Redação E-Commerce Brasil

Vendas por aplicativos: entenda a importância do uso de ferramentas

Quarta-feira, 02 de junho de 2021   Tempo de leitura: 3 minutos

Segundo Juliano Dutra, Sócio-Diretor da Stoom, trabalhar com vendas a partir de aplicativos pode ser uma ótima oportunidade para as empresas. Afinal, um levantamento dentro da sua base de clientes aponta que, nos últimos seis meses, a taxa de recompra foi de 17 a 36% maior em relação às plataformas web. Entretanto, ele assegura que é preciso investir em ferramentas de marketing para obter êxito nas vendas por aplicativos.

Leia também: Como a gestão logística eficiente contribui para a experiência do cliente

Entre as justificativas para o uso de ferramentas para aplicativos, Dutra ressalta que plataformas como Google Play Store e Apple Store não informam a fonte de tráfego dos usuários, por exemplo. Se você não sabe por onde ele veio, é impossível reimpactá-lo. Com as ferramentas eu consigo trabalhar a retenção, assim como o engajamento do usuário, por exemplo”. Neste caso, o especialista garante que o melhor método para a prática é por meio de push-notificações.

Métricas

Para quem trabalha com aplicativos, a principal métrica mais efetiva a ser utilizada, segundo Dutra, é a MAU (Monthly Active Users, ou Atividades Mensais dos Usuários). “Sabendo disso, eu preciso trabalhar a retenção a fim de trazer novos usuários para somar aos existentes”. Como a estratégia nos aplicativos é focada no médio e longo prazo, o ideal é acompanhar o LTV (Lifetime Value) do usuário. A partir daí, é possível entender o quanto ele trará ao negócio ao longo da jornada. “O faturamento é uma consequência do restante. Entretanto, é preciso se atentar para criar algo interessante e, a partir disso, captar o dinheiro, e não o contrário”, disse.

Tracking de eventos

Para estratégias de eventos nos aplicativos, Dutra garante que a ferramenta de maior referência é a Firebase. “Lembro que as empresas contratam outras ferramentas em conjunto, que juntam os tracks de eventos com os reports”, recomenda. Para a parte de atribuição, é preciso de uma ferramenta que amarre o canal ao indivíduo — neste caso, irá te ajudar a fazer a atribuição.

Um ponto de atenção é compreender que nem sempre o canal mais barato será mais eficaz para a sua estratégia no aplicativo. “É preciso saber qual o canal que traz a instalação mais barata. Porém, é importante olhar a origem até a ponta, para entender qual canal está trazendo o usuário mais engajado. Esse será o melhor custo x benefício”.

Aprendizado dos aplicativos

De acordo com Dutra, quanto antes você ocupar espaço dentro dos aplicativos (acumular usuários), melhor. Afinal, trata-se de um canal que traz um mindset totalmente diferente do web. “Como é um outro universo, é importante entender que você precisará de um time somente para isso. Trabalhe com empresas que te deem flexibilidade para controlar o roadmap. Isso porque não adianta pegar um app pronto e esperar que te traga ótimos resultados. Ou seja, esforce-se para criar algo de acordo com a persona do seu cliente”.

O The Future Of E-Commerce – Edição Martech faz parte de uma série de congressos do E-Commerce Brasil para tratar sobre o futuro do comércio eletrônico no Brasil.

Por Giuliano Gonçalves, da redação do E-Commerce Brasil.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER