Logo E-Commerce Brasil

Consumidores querem posicionamento das marcas sobre o coronavírus, mostra pesquisa

Por: Redação E-Commerce Brasil

Equipe de jornalismo E-Commerce Brasil

A consultoria Kantar lançou a sua terceira edição do Kantar Thermometer, que mostra impactos da pandemia do novo coronavírus em diversos setores. Entre os países pesquisados, o Brasil é o segundo país mais preocupado com a doença. Atrás somente da China, país onde teve início o surto de Covid-19. A maior preocupação do brasileiro está ligada, sobretudo, aos impactos econômicos.A pesquisa mostra, entre outros detalhes, o que os consumidores esperam das marcas durante o período da pandemia e o resultado é bastante claro: transparência e posicionamento.

Segundo a Kantar, 25% dos clientes acham que a marca precisa ser exemplo e guiar a mudança. Outros 21% pedem praticidade e ajuda no dia a dia; 20% querem que s marcas ataquem a crise e mostrem como ela pode ser enfrentada/vencida; 18% esperam que o conhecimento seja usado para explicar e informar as pessoas; 11% acredita que as empresas devem reduzir a ansiedade do público; e 3% aguardam otimismo e pensamento de forma não convencional.

pesquisa Kantar

A Kantar mostra ainda a mudança no comportamento de consumo dos brasileiros. Preocupados com a saúde, crescem as vendas de analgésicos, vitaminas (especialmente a vitamina C) e antigripais. As saídas para a rua são cada vez mais raras e só acontecem em casos de necessidade extrema, como ir ao supermercado, bancos, farmácias (78%). Passeios comuns como shopping centers e parques deixaram de ser realidade para 71% enquanto outros 68% deixaram de frequentar bares e restaurantes. Em compensação, os pedidos de delivery cresceram 7%.

oticias/consumidores-nao-conseguem-comprar-46-dos-produtos-de-alimentos-e-bebidas-que-desejam/">Leia também: Consumidores não conseguem comprar 46% dos produtos de alimentos e bebidas que desejam

A cesta de bens de consumo massivo (FMCG) também apresenta crescimento, sobretudo nas categorias de alimentos saudáveis (frutas, verduras, legumes) e produtos de limpeza (água sanitária, álcool). A ideia de estocar itens de necessidade básica impactaram diretamente os setores de alimentos, higiene, limpeza e bebidas.

Pesquisa Kantar 2

A penetração em atacarejos e hipermercados também registrou alta de 35% e 18%, respectivamente. O mesmo cenário otimista é observado no consumo online, já que 15,3% dos consumidores optaram por comprar itens de cuidados pessoais por e-commerce das redes.

O estudo completo da Kantar pode ser acessado aqui.