Publicidade: Banner
Logo E-Commerce Brasil

Páscoa 2022 deve ser 10% maior para o e-commerce

O ano de 2022 deve ser marcado pela retomada das vendas de Páscoa, com aumento de 10% no faturamento nas vendas online, que deve atingir R$ 6,6 bilhões. São consideradas as vendas de bombons, chocolates, ovos de Páscoa​, artigos religiosos (Corpus Christi)​ e de combos com vinhos e flores. A projeção é da Neotrust, empresa que monitora mais de 85% do e-commerce brasileiro, que pertence ao TGroup.

Em 2021, apenas as vendas de ovos de Páscoa, chocolates e bombons geraram faturamento de R$ 81,9 milhões, montante 87% maior que os R$ 43,7 milhões faturados em 2020. Essa diferença foi ainda maior no comparativo entre 2020 e 2019, quando o faturamento atingiu R$ 5,4 milhões — o que representa aumento de 697% em 2020.

Proporcionalmente, o número de pedidos e de produtos comprados online durante a Páscoa também aumentou desde o início da pandemia. Em 2021, foram realizados mais de 840 mil pedidos online de ovos de Páscoa, chocolates e bombons, o que equivale a 164% mais do que os 318 mil pedidos de 2020. No comparativo com 2019, quando foram realizados 44 mil pedidos online, o crescimento foi de 614% em 2020.

Em 2021 foram comprados mais de 6 milhões de chocolates, bombons e ovos de Páscoa, que representa um aumento de 144% em relação aos 2,4 milhões de produtos em 2020. Já no comparativo com 2019, quando foram comprados 208 mil chocolates, bombons e ovos de Páscoa, o crescimento em 2020 foi de 1091%.

Leia também: 88% dos brasileiros têm a intenção de comprar algum produto na Páscoa

Vendas de ovos de Páscoa cresceram menos

“As compras online de ovos de Páscoa cresceram menos em 2021 do que as de chocolate e bombons. Mesmo assim, essa continua sendo a categoria de produtos mais vendida no período”, ressalta Paulina Dias, Head de Inteligência da Neotrust.

Em 2021, o faturamento do e-commerce com ovos de Páscoa ultrapassou R$ 55,6 milhões, contra os R$ 32,2 milhões faturados em 2020. Já o faturamento com chocolates ultrapassou R$ 20,4 milhões, contra os R$ 8,5 milhões faturados em 2020. E o faturamento com bombons ultrapassou R$ 5,9 milhões, contra os R$ 2,9 milhões faturados em 2020.

Mais compras ao longo do ano e em supermercados

“Ao longo dos anos, observamos uma sazonalidade interessante em relação às compras online de bombons, chocolates e ovos de Páscoa. Enquanto em 2019 o pico de vendas foi apenas na Páscoa, em 2020 houve picos de venda na Páscoa e em maio. Já em 2021, foram constatados três picos: na Páscoa, em novembro (Black Friday) e em dezembro”, aponta Paulina Dias.

“Também é importante ressaltar que os supermercados são os canais online mais buscados para as compras de Páscoa. Contudo, as lojas de departamento vêm ganhando força em todo o país, com destaque na região Sudeste”, destaca a Head de Inteligência da Neotrust.

Fonte: Neotrust

Publicidade: Banner