Logo E-Commerce Brasil

Brasileiros nascidos entre 1980 e 1995 valorizam marcas abertas à interação real com os consumidores.

Por: Vivianne Vilela

Diretora de Conteúdo do E-Commerce Brasil

Vivianne Vilela atua como Diretora de Conteúdo, do E-Commerce Brasil há mais de 11 anos. É responsável pela curadoria dos eventos, dentre eles o Fórum E-Commerce Brasil (maior evento de <nowrap>e-commerce</nowrap> das Américas). Passou mais de 7 anos trabalhando em projetos nacionais para promover a inclusão, transformação e expansão no uso da tecnologia dos pequenos negócios no Brasil pelo Sebrae Nacional.

A Geração Y brasileira quer respostas imediatas nas mídias sociais e ter o poder de influenciar os produtos que consome. É o que relata a pesquisa realizada pela Edelman Berland. Além dos brasileiros, foram ouvidos também jovens adultos nascidos, entre 1980 e 1995, na Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Turquia, Emirados Árabes e Reino Unido. O estudo foi conduzido com 300 pessoas em cada um dos países. Nos Estados Unidos, mil pessoas foram entrevistadas.

 

A pesquisa aponta que 49% dos jovens brasileiros desejam influenciar nos produtos e 48% querem respostas imediatas das marcas nas mídias sociais. Estão bem acima da média, na comparação com o público dos outros países, onde estes índices caem para 40% e 33%, respectivamente.

 

Quando o assunto é compartilhar informações sobre experiências boas ou ruins com as marcas, 82% dos brasileiros sentem que essa é uma responsabilidade deles. Apenas chineses e indianos, com 90%, superam os nossos jovens neste quesito. A publicidade é considerada maçante para 37% dos brasileiros, enquanto no cenário global essa porcentagem é de 35%.

 

A qualidade dos produtos é o principal motivo pelo qual os brasileiros (56%) e os jovens de outros países trocariam de marca (55%). Em segundo lugar vem o bom atendimento, importante para metade dos brasileiros questionados – que também afirmaram serem mais atraídos por uma marca que dê descontos e cortesias (43%) em relação a uma honesta e proativa (39%).

 

[Por: M&M on line]