Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Vendas omnichannel saltam 20% no primeiro semestre, aponta Linx

Quinta-feira, 04 de agosto de 2022   Tempo de leitura: 2 minutos

O varejo tem criado operações mais flexíveis para atender o novo consumidor. Entre as tendências que já se tornaram realidade, a venda omnichannel se destaca. Segundo levantamento interno da Linx (que possui  45,6% de market share do setor), somente no primeiro semestre deste ano, as vendas omnichannel cresceram 20% quando comparadas ao mesmo período de 2021.

Leia também: O Boticário estende operação omnichannel em mais de 4,1 mil lojas físicas

Para o consumidor, a integração das operações físicas e digitais do varejista representam flexibilidade e agilidade. Segundo levantamento, a modalidade de entrega “pick-up” — quando o cliente compra no e-commerce e retira o produto em unidades físicas — saltou 90% no mesmo período. “Somente em operações administradas pela Linx, foram mais de 2 milhões de compras retiradas em loja. Essa integração dos dois mundos permite que o consumidor tenha autonomia na sua jornada de compra, escolhendo o formato que mais lhe convém. Ela tende a crescer conforme aumenta a maturidade dos varejistas”, explica Ricardo Gonçalves, diretor de omnichannel da vertical de Digital da Linx.

Vendas omnichannel e o showrrooming

As vendas omnichannel também foram impulsionadas pelo canal showrooming. Neste caso, trata-se da estratégia onde a loja física dispõe de dispositivos como tablets e celulares para o cliente navegar por todo o estoque disponível. Permite, inclusive, acessar dados de outras unidades, oferecendo também a possibilidade de entregar, em casa ou em outra loja, a compra realizada naquele momento. “As vendas via showrooming, ou prateleira infinita, adicionam uma alternativa ao vendedor que não possui o produto desejado na loja. Pode oferecer ao cliente o estoque de toda a rede e não só o disponível na loja naquele momento. Um dos segmentos que mais têm se beneficiado da estratégia é o de Casa e Decoração”, complementa Gonçalves.

Do outro lado do balcão, o omnichannel também tem permitido otimizar a logística e encantar o consumidor. A exemplo, a modalidade “ship from store”, que teve grande adesão, com aumento de 17% no período. No caso, refere-se às compras realizadas online cujo produto é enviado pela loja mais próxima do cliente. “Para o varejista, essa logística simplificada não apenas reduz o custo da operação, como converte mais vendas. Afinal, o consumidor enxerga essa inteligência das operações em forma de um frete mais barato e uma entrega mais ágil”, finaliza.

Leia também: Shoppe cresce 7% em acessos no primeiro semestre; Amazon Brasil lidera Share of Search do e-commerce

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER