Projeto mantido por:

Intermediários de Pagamentos: o que são e como escolher

por Flávio Rodrigues Maciel Quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Bandeiras dos meios de pagamentos

Também chamados de intermediadores ou facilitadores de pagamentos, o próprio nome já antecipa em parte o que fazem.

Eu os chamo de pacote completo para micro e pequenas lojas virtuais, pois basicamente oferecem o seguinte:

  • Diversos meios de pagamento sem complicação
  • Garantia contra fraudes
  • Capital de giro
  • Conciliação financeira simplificada

Intermediários não são gateways de pagamentos. Gateway é um outro tipo de sistema de pagamentos bem diferente, tratado neste artigo.

Principais características

Intermediários de pagamentos ajudam lojas virtuais da seguinte forma:

Meios de pagamento sem complicação   |   Diversos meios de pagamento online por cartão de crédito, débito online e boleto sem necessidade de realizar convênios com bancos e operadoras de cartão.

Implantação rápida com telas prontas  |   As diversas telas prontas de carrinho de compra e de checkout oferecidas tornam muito simples a implantação do sistema na loja virtual.

Compatível com inúmeras plataformas  |  Pela grande popularidade desses sistemas, praticamente qualquer tipo de plataforma de venda online oferece algum intermediário de pagamento pré-integrado ou um módulo pronto de fácil instalação.

Garantia contra fraudes   |   O próprio intermediário faz o controle de fraudes pela loja e assume os riscos de fraude de todas as vendas que forem aprovadas, reservando-se o direito de negar aquelas que considerar suspeitas.

Parcelamentos e capital de giro   |   Qualquer loja consegue vender em 12x no cartão de crédito e, mesmo assim, o valor é depositado em até 14 dias na conta do estabelecimento.

Conciliação financeira simplificada   |   O painel de controle do intermediário permite identificar com facilidade e de forma centralizada todos os pagamentos que foram aprovados e e todos os que foram depositados na conta do estabelecimento.

Quanto custam e como contratar

Todos estes serviços agregados possuem custos que se refletem na taxa por transação: 5,4% a 7% para vendas por cartão de crédito e 1,9% a 2,9% para vendas por boleto e débito.

Por outro lado, são sistemas muito fáceis de utilizar: você cria uma conta gratuitamente no site do intermediário, faz a integração com a sua loja (dependendo da plataforma, a integração já está pronta ou existe algum módulo para facilitar) e começa imediatamente a vender.

Para quem servem e para quem NÃO servem

Há muitos anos trabalhando especificamente com sistemas de pagamento, posso afirmar que as principais reclamações de quem usa intermediário de pagamentos são:

  • Carrinhos abandonados por o pagamento ser realizado fora do site, com telas e cadastros adicionais
  • Vendas perdidas por serem negadas pelo intermediário
  • Taxas altas
  • Demora na aprovação das vendas
  • Todo intermediário de pagamento padece destes mesmos problemas, inerentes ao seu modelo de negócio, que normalmente são percebidos ou agravados quando a loja virtual começa a crescer.

    Por essas características, são a principal opção para lojas virtuais pequenas ou que precisam começar logo a vender, mas poucos adequados para lojas maiores que normalmente optam por um gateway de pagamento ou até pela integração direta com as operadoras.

    Claro que esta não é uma regra, já que mesmo assim conheço lojas virtuais de maior porte que preferem intermediário e pequenas lojas que consideram um gateway mais adequado.

    Como escolher

    Intermediários de pagamentos, embora não sejam todos iguais, tem todos uma maneira de trabalhar muito parecida, o que facilita a comparação.

    Ao escolher, além de comparar taxas e prazos de depósito, considere também os seguintes fatores:

    • Qual o prazo médio de aprovação dos pagamentos?
    • Qual a taxa média de reprovação de vendas?
    • Quão amigável ficará o checkout para o seu cliente?
    • Qual a eficiência e a agilidade do atendimento?

    Principais intermediários de pagamentos

    PagSeguro    Moip Paypal
    MercadoPago

    Há outras alternativas, mas prefiro destacar apenas os principais  e que são comprovadamente confiáveis.

    E agora?

    Entenda também como funcionam os gateways de pagamentos.

    E lembre que você não é obrigado a pagar por um sistema de pagamentos se não quiser. Saiba como “economizar” criando seu próprio sistema de pagamentos.

    Ficou alguma dúvida? Tem alguma contribuição para fazer? Comente e ajude a enriquecer este material.

    Você recomendaria esse artigo para um amigo?

    Nunca

     

    Com certeza

    Deixe seu comentário

    6 comentários

    Comentários

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Comentando como Anônimo

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    1. Olá, gerencio uma loja e tive algumas experiências com alguns intermediários de pagamentos não vou citar o nome mas tivemos um grande percentual de checkout abandonado por estes meios de pgto., segundo informações prestadas por nossos clientes o motivo seria a alta taxa de juros cobrado pela intermediadora ou seja no redirecionamento para finalização do pgto foi apresentado que seria juros de 1.99% a.m., mas na verdade sabemos que não é assim. As intermediadoras utilizam uma tabela price com juros compostos que no final das contas o cliente acaba pagando quase o dobro do valor. Por este motivo segundo estudo feito os clientes ja sabem desta tabela aplicada e lojas que estão com estes meios de pgto não estão sendo aceitas mas pelos clientes.

      Responder
    2. ola boa noite ,estou pra iniciar no e-commerce e estou com duvidas entre quais empresas de pagamento devo utilizar ,se uso apenas uma..ou se uso tres.. sendo uma gateway e duas intermediadoras, oque devo fazer ?qual a dica que voçes podem me dar a respeito disso?

      Responder
      1. Luis,
        se você está começando, minha sugestão é NÃO utilizar gateway.
        Intermediário é a melhor solução para começar pois não há burocracia, não há risco de fraude e os processos são muito simples.
        Quem está começando tem outras preocupações, inclusive de validar se o negócio vai mesmo dar certo.
        Mudar para um gateway é adequado quando o negócio já está funcionando e você consegue colocar seus custos na ponta do lápis.

        Sobre usar mais de um intermediário, pode fazer sentido. Mas sugiro que você primeiramente opte por aquele que lhe oferecer melhores condições e que no dia-a-dia mostrar-se mais eficiente (menos vendas perdidas, aprovação mais rápida, etc).

        A possibilidade de pagamento sem sair da loja virtual é um dos itens mais importantes neste aspecto, pois só isso pode aumentar as vendas em até 30%.

        Lojas que usam a plataforma Magento, por exemplo, que usam nossa solução de checkout expresso com pagamento sem sair da loja, duplicaram as vendas.
        http://www.ipagare.com.br/blog/magento-commerce/loja-magento-magic-nails-dobrou-vendas/

        Se você sentir que este intermediário está atrapalhando seus negócios, contrate outro e então é válido experimentar os dois ao mesmo tempo.

        O comprador, às vezes, de fato prefere um intermediário ao outro. Mas na maior parte das vezes, o que o comprador realmente só quer é pagar. E o intermediário deve ajudar, e não atrapalhar, a venda.

        Abraços

        Responder
    CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER