Logo E-Commerce Brasil

Como partir de uma página em branco para criar uma operação digital de sucesso

Por: Júlia Rondinelli

Editora-chefe da redação do E-Commerce Brasil

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero e especialização em arte, literatura e filosofia pela PUC-RS. Atua no mercado de <nowrap>e-commerce</nowrap> desde 2018 com produção técnica de conteúdo e fomento à educação profissional do setor. Além do portal, é editora-chefe da revista E-Commerce Brasil.

Pressionada pela pandemia, a Elgin teve que acelerar um processo de migração para o digital e adaptar toda sua estrutura a uma nova realidade

Para muitos negócios, a pandemia de covid-19 trouxe novas necessidades. A adaptação ao mundo digital foi fundamental para que as vendas não caíssem, mas nem todos estavam preparados para isso, como é o caso da Elgin.

Na palestra “Case Elgin: como acompanhar a transformação ao longo dos anos e mergulhar no digital”, do Fórum E-Commerce Brasil 2022, Ana Paula Corazzini, diretora de tecnologia da empresa, compartilhou como aconteceu essa adaptação.

Ana Paula Corazzini, diretora de tecnologia da Elgin

Ana Paula Corazzini, diretora de tecnologia da Elgin

“A gente tinha uma página em branco. Essa era a verdade da nossa realidade em 2020”, contou Ana Paula sobre como começaram a implantar de forma rápida o que talvez demorasse mais tempo para acontecer, não fosse a pandemia.

Para não se perderem em um processo tão aberto, a diretora de tecnologia contou que estabeleceram um norte para guiar o trabalho e evitar que voltassem para a zona de conforto: o cliente.

Ao longo de sua fala no Fórum, Ana Paula ressaltou diversas vezes como ela acredita ser essencial não perder de foco que o objetivo final é obter o sistema mais adequado ao que o cliente precisa.

Outro ponto reforçado por ela foi o da priorização. “Nós sempre teremos recursos limitados, seja de dinheiro, seja de pessoas, então precisamos fazer as boas escolhas que nos tragam os melhores resultados”, defendeu.

Para que as escolhas sejam objetivas e assertivas, ela defende que se baseiem em dados concretos e metodologia ágil.

O processo de implantação de um sistema digital

A diretora de tecnologia da Elgin – empresa que trabalha principalmente com a produção e venda de ar condicionado e climatizadores, mas também de energia solar, entre outros – relata que uma das primeiras coisas que foi definida era que tudo deveria ser feito em nuvem, porque acreditam que isso traz flexibilidade e melhor a integração.

Outro ponto-chave do processo, segundo Ana Paula, foi estabelecer parcerias. Para ela, poder delegar certas ações para parceiros com expertise, ao invés de conduzir tudo internamente, permitiu com que o processo fosse acelerado. Tudo foi criado e implantado em sete meses.

Como exemplo, ela disse que enquanto o CRM era implantado em uma unidade de negócio, o e-commerce era implantado em outra. Dessa forma, o processo central de diversos estágios era desenvolvido em paralelo e apenas reproduzi-lo em outras unidades depois era mais rápido.

A mudança além da tecnologia

Além de programas e sites, a implantação de uma nova tecnologia passa por um componente humano. Na Elgin, a executiva destacou que foi necessário uma mudança de mentalidade.

“Estamos mexendo na zona de conforto das pessoas”, disse, sobre o que precisar trabalhar bem a nova realidade com as equipes.

Para a empresa, não bastava criar um e-commerce, era preciso treinar os profissionais e adaptar todo o processo de vendas, produção e atendimento. Tudo isso, ressalta novamente a diretora de tecnologia, com foco no cliente.

Por Sara Baptista, em cobertura especial durante o Fórum E-Commerce Brasil

Leia também: Como vender por WhatsApp e apostar na integração da loja física e online pode transformar a jornada de compra.