Logo E-Commerce Brasil

Navegação móvel triplica em dois anos, aponta relatório

Por: Vivianne Vilela

Diretora de Conteúdo do E-Commerce Brasil

Vivianne Vilela atua como Diretora de Conteúdo, do E-Commerce Brasil há mais de 11 anos. É responsável pela curadoria dos eventos, dentre eles o Fórum E-Commerce Brasil (maior evento de <nowrap>e-commerce</nowrap> das Américas). Passou mais de 7 anos trabalhando em projetos nacionais para promover a inclusão, transformação e expansão no uso da tecnologia dos pequenos negócios no Brasil pelo Sebrae Nacional.

A navegação via dispositivos móveis triplicou nos últimos dois anos, de acordo com estatísticas de uma empresa de métricas web.

Esse avanço é, em parte, um efeito colateral de uma recessão global em vendas de computadores pessoais – como as pessoas cada vez mais compram smartphones e tablets, usam esses dispositivos para navegar em vez do PC. No mês passado, o uso de navegadores móveis subiu 1,4 ponto percentual, respondendo por 13,2% de todos os visitantes dos 40 mil sites monitorados pela Net Applications.

O salto em fevereiro foi em cima de um aumento de um ponto percentual em janeiro e meio ponto em dezembro. Nos últimos três meses, o uso de navegadores móveis subiu 2,8 pontos percentuais, o que representa uma subida de 26% desde novembro de 2012.

As tendências de longo prazo são ainda mais impressionantes: Nos últimos 12 meses, o uso de browsers móveis quase dobrou, e, nos últimos 24 meses mais do que triplicou.

Os ganhos na parte móvel vieram à custa do que a Net Applications define como “desktop”, uma categoria que inclui tanto a PCs e notebooks. A navegação por esses aparelhos caiu 3,1 pontos percentuais nos últimos três meses, e 6,3 pontos nos últimos 12 meses.

Safari no lucro
O navegador móvel que mais cresceu tem sido o Safari, da Apple.

O Safari respondeu por 55,4% de todos os navegadores móveis usados em fevereiro, à frente do cliente-padrão do Android (com 22,8%), Opera Mini (12,7%), e muito, muito à frente do Chrome (2%) e IE (1,6%).

O domínio móvel da Apple – o Safari é usado duas vezes mais que o navegador do Android, apesar de smartphones e tablets Android venderem muito mais que os iOS – deu-lhe uma fatia total (desktop-móvel) de 12% mês passado.

Os browsers do Google, por sua vez, responderam por 17,3% de todo o uso, enquanto a Microsoft e Mozilla terminaram fevereiro com 48,3% e 17,3%, respectivamente.

Em palavras mais simples, a participação da Apple no setor é muito mais próxima, tanto do Google quanto da Mozilla, do que os números indicam quando se trata somente de desktop.

E o provável crescimento do uso do navegador móvel só vai ser uma boa notícia para a Apple, assumindo que o Safari mantenha a supremacia. Se os navegadores móveis continuarem a ganhar terreno pela média de 12 meses, vão assumir 20% de toda a navegação até abril de 2014.

 

Por: IDGNow