Publicidade: Banner
Logo E-Commerce Brasil

Vendas de e-commerce seguem acelerando no 3º trimestre, diz B2W

Por: Dinalva Fernandes

Jornalista

Jornalista na E-Commerce Brasil. Graduada em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi e pós-graduada em Política e Relações Internacionais pela FESPSP. Tem experiência em televisão, internet e mídia impressa.

A B2W mantém expansão de vendas no terceiro trimestre após o crescimento explosivo de abril a junho, apoiado em parte pela integração de plataformas de produtos de supermercados em seu ecossistema.

A dona dos sites Americanas e Submarino anunciou no começo do ano a compra Supermercado Now, especializada em venda online. No segundo trimestre, a categoria passou a ser a maior em número de itens vendidos, pegando carona nas medidas de isolamento social e superando produtos tradicionais do varejo digital como celulares.

“No primeiro trimestre, a categoria mais vendida em unidades foi a de celulares, mas no segundo trimestre foi tomate, banana e limão”, disse o diretor de relações com investidores da B2W, Raoni Lapagesse, em teleconferência com analistas.

Mais do que adicionar clientes novos, a categoria de supermercado tem incentivado crescimento na frequência das compras online, disse o executivo. Segundo ele, enquanto a média de compra dos consumidores em supermercados é de duas vezes por mês, a média no varejo online do país é de duas vezes por ano.

Lapagesse disse que a B2W começou nesta semana a integrar lojas da rede de supermercados BIG, anteriormente operada pelo Walmart no Brasil. Até agora, as entregas na categoria estavam limitadas a São Paulo e Rio de Janeiro, mas com a parceria a B2W expandirá essa atuação para 10 estados do país.

Crescimento com prejuízo

A companhia divulgou na noite da véspera prejuízo de R$ 74,6 milhões no segundo trimestre, ante resultado negativo de R$ 127,6 milhões um ano antes. As vendas brutas, incluindo próprias e de terceiros, subiram 72,2%.

“Não há nenhum sinal de desaceleração ante o segundo trimestre”, disse Lapagesse, acrescentando que a B2W segue comprometida com a rentabilidade de suas vendas.

As ações da B2W, porém, lideravam as perdas do Ibovespa na sexta-feira (14), recuando 6,8% às 14h13, enquanto o índice avançava 0,8%. A ação da companhia acumula valorização de 215,25% desde as mínimas em março até a quinta-feira.

Segundo o diretor de relações com investidores da B2W, o segundo trimestre mostrou um “ponto de inflexão no nosso crescimento”, de modo que a empresa avalia que as vendas da empresa vão seguir em ritmo “exponencial” nos próximos meses.

A brusca aceleração do comércio eletrônico após as medidas de isolamento social no país tem levado a reboque uma série de setores em seu entorno. Empresas de logística estão ampliando frotas de caminhões, enquanto fabricantes de papéis para embalagens estão registrando ampliação da demanda.

O desempenho do setor tem incentivado a B2W a acelerar seus planos, que incluem meta de atingir mais de 50% das entregas de produtos no mesmo dia do pedido do cliente até 2022. No segundo trimestre, o índice foi de mais de 30%.

Lapagesse afirmou ainda que a “faz sentido” para a B2W continuar avaliando aquisições e parcerias estratégicas em novos segmentos do comércio eletrônico.

Leia também: Marketplace: B2W e Multiplan fecham parceria para integrar lojistas de shopping

As informações são da Reuters

Publicidade: Banner