Logo E-Commerce Brasil

Como se preparar para a Black Friday 2023?

Por: Gustavo Chapchap

Graduado em Marketing com especialização em Gestão de Projetos, trabalha com comunicação há mais de 20 anos e com <nowrap>e-commerce</nowrap> desde 2006. Redigiu o projeto que originou o Dia do Profissional Digital #404DigitalDay aprovado no plenário da Câmara Municipal da Cidade de São Paulo em 2014. Colaborou com o lançamento do Guia de e-Commerce ABRADi-SP Sebrae-SP escrevendo o capítulo de plataformas, atua como CMO na JET. Em 2019 foi premiado como MVP no Fórum E-Commerce Brasil.

Consolidada no calendário do varejo, a Black Friday deve exigir atenção redobrada das empresas em 2023. Ainda que as expectativas sejam boas para a liquidação, é importante que as operações invistam melhor no planejamento das ações para o período.

Primeiro, porque trata-se de uma excelente oportunidade para movimentar os negócios e, assim, equilibrar o faturamento.

Faltando três meses para a BF, as empresas têm tempo para desenvolver estratégias adequadas para o período, mas é preciso valorizar abordagens que ajudem a marca a estreitar o seu relacionamento com seu público.

O ano de 2023 não tem sido fácil, em razão do cenário econômico, o que significa que muitas empresas estão aguardando a data para reduzir os estoques.

Do lado do consumidor, há também a expectativa de que aquela compra adiada durante o ano, por causa da falta de dinheiro, possa ser concretizada com as promoções realizadas no período. Para isso, contudo, as empresas terão que oferecer boas condições e, principalmente, desenvolver estratégias que ajudem a destacar o produto da concorrência.

Por que investir na Black Friday 2023?

Na hora do planejamento para a liquidação deste ano, é importante levar em consideração a relevância do evento.

Desde que chegou ao país, em 2012, a data acumula recordes de vendas todos os anos. A exceção foi 2022: pela primeira vez na história da liquidação, os resultados ficaram abaixo do esperado. Segundo relatório da Neotrust, o e-commerce teve um faturamento de R$ 6,1 bilhões, valor que representou uma queda de 23% em comparação com 2021.

Uma das razões foi o fato de o evento ter coincidido com a realização da Copa do Mundo, o que prejudicou as ações promocionais, uma vez que o consumidor acabou ficando mais disperso. Considerando que esse foi um aspecto mais pontual, a expectativa para 2023 é de que o evento volte a crescer.

Contudo, se temos um consumidor mais cauteloso em 2023, esse comportamento deve se manter nas compras durante a liquidação. Ainda analisando as condições que serão enfrentadas pelo varejo, não deve haver, também, grandes alterações no tipo de compra.

Na Black Friday 2022, os segmentos com maior número de pedidos foram Moda e Acessórios, Beleza e Perfumaria, Alimentos e Bebidas, Ar e Ventilação e Utilidades Domésticas. Em termos de faturamento, os cinco segmentos que mais se destacaram foram: eletrodomésticos, eletrônicos, telefonia, moda e acessórios, e informática.

Quais devem ser as estratégias para a BF 2023?

Outros dados importantes sobre o evento e que devem ser analisados com atenção na elaboração das estratégias para 2023:

– o ticket médio foi de R$ 733,07 (6% abaixo do registrado na última edição). Trata-se de uma informação importante, uma vez que o ideal é que haja um aumento no valor gasto, principalmente se levarmos em conta que convivemos com inflação em alta no último ano. A elevação do ticket médio, contudo, exige ações específicas, como a oferta de kits de produtos e o emprego de ferramentas que ajudem o cliente a visualizar outras opções no momento da compra.\
– apesar do crescimento no emprego do Pix, a forma de pagamento mais utilizada em 2022 foi o cartão de crédito. A expectativa é de que este ano a nova modalidade continue avançando. Contudo, os especialistas têm alertado sobre a necessidade de se reforçar as medidas de segurança, até por ser um período no qual temos também crescimento nas tentativas de fraudes.
– confirmando uma das características importantes da Black Friday, os pedidos com frete grátis representaram 64% das compras feitas no evento. Esse é um aspecto que geralmente se destaca no comportamento do consumidor online e, na liquidação, ele pode influenciar bastante na decisão de compra. Portanto, na elaboração das estratégias, deve-se analisar com atenção essa possibilidade.
– outro fator que precisa ser considerado, até para a adequação das estratégias: as mulheres foram maioria nas compras de Black Friday 2022, com uma participação de 60,4% nos pedidos. O segmento feminino tem particularidades que devem ser respeitadas para se explorar adequadamente o potencial de vendas.

Como se preparar para a liquidação?

Além desses aspectos mais pontuais, baseados na análise sobre o comportamento do público no evento de 2022, a preparação para a Black Friday deve envolver muito planejamento. Se o objetivo é fazer com que a loja virtual venda mais no período, é fundamental avaliar todos os fatores que influenciam na decisão de compra dos clientes.

Alguns pontos importantes devem ser considerados quando refletimos sobre a relevância do digital nesse processo:

– o e-commerce tem um potencial maior do que o ponto físico nesse momento, visto que os consumidores se acostumaram a comprar online e, como têm confirmado os estudos, não pretendem abrir mão dessa conveniência.
– para o varejo, trata-se de uma excelente oportunidade para se conquistar clientes novos, aproveitando que a mídia pauta a data com bastante ênfase e, com isso, consegue impactar até quem não está muito atento.
– o sucesso das estratégias está atrelado a vários fatores, mas é fundamental redobrar a atenção com algumas questões. Por exemplo, as promessas de entregas rápidas. Esse é um gatilho interessante para esse período. Muitas lojas promovem produtos nessa época, mas a entrega tem um prazo maior do que o convencional. Então, quem conseguir se destacar nesse ponto tende a levar vantagem sobre a concorrência.

Separamos algumas dicas para quem está iniciando os preparativos para o evento:

Comportamento do consumidor

A pandemia gerou mudanças importantes no comportamento do consumidor, e elas devem ser bem estudadas na elaboração das estratégias.

Um dos aspectos que se consolidaram é a relação dos clientes com o digital. Vale lembrar que, ainda que a compra não aconteça nesse ambiente, ele hoje faz parte da jornada de consumo.

Devemos considerar, também, a necessidade de diversificar as ofertas. Sim, algumas categorias costumam ser mais procuradas no período da liquidação, mas essa também é uma oportunidade para fazer com que o público tenha novas experiências.

Assim, e-commerces de nicho, por exemplo, podem aproveitar a BF 2023 para direcionar ofertas diferenciadas. Por que não aproveitar o evento para promover as vendas recorrentes? Tem crescido a adesão para outros modelos de compra, e uma ação promocional que destaque isso pode ser uma saída para não insistir, necessariamente, na guerra de preços.

No último ano, foram intensificados os debates sobre o emprego dos recursos de inteligência artificial para tornar as operações de e-commerces mais eficientes. Nesse sentido, o uso de realidade virtual e aumentada, assistentes virtuais e outras soluções tecnológicas pode ser um importante aliado das empresas.

Hoje, a experiência de compra tem um papel decisivo para o consumidor, então, vale a pena investir em alternativas que permitam, por exemplo, personalizar as experiências.

Os dias que antecedem a Black Friday têm alto tráfego na internet. Portanto, faz todo o sentido que as empresas desenvolvam estratégias inovadoras e que ajudem a destacar a marca da concorrência.

Além desse planejamento mais cuidadoso, visando superar as expectativas do cliente, vale também atentar para estas dicas básicas:

Precificação. Tradicionalmente, os consumidores estão atrás de boas ofertas nesse período. Portanto, é essencial estudar bem o portfolio de produtos e escolher quais poderão ser mais bem trabalhados. As negociações com os fornecedores devem ser realizadas com antecedência, de forma que o e-commerce possa oferecer condições realmente especiais, sem prejudicar, obviamente, as margens do seu negócio.
Descrição de produtos. A concorrência é acirrada no período. Portanto, é preciso obter vantagens competitivas. Boas descrições de produtos cumprem essa função. A aplicação das técnicas de SEO pode garantir resultados melhores na busca orgânica. E, para o momento da compra, um trabalho adequado nessa área assegura que o cliente saiba exatamente o que está comprando.
Ações promocionais. Além de preparar de forma apropriada as ações promocionais, elas devem ser comunicadas com eficiência. No e-commerce, a ambientação da liquidação depende dos banners e da criação de páginas especiais para destacar os itens em oferta.
Estratégias de retenção. Sim, o foco da Black Friday é o aumento de vendas no período, mas isso não significa que a loja virtual deva ignorar a importância das estratégias de retenção. Explorar a base de clientes conquistada nessa época é uma das garantias de que a operação vai conseguir valorizar a recompra e trabalhar para que aquele cliente se torne um promotor da marca.

Faltando três meses para a Black Friday 2023, as empresas têm tempo para desenvolver estratégias adequadas para o período, focadas no aumento da conversão. Mas é preciso ter foco e valorizar abordagens que ajudem a marca a estreitar o seu relacionamento com seu público.