Redação E-Commerce Brasil

Mercado Livre registra 22,6 milhões de novos compradores na América Latina

Terça-feira, 06 de abril de 2021   Tempo de leitura: 9 minutos

O Mercado Ads, unidade de negócio dedicada à publicidade do Mercado Livre, lançou o estudo Tendências do e-commerce: Aprendizados em um ano mais digital. O relatório apresenta um panorama de 2020, com foco na aceleração digital e nas mudanças nos hábitos dos consumidores e sobre como as tendências de consumo já são observadas no e-commerce.

Aceleração digital

2020 foi o ano em que os consumidores realmente mergulharam no universo digital. Neste período, o Mercado Livre se consolidou como o líder no e-commerce na América Latina. No Brasil, a plataforma também cresceu.

A companhia registrou um total de 22,6 milhões de novos compradores na América Latina, volume 47% maior do ocorrido em 2019. A intensidade de buscas por minuto também cresceu substancialmente. Foram registradas, em 60 segundos, 5.585 procuras por acessórios para veículos; 4.741 por calçados, roupas e bolsas; e 4.240 na categoria de casa, móveis e decoração. O ciclo de compras também foi reduzido em 13 dias. 649 milhões de itens foram entregues em toda a região.

“Em 2020, o e-commerce tornou-se a primeira opção de busca para milhões de consumidores. Ainda de acordo com o estudo, o comércio eletrônico foi a plataforma mais procurada para pesquisar por diferentes produtos. Em 2018, por exemplo, 53% buscavam diretamente em e-commerces. Já em 2020, esse número cresceu para 70%”, conta Fernando Yunes, líder do Mercado Livre no Brasil.

Além disso, no Brasil, a cada 10 consumidores digitais, dois compraram pela primeira vez na internet, um manteve seus pedidos online e seis aumentaram suas aquisições. Grande parte dos acessos — oito em cada 10 — são realizados por dispositivos móveis.

Mudanças de hábitos

Um dos grandes destaques de 2020 foi a seção de calçados, roupas e bolsas. 17% dos novos compradores ingressaram na plataforma por esta categoria, seguida por acessórios para veículos (12%) e produtos de casa, móveis e decoração (11%).

“Identificamos que, após a realização da primeira compra, 60% dos novos consumidores brasileiros voltaram à plataforma e fizeram novas aquisições. Ou seja, para muitos, fazer pedidos online tornou-se um hábito e não mais apenas uma situação pontual”, explica Yunes.

O estudo também notou que os consumidores digitais estão mais dispostos a conhecer diferentes seções. “Os consumidores incluíram em torno de outras três categorias em seus carrinhos, diversificando cada vez mais os seus pedidos”, complementa o executivo.

Além disso, foi observado que todos os perfis de consumidores aumentaram a assiduidade de seus pedidos. Os leais, que compram mais do que a média, realizavam suas aquisições a cada 17 dias, em 2019. Em 2020, o intervalo foi de apenas 13 dias. Enquanto os frequentes, que pedem produtos regularmente, estão adquirindo novos itens a cada 39 dias, contra um período de 77 dias, em 2019. Já os esporádicos, que encomendam em casos pontuais, estão comprando a cada 63 dias, diferente de 2019, quando realizavam pedidos em um período de 274 dias.

Novas escolhas

Em 2020, o Mercado Livre identificou diversas mudanças de hábitos entre os seus consumidores. “Tudo o que vivenciamos no ano passado, gerou modificações em nosso comportamento e, consequentemente, em nosso consumo. Com isso, foi possível enxergar que algumas tendências foram observadas no e-commerce, motivando o aumento de pedidos e procura por diferentes categorias”, comenta o líder do Mercado Livre no Brasil.

Trabalho e estudos em casa

O item que foi líder no ranking de buscas, em julho e agosto de 2020, foi o notebook, movimento impulsionado pelo novo estilo de trabalho e estudo em casa. A categoria notebook e acessórios registrou crescimento de 224% em número de pedidos, em comparação a 2019.

Já a seção de materiais escolares, despontou e se destacou com grande crescimento. O volume de pedidos aumentou 308%, em relação a 2019.

Entretenimento

Itens de diversão e lazer também ganharam força em 2020, aumentando o volume de pedidos, em relação a 2019.

  • Bonecos e bonecas (+176%);
  • Carrinhos (+ 139%);
  • Jogos de tabuleiros, quebra-cabeças e cartas (+ 75%).

Além disso, o que segue em expansão é a atração dos consumidores por produtos gamers. Em 2020, o termo mais buscado na plataforma do Mercado Livre foi ‘PC Gamer’.

Lar doce lar

Casa e decoração foi a categoria número um em visitas e continuou conquistando a atenção dos consumidores em 2020. “Com o isolamento social e a necessidade de permanecer em seus lares, muitos usuários demonstraram interesse em itens de casa, móveis e decoração”, conta Yunes. “Também se destacou a categoria de ferramentas, que cresceu 101% no volume de pedidos”, reitera o executivo.

Analisando os pedidos de casa, móveis e decoração foi possível observar que, em 2020, as categorias que tiveram o maior aumento na quantidade de compras foram:

  • Itens de decoração e mesa (+223%);
  • Utilidades domésticas (+ 139%);
  • Jardim e exteriores (+ 127%);
  • Iluminação (+ 84%).

Compras de supermercado

A procura por itens de supermercado online cresceu e se sobressaiu. Novembro de 2020 foi o mês que registrou o maior volume de visitas ao Super Mercado Livre. “Nossa categoria de Supermercado está com o sortimento bastante completo e temos crescido com taxas muito altas”, completa Yunes.

Busca por conforto

A moda em 2020 passou por algumas alterações, afinal trabalhar e estudar em casa pede roupas mais confortáveis e despojadas, segundo o levantamento. Como isso, as blusas e casacos, como moletons, viraram os queridinhos dos usuários do Mercado Livre. Conhecida também como Moda Comfy, ela foi a escolha de muitos neste período de isolamento social. Tornando o item a terceira maior fonte de novos compradores e a sétima maior categoria da seção de moda.

Bem-estar

Outro favorito dos usuários foram os produtos de autocuidado. O relatório apontou um importante crescimento de pedidos nas categorias de beleza e cuidados pessoais, comparando compras de 2019 as de 2020.

  • Itens de cuidados com a pele (+115%);
  • Itens de cuidados com o cabelo (+ 86%);
  • Maquiagem (+ 78%): a categoria se destaca entre os novos consumidores.

Seguindo a tendência de bem estar, esportes e fitness também ganharam espaço. O termo bicicleta está entre os 10 mais buscados em todo o site e a categoria de esportes indoor/outdoor duplicou de volume em pedidos.

“Para 2021, as perspectivas são as melhores. Esperamos que a cada 10 compradores digitais, oito mantenham ou aumentem seu consumo online. E estamos cada vez mais preparados para o crescimento da demanda. Somente este ano, a companhia investirá R$ 10 bilhões no Brasil dando sequência ao plano de expansão da sua malha logística, da conta Mercado Pago e da força competitiva de seu marketplace no país”, finaliza Yunes.

Para conferir o estudo completo, acesse o endereço https://drive.google.com/file/d/1iF8yODuBw7MYI6HGFDL8KO-FQ–FxMJ0/view

Obs.: dados de usuários são tratados de acordo com a Política de Privacidade e são disponibilizados apenas dados agregados

Leia também: Mercado Livre registra alta de 644% na venda de alimentos

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.