Logo E-Commerce Brasil

E-commerce de serviços: como vender pela internet

Por: Susi Herdy

Head Business na Enext

Constante aprendiz e apaixonada pelo mercado digital. Graduada em Publicidade e Propaganda com especialização em Gestão de Projetos e certificada pela VTEX (Sales e Project). Tem mais de 12 anos de experiência no mercado digital, prestando consultorias para <nowrap>e-commerce</nowrap>s que desejam entrar no online, coordenando equipes de mídia, SEO e CRO, gerenciando projetos de implantação B2B e B2C, e atuando ativamente em mais de 100 projetos da VTEX. Em 2021, foi indicada ao prêmio Mulheres no E-commerce, da ABComm, e conquistou o 3º lugar na categoria Operação E-commerce. Está sempre em busca de conhecimento para entender e aprender sobre as tendências do mercado digital.

De produtos a serviços, encontramos absolutamente tudo pela internet. Comumente, um e-commerce comercializa produtos, mas já existem também aqueles focados em oferecer diferentes tipos de serviços.

Devido à transformação do mercado e às diversas demandas de consumo, muitos prestadores de serviços entenderam a necessidade de expandir o negócio para o digital.

Diferentemente de um e-commerce de produtos, em um e-commerce de serviços, os clientes adquirem serviços que podem ser prestados de forma presencial ou remota.

O e-commerce para serviços vem se destacando como uma tendência cada vez mais forte. De acordo com uma pesquisa realizada pela Ebit Nielsen em parceria com a Elo, em 2020, o segmento de serviços foi responsável por 7,5% das vendas totais do comércio eletrônico no Brasil, movimentando aproximadamente R$ 9,7 bilhões, um aumento de 43% do faturamento se comparado ao ano anterior.

De fato, a pandemia impulsionou esse crescimento, e a expectativa é de que o setor continue em expansão, principalmente com o apoio das novas tecnologias e a possibilidade de a empresa oferecer serviços cada vez mais personalizados e que atendam às necessidades de cada cliente.

O que é um e-commerce de serviço

Nada mais é do que uma plataforma online que permite a venda de serviços pela internet.

Diferentemente de um e-commerce de produtos, no qual os clientes compram produtos físicos que serão entregues em casa, em um e-commerce de serviços, os clientes adquirem serviços que podem ser prestados de forma presencial ou remota.

Um dos grandes desafios desse mercado é a intangibilidade dos serviços, ou seja, eles não são palpáveis. Por isso, é importante que a plataforma ofereça informações claras e detalhadas sobre as atividades e a precificação, assim como facilitadores para contratação e pagamento, além de um ótimo atendimento ao cliente.

Existem diversas ferramentas e tecnologias que podem auxiliar nesse processo e entregar soluções seguras e eficientes.

É também fundamental que os serviços oferecidos estejam alinhados com as expectativas do público-alvo, para que a reputação da marca seja mantida e novos clientes sejam conquistados.

Segmentando o público-alvo

Definir um público para o e-commerce de serviço e encontrar um modelo de mercado são pontos-chave para o sucesso do negócio, pois permitem focar as estratégias e as vendas em um grupo específico.

Empresas que oferecem serviços para outras empresas (B2B) lidam com transações potencialmente mais lucrativas e conexões mais duradouras, por isso precisam considerar aspectos como qualidade, inovação, criação de parcerias e gerenciamento de relacionamento, por exemplo.

Já em um e-commerce em que os serviços são prestados para os consumidores finais (B2C), a atenção se volta para estratégias de personalização dos serviços, experiência do cliente, programas de fidelidade, clubes de assinatura, ofertas especiais e atendimento de qualidade.

Como vender os serviços online

Tanto o e-commerce quanto o marketplace são canais potentes para vender os serviços na internet. Enquanto o primeiro é baseado em uma plataforma própria, o segundo funciona como um grande shopping virtual, reunindo diversos profissionais e conectando as ofertas com as demandas.

No e-commerce, o empreendedor é responsável por toda a gestão e processo de venda do serviço por meio de uma plataforma própria. Já no marketplace, cada profissional é encarregado de cuidar da sua vitrine e prestar o serviço oferecido, levando em consideração que a plataforma oferece toda a estrutura da loja.

Nesse formato, além de vender os próprios serviços, é possível intermediar outras vendas, gerando oportunidades para quem deseja empreender. Ao contrário do que muitos acreditam sobre a necessidade de criar o próprio marketplace, atualmente existem plataformas que oferecem soluções completas, com rápida implementação e preços acessíveis.

Para vender serviços online, existe ainda a possibilidade de desenvolver uma landing page com informações relevantes sobre as tarefas oferecidas, preços e botão para a ação do cliente. É preciso esclarecer que não existe um modelo ideal, todas as opções têm características únicas que precisam ser analisadas e relacionadas com o momento e os objetivos do empreendedor ou profissional.

O que fica são as diversas possibilidades que o e-commerce de serviços traz ao mercado, garantindo resultados significativos para empresas de diferentes portes e setores, bem como para profissionais autônomos e empreendedores. A venda de serviços pela internet pode ser muito eficaz quando utilizamos as técnicas e as tecnologias certas. A estratégia ainda é uma oportunidade de expandir o negócio, mas em breve poderá ser uma necessidade.