pesquisa

As informações são da Reuters

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.