Logo E-Commerce Brasil

Relatório mostra crescimento do marketplace e categorias que puxaram as vendas de janeiro de 2024

Por: Giuliano Gonçalves

Jornalista do portal E-Commerce Brasil, possui formação em Produção Multimídia pelo SENAC e especialização em técnicas de SEO. Sua missão é espalhar conteúdos inspiradores.

Conforme mostra o levantamento da Conversion, o primeiro mês do ano registrou um intenso fluxo de usuários nas plataformas de e-commerce brasileiras. Afinal, foram 2,67 bilhões de visitas únicas, um aumento de 3,6% em relação a dezembro do ano anterior — mês que, de acordo com a pesquisadora, houve uma queda de 8,6% no tráfego.

Imagem de uma mulher realizando compra online via notebook

No entanto, ao comparar com janeiro de 2023, o relatório aponta uma queda de 4%, quando 2,78 bilhões de visitantes navegaram pelo comércio eletrônico do país. Nos últimos doze meses, o melhor desempenho ficou para novembro passado, com 2,81 bilhões de visitas — o fluxo intenso da Black Friday explica muito.

Sobre o aumento do tráfego em janeiro deste, o estudo aponta que a busca por material escolar puxou a fila, já que as famílias costumam procurar por esses itens no início do ano letivo. Como referencial, o setor de Educação, Livros e Papelaria cresceu 37,5% no mês, um dos maiores números registrados por um único segmento nos últimos meses.

Viagens contribuiu para o fluxo do e-commerce

Além disso, o setor de Turismo também teve um aumento significativo (11,5%), impulsionado pela demanda por férias de verão no mercado interno e viagens para o exterior.

Para Diego Ivo, CEO da Conversion, os desempenhos desses setores têm efeitos diversos sobre o resultado geral do e-commerce. Por um lado, eles impulsionam as plataformas que oferecem materiais escolares ou pacotes de viagens, garantindo resultados esperados para o período. Por outro, não impactam significativamente no tráfego das marcas que compõem grande parte do comércio eletrônico brasileiro.

Crescimento das vendas em marketplaces

Em janeiro, o desempenho dos principais players do e-commerce foi mais de estabilidade do que de ganhos. O Mercado Livre cresceu 2%, enquanto a Amazon Brasil subiu apenas 0,4%. Juntas, elas somam cerca de 566 milhões de acessos únicos.

Importante destacar que o setor de marketplaces cresceu 5,3% em janeiro, praticamente recuperando as perdas de dezembro. Com 1,17 bilhão de visitas, atingiu o melhor número dos últimos 12 meses.

Além disso, plataformas como Shopee, com alta de 7,7% no seu tráfego, Magalu (11,1%) e OLX (16%) demonstram como os brasileiros diversificam a busca por produtos — de ommercebrasil.com.br/artigos/dicas-para-importar-da-china-e-revender-no-e-commerce" data-type="URL" data-id="https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/dicas-para-importar-da-china-e-revender-no-e-commerce" target="_blank" rel="noreferrer noopener">mercadorias importadas da China até mobília para casa, segundo a Conversion.

Setores em queda em janeiro

Em contrapartida, três setores perderam visitas em janeiro: infantil (-24%), joias e relógios (-19,5%) e calçados (-16,2%). No entanto, de acordo com o estudo, esses números devem ser relativizados com a grande base de comparação de dezembro, quando subiram muito por causa das compras de Natal.

Em janeiro, 76% dos acessos a e-commerce foram feitos a partir de celulares, tendência cada vez mais forte no Brasil. Ainda assim, cerca de 24% dos acessos ainda são via desktops, enquanto os tablets têm baixa participação e são agrupados nos dados de celular/mobile.

No caso dos números de acessos por aplicativo, ferramenta contabilizou somente aparelhos com sistema operacional
Android; gráfico apresenta participação das visitas totais por dispositivo realizadas em janeiro de 2024

O relatório completo pode ser baixado aqui.