Logo E-Commerce Brasil

Varejo farmacêutico cresce em 2023 e mantém público fidelizado próximo, segundo Bnex

Por: Lucas Kina

Jornalista e repórter do E-Commerce Brasil

A ascensão farmacêutica no varejo brasileiro ganhou mais um capítulo positivo. De acordo com o estudo Shopper Report Farma 2023, realizado pela Bnex, o setor obteve 22,6 milhões de transações, com mais de 5,6 milhões de consumidores.

Varejo Farmacêutico - Bnex - estudo
(Imagem: Freepik)

Com aumento de 14% no número de clientes fidelizados, o varejo farmacêutico também experimentou alta em outros índices importantes. É o caso do faturamento 4,19% maior que em 2022, bem como os saltos em quantidade de clientes (7,1%), ticket médio (5,5%) e gasto médio (6,36%).

Entre os destaques, o levantamento mostra retração em quantidade de tickets gerados (1,29%) e itens no carrinho (1,08%). Contudo, como visto acima, não houve impacto no valor da compra ou na média de preços.

O ticket médio, aliás, fechou o último ano em R$ 52,76. No olhar mais específico para clientes fiéis, o valor chegou a R$ 68,09. Por outro lado, o gasto médio passou para R$ 138,90.

Veja, abaixo, o mapeamento das oscilações ao longo dos 12 meses de 2023:

Gráfico com a evolução dos ind<a id=icadodes do setor farma em 2023." class="wp-image-180576" srcset="https://static.ecommercebrasil.com.br/wp-content/uploads/2024/03/81-unnamed-2.jpg.webp 905w, https://static.ecommercebrasil.com.br/wp-content/uploads/2024/03/81-unnamed-2-768x366.jpg 768w" sizes="(max-width: 905px) 100vw, 905px" />
(Imagem: Bnex)

Opinião de especialistas

De acordo com Tamara Paccas, estatística da Bnex, preparação será uma das palavras de ordem para o varejo farmacêutico em 2024.

A expectativa para o setor farmacêutico em 2024 envolve uma série de desafios, incluindo possíveis perturbações na cadeia de suprimentos por causa de eventos geopolíticos, aumento dos custos de produção e distribuição devido a mudanças na política fiscal e no comportamento do consumidor em resposta a esses fatores. As empresas do setor precisam estar preparadas para se adaptar a essas condições e encontrar maneiras de manter a competitividade e atender às necessidades do mercado.

Já Evandro Alampi, head de Inteligência da Bnex, complementa com o que acredita ser uma obrigação para os próximos anos no setor: entendimento da diversidade regional do Brasil.

Adaptar-se às diferenças locais não é apenas uma estratégia sábia. Essa jogada é essencial para se destacar na competição. Em vez de um plano único para todos, vamos pensar em estratégias que fazem sentido para cada realidade.