Logo E-Commerce Brasil

Segurança exponencial no e-commerce

Por: Gilmar Castro

Gestor de segurança, especialista em gestão empresarial e consultor sênior Segurança Empresarial na ICTS Security. Formado em Gestão de Segurança Privada, tem especialização em gestão empresarial. Com 18 anos dedicados na segurança privada, possui destaque no gerenciamento de riscos no transporte de cargas, gestão da segurança patrimonial, logística de valores, prevenção de perdas, desenvolvimento e implantações de projetos, planos, procedimentos e demais temas voltados para identificação, análise e mitigação de riscos nos diversos segmentos e negócios empresariais.

Com um faturamento de bilhões no ano de 2021 e com cada vez mais adeptos, o e-commerce no Brasil tem demonstrado crescimento. Se há alguns anos as compras online eram cercadas de desconfianças por parte do consumidor, atualmente essa experiência de consumo tem alcançado patamares irrefutáveis e contribuído com a economia do país.

Mas o protagonismo do e-commerce tem encontrado um antagonista de peso, o crime cibernético. Os golpes virtuais têm se multiplicado com velocidade ainda maior do que aquelas prometidas nos prazos de entrega. As credenciais digitais, ainda que possuam diversas camadas de proteção, não são invioláveis. O uso de pagamentos eletrônicos desperta atenção de criminosos. E fraudes diversas são realizadas com o uso dos dados pessoais por meio de malwares, que são aplicativos maliciosos. Assim como o phishing, que são links que têm por objetivo capturar dados da pessoa simulando uma instituição de confiança. Recentemente, grandes empresas e até governos foram vítimas de ransomware, que é um software que impede o acesso aos dados.

O conjunto de riscos e perigos associados são perenes. No entanto, encontram no conceito segurança exponencial no e-commerce um aliado para construir barreiras por meio de ações que, isoladas ou “em camadas”, se traduzem em soluções tanto para as empresas quanto para o consumidor, a saber:

  • Operadoras de crédito possuem sistemas e desenvolvem algoritmos cada vez mais robustos para identificar fraudes eletrônicas com base no comportamento incomum de pessoas no ambiente online. Além disso, estimulam o uso do cartão temporário, que pode ser gerado no momento da compra e possui limitação de uso;
  • Os softwares de monitoramento disponibilizam ao consumidor o rastreio da mercadoria, permitindo se programar para receber ou avisar um responsável sobre a entrega;
  • Em um nível básico, não menos importante, lembremos da importância de utilizar senhas fortes, da verificação em duas etapas, sistemas operacionais dos dispositivos eletrônicos atualizados, bem como da utilização de softwares de monitoramento e remoção de vírus;
  • Em uma viso ampla, é altamente recomendado que os exemplos de combate a perdas citados estejam claramente elencados em um Plano de Continuidade de Negócio. Ele descreve medidas a serem tomadas para que os processos vitais e de segurança voltem a funcionar plenamente, num estado minimamente aceitável e o mais rápido possível. Isso evita uma paralisação prolongada das atividades e a possibilidade de geração de prejuízos à empresa e aos fornecedores, parceiros e clientes;
  • Ainda sobre as medidas de segurança exponencial no e-commerce, há empresas especializadas em Gerenciamento de Riscos. Elas podem contribuir com a gestão da prevenção de perdas, mitigação de riscos e desestímulo ao desvio de cargas, alcançando também medidas de prevenção a acidentes e atendimento às condições de saúde dos motoristas.

Todas essas medidas são aliadas das empresas e dos consumidores. Isso porque contribuem para que o e-commerce no Brasil continue a crescer de forma sustentável e seja disruptivo ao encontrar dificuldades. Além disso, elas engajam pequenos e grandes empreendedores para que diversifiquem, inovem e possam satisfazer as necessidades das pessoas onde quer que elas estejam.

Leia também: Descubra quais são os quatro maiores erros em cibersegurança e como evitá-los