Redação E-Commerce Brasil

Amazon apela ao Congresso para criar lei contra preços abusivos na pandemia

Segunda-feira, 25 de Maio de 2020   Tempo de leitura: 4 minutos

A Amazon recebeu uma boa quantidade de críticas por inércia percebida contra os preços dos vendedores durante a pandemia de Covid-19. Embora a gigante do varejo tenha se esforçado para conter a atividade oportunista (retirando cerca de meio milhão de postagens ofensivas), os críticos apontaram a lenta resposta da empresa, juntamente com problemas contínuos com vários produtos de alta demanda vendidos através de afiliadas.

No entanto, o vice-presidente de políticas públicas da empresa, Brian Huseman, escreveu uma carta aberta ao Congresso, pedindo aos parlamentares que tornassem ilegal a goivagem de preços durante uma crise nacional.

A goivagem de preços ocorre quando um vendedor aumenta os preços de bens, serviços ou mercadorias para um nível muito mais alto do que o considerado razoável ou justo. O executivo observa que a política tem sido uma ferramenta eficaz em estados como o Tennessee, onde essas leis já existem.

“Nossos esforços de colaboração para responsabilizar os compradores de preços esclareceram uma coisa: para acompanhar o ritmo de maus atores e proteger os consumidores, precisamos de uma forte lei federal de proteção de preços”, escreveu Huseman.

“A partir de agora, a goivagem de preços é proibida em tempos de crise em cerca de dois terços dos Estados Unidos. Os padrões díspares entre os estados representam um desafio significativo para os varejistas que trabalham para ajudar a aplicação da lei, proteger os consumidores e cumprir a lei”, afirmou o executivo na carta.

Jeff Bezos também abordou a questão em sua carta anual de acionistas no mês passado, escrevendo: “Para acelerar nossa resposta a incidentes de corrupção de preços, criamos um canal de comunicação especial para os procuradores gerais do Estado, para rápida e facilmente encaminhar as reclamações dos consumidores para nós”.

Contas suspensas na Amazon

A empresa certamente fez alguns esforços para conter o ato. Como observa, quase 4.000 contas de vendedores foram suspensas na loja dos EUA por violações da política. Mas uma pesquisa superficial de produtos sob demanda gera muitas listagens proibitivamente caras para produtos domésticos outrora onipresentes. Os suprimentos de limpeza doméstica, em particular, viram um aumento maciço nos preços.

Como as prateleiras das lojas de varejo ficaram vazias, a Amazon se tornou uma tábua de salvação essencial para muitos — um fato que muitos vendedores predadores ficaram mais do que felizes em capitalizar. Além dos suprimentos essenciais, os preços ultrapassaram o limite de vários produtos atualmente em baixa demanda.

A Amazon observa com razão que a aplicação de tais políticas como uma questão de lei será uma espécie de ato de malabarismo. “Simplificando, queremos evitar a garrafa de Purell de US$ 400 à venda logo após uma emergência entrar em vigor, sem punir aumentos inevitáveis ​​de preço que emergências podem causar, principalmente porque as cadeias de suprimentos são interrompidas”, escreve Huseman.

“Além disso, todas as proibições devem ser aplicadas a todos os níveis da cadeia de suprimentos, para que varejistas e revendedores não sejam obrigados a suportar aumentos de preços por fabricantes e fornecedores”, completa Huseman.

As informações são do Techcrunch

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.