Logo E-Commerce Brasil

Chega ao Brasil a Vinteconto: plataforma de "tarefas" e micro serviços

Por: Eduardo Mustafa

Graduado em 'Comunicação Social - Jornalismo' com experiência em negócios, comunicação, marketing e comércio eletrônico e pós-graduado em 'Jornalismo Esportivo e Gestão de Negócios'. Foi editor do portal E-Commerce Brasil, do Grupo iMasters (2015 /2016), e atualmente é executivo sênior de contas na Gume

A Vinteconto é uma plataforma pioneira no Brasil de compra e venda de tarefas e micro serviços, com preços fixos, em sua maioria por R$20,00. Assim, empresas, estudantes e profissionais liberais, podem contratar os mais variados serviços e especialistas, desde modelos, dançarinos, cantores, locutores, artesãos e conselheiros, além de designers, programadores, especialistas em marketing, até às pequenas tarefas do dia a dia, como por exemplo, a criação de um currículo.

Trata-se de uma plataforma de venda instantânea, uma vez que cada micro serviço oferecido pelos freelancers possui um valor fixo em sua página, geralmente começando por R$20,00. Uma das grandes vantagens da comunidade Vinteconto está na agilidade e praticidade com que o cliente pode comprar o serviço, ao invés de pedir vários orçamentos. O cliente procura pelo tipo de serviço ou tarefa, compra, recebe o job e então deixa a avaliação do serviço para o freelancer, compartilhando sua experiência com a comunidade. É possível também fazer um pedido especial e personalizado, através da opção de mensagem ao vendedor.

“A venda por preços fixos facilita e agiliza a vida do cliente e do freelancer, já que não existe aquele problema que o freelancer tem de passar o dia enviando propostas aos clientes e todas aquelas negociações chatas das plataformas que existem hoje no mercado brasileiro”, explica a fundadora e CEO da Vinteconto, Brandy L. James.

A ideia de criar uma plataforma de compra e venda de tarefas e micro serviços, surgiu da visão da empresária fluminense, naturalizada inglesa, para oferecer uma oportunidade de remuneração a um contingente cada vez maior de profissionais que decidiram trabalhar por projeto, o chamado freelancer. “Abrimos as portas para a venda de quaisquer tipos de serviços, sem exclusões, permitindo a todos os profissionais brasileiros terem uma oportunidade de ganhar uma renda extra com o que sabem fazer de melhor”, afirma Brandy.

Com as redes sociais, h uma demanda crescente para todos os tipos de serviço que possam ser gravados em vídeo ou registrados em fotos, “É só saber usar a criatividade”, comenta a empresária.

A todo o vapor
Lançada há três meses, a plataforma Vinteconto já alcançou as impressionantes mil tarefas disponíveis. E quando se fala em metas, Brandy lança uma projeção bastante otimista: “Nós estamos esperando atingir a marca de 15 mil usuários para fechar este ano de 2016, entre freelancers e clientes”.

Esses números refletem o que os economistas costumam chamar de a recessão mais longa da história do país. Pois, na avaliação dos especialistas, depois de um 2015 movimentado, a expectativa para 2016 é de mais dificuldades e incertezas.

É justamente por isso, que existe este movimento de expansão de freelancers e trabalho autônomo. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2015, trabalharam por conta própria, um contingente de 19,4% dos trabalhadores.

“Nós investimos no freelancer individualmente, fazemos propagandas e expomos o portfólio dos nossos freelancers em redes sociais, entre outras mídias. Muitos clientes vão diretamente na página do freelancer para comprar, alguns deles acabam até virando clientes fixos”, conta a executiva.