Redação E-Commerce Brasil

Amazon suspende quase 4 mil contas por abuso de preços nos EUA

Terça-feira, 24 de março de 2020   Tempo de leitura: 2 minutos

A Amazon informou que suspendeu milhares de contas de vendedores devido à prática de preços abusivos durante a pandemia de coronavírus.

A operadora do maior marketplace online dos Estados Unidos disse que retirou mais de meio milhão de ofertas do site e suspendeu mais de 3,9 mil contas de vendedores no país que violaram políticas de preço justo.

A Amazon também anunciou ter designado uma equipe para identificar e investigar produtos com preços abusivos e que estão em alta demanda, como máscaras de proteção e álcool gel.

“Também compartilhamos informações proativamente com procuradores-gerais e reguladores federais sobre vendedores que suspeitamos terem praticado flagrante abuso de preços de produtos relacionados à crise da Covid-19”, segundo a empresa em comunicado na segunda-feira (23).

Inflação na Amazon

Desde que o surto de coronavírus começou a se espalhar nos EUA, aumentou a procura por produtos como álcool gel, papel higiênico, lenços com alvejante, carne e sopa enlatada. Algumas pessoas tentam vender produtos de limpeza e outros suprimentos a preços inflacionados na Amazon, eBay e outros sites.

Na segunda-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma ordem executiva para evitar estoque exagerado e aumento de preços de suprimentos.

Leia também: Deputado quer tornar crime o aumento de preços durante a pandemia

As informações são do Money Times

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.