Logo E-Commerce Brasil

Tendências do varejo 2022 para aplicar hoje mesmo nas suas vendas online

Por: Keila Boganika

Produtora de Conteúdo do Ideris, um dos melhores integradores de marketplaces do mercado. É graduada em Comunicação Institucional pela UFPR e especialista em conteúdo digital.

Com base nos acontecimentos de anos anteriores, nas pesquisas sobre os padrões de compra e as necessidades do público consumidor, é possível medir algumas das estratégias que farão sucesso no ano que se aproxima.

Voice Commerce, consumo online na terceira idade e prazos de entregas de pedidos mais acelerados são exemplos de movimentos que começaram a se destacar em 2021 e tudo indica que estarão em foco no ano de 2022.

Como saber se as tendências são válidas para o seu negócio?

Todos os anos surgem diversos estudos sobre as tendências que surgem no mercado. Entretanto, nem sempre as previsões são válidas para todos os tipos de negócios. Por essa razão, é importante analisar o cenário da sua empresa e o comportamento do consumidor para avaliar se as tendências são compatíveis com a realidade da sua operação.

Verifique se a solução de determinada estratégia atende uma necessidade real da sua marca ou do seu cliente; se a tendência faz sentido com o nicho do seu negócio; e se a inovação te colocará à frente da concorrência.

Quais tendências de 2022 é possível inserir no planejamento das vendas online?

Para auxiliar quem trabalha com e-commerce ou marketplaces, apontei algumas das principais tendências para 2022 que os vendedores não precisam esperar pelo futuro para avaliarem essas estratégias promissoras e aplicá-las.

Voice Commerce

Há anos os especialistas em marketing falam sobre otimizar as páginas de um site para também serem encontradas em buscas por comando de voz. Porém, entre 2020 e 2021 a procura por smart speakers, como a Alexa da Amazon, cresceu absurdamente. Segundo levantamento da Ilumeo, o uso de dispositivos com comando de voz aumentou 47% entre os brasileiros durante a pandemia.

Smart speaker é um aparelho com diversas funções, mas entre as principais está a de ser um assistente virtual que funciona como um centralizador de comandos de voz feitos ao assistente. É possível fazer perguntas e ouvir o aparelho responder, comprar online através dele, solicitar para a ferramenta apagar a luz da casa, entre milhares de outras funções.

Com a popularização dessas ferramentas, a compra por comando de voz consequentemente cresceu no Brasil. As empresas que desejam estar à frente da concorrência e oferecer uma experiência prática de compra, não podem negar a tendência do Voice Commerce.

Uma das principais ações para aplicar é a otimização de títulos e descrições de produtos para uma linguagem mais próxima do que é buscada, algo mais natural e com foco em perguntas, além de usar termos populares nas pesquisas por voz.

Marketing hipersonalizado

Com a análise de dados cada vez mais presentes nas empresas, muitas estratégias de marketing são moldadas para aproveitar ao máximo os insights de dados tão detalhados.

Ofertas com base no perfil e histórico do consumidor, atendimento personalizado, seleção exclusiva de produtos, entre diversas outras ações que fazem parte da estratégia de marketing hiperpersonalizado — que é uma das macrotendências apontadas por um estudo na PwC.

Lembrando que para oferecer ações personalizadas com base em dados dos clientes, as empresas precisam da permissão dos usuários para acessar e manipular essas informações, de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Consumo online na terceira idade

Com a pandemia, diversos perfis de consumidores se adaptaram e ingressaram nas compras online, o que fez a gos/os-pontos-fracos-da-maturidade-digital-das-pequenas-empresas-e-como-enfrenta-los/" target="_blank" rel="noopener">maturidade digital da terceira idade aumentar. Segundo estudo realizado pela Kantar IBOPE Media, em 2020, 85% dos idosos conectados à internet a utilizaram para obter informações sobre produtos ou serviços antes de uma compra, e 75% efetivamente adquiriram algo online.

Infelizmente, ainda uma parte do comércio online não espera pelo público da terceira idade e não tem nenhuma estratégia voltada para eles. Por isso, vale testar direcionar anúncios para esse perfil de consumidor, disponibilizar novas facilidades na usabilidade do site, prestar um atendimento atencioso e paciente, entre outras possibilidades para abraçar esse novo consumidor das vendas online.

Venda via marketplaces

Não é novidade que os marketplaces dominam o setor de e-commerce e representam a maior parte do faturamento das vendas online. Até mesmo marcas que possuem e-commerce próprio possuem lojas em marketplaces.

A boa notícia é que em 2022 os marketplaces continuam crescendo, dando novas oportunidades para os lojistas venderem mais e investindo muito em marketing. Estima-se que uma parcela dos consumidores ao invés de buscarem por um produto no Google irão diretamente para seus marketplaces preferidos.

Por isso, vale a pena continuar aplicando estratégias para vender mais em marketplaces e “surfar” nesse movimento que continuará em destaque nos próximos anos.

Entrega imediata

A agilidade na entrega é um fator muito importante para a decisão de compra dos clientes. Segundo dados do Mercado Pago, 53% dos consumidores abandonam carrinhos de compra virtual por causa do preço e prazo do frete.

Em 2021, o movimento de frete rápido e com preço atrativo dos marketplaces impactou tanto o mercado que gerou algo que podemos chamar de “corrida da entrega rápida”, em que muitos marketplaces começaram a praticamente competir para ver quem tem a entrega mais rápida do Brasil.

Quem ganha vantagem com tudo isso é o cliente final. Porém, os vendedores de marketplaces também saem na frente, uma vez que podem aproveitar as ótimas condições de frete dessas plataformas sem pagar taxa adicional. Magalu, Americanas, Amazon e Mercado Livre são exemplos de marketplaces que possuem programas de envios ótimos que os lojistas podem disponibilizar em seus anúncios.