Logo E-Commerce Brasil

As oito estratégias da Amazon para vender mais

Por: Alfredo Soares

Empreendedor hustler e palestrante com experiência em empreendedorismo, Soares tem dois grandes cases bootstraps no cenário de startups brasileiro. Atualmente é Head Global SMB da VTEX e está na frente da Loja Integrada.

A Amazon é especialista na criação de estratégias para venda dos seus produtos. Essa característica fez com que a empresa registrasse receita líquida de quase US$ 470 bilhões em 2021, sendo a segunda companhia do planeta a ser avaliada em US$ 1 trilhão, ao lado da Apple. Apesar de uma maré de dificuldades em 2022, quando viu seu lucro recuar quase 100% em comparação com o mesmo período do ano anterior, a gigante da tecnologia segue no mapa como referência por sua capacidade de adaptação e uso de dados a favor do seu público.

O case da Amazon é uma grande referência para quem precisa de insights para desenvolver seu próprio negócio.

O case da empresa é uma grande referência para quem precisa de insights para desenvolver seu próprio negócio.

Dados

Uma das maiores forças da Amazon é a sua capacidade de utilizar os dados para personalizar a experiência do usuário. A empresa usa algoritmos sofisticados para rastrear o comportamento e oferecer sugestões exclusivas com base nas preferências de cada pessoa. Isso inclui recomendações de produtos, sugestões de compras adicionais e até mesmo ofertas especiais.

Para negócios em geral, isso é uma estratégia poderosa para aumentar a fidelidade do cliente e impulsionar as vendas, podendo ser alcançada por meio de programas que recompensem os consumidores por suas compras, oferecendo descontos com base em seu histórico.

Urgência

A maior parte das pessoas adia a compra quando percebem que não há pressa para adquirir o que precisam. A Amazon usa um cronômetro de contagem regressiva em seu site para mostrar aos clientes em quantos dias, horas e minutos eles precisam decidir antes de perderem aquela oportunidade. Isso faz com que eles se sintam pressionados a concluir a operação e evita abandonos do carrinho.

Escassez

Quanto mais escasso um produto for, mais as pessoas vão querer. A Amazon cria uma ilusão de que o item procurado está acabando, mostrando sua quantidade restante em estoque, fazendo com que o consumidor finalize rapidamente a compra antes que o produto não esteja mais disponível.

Overdelivery

A empresa também cria a sensação de que está entregando mais do que o esperado e apresenta a economia que o cliente vai receber com esse benefício. A mais comum é oferecer o frete gratuito na compra do item desejado. Essa tática transmite um sentimento de vantagem poderoso ao cliente, que passa a recomendar a marca por sua eficiência.

Upselling

Ela também apresenta itens complementares ao produto selecionado pelo cliente, gerando assim interesse e consequentemente mais vendas. Uma câmera iria muito bem com um memory card extra, certo? Talvez com um case de proteção? Essa é uma tática muito comum em empresas que trabalham com alimentos, como iFood, McDonalds e Burguer King.

Provas sociais

Nós somos mais inclinados a comprar algo recomendado por alguém. A Amazon sabe disso e mostra a classificação dos produtos escolhidos e as melhores avaliações dos compradores anteriores para convencer o cliente atual sobre a eficiência daquilo que ele está levando.

Atendimento excepcional ao cliente

A empresa possui um suporte técnico de 24 horas por sete dias na semana, além de garantias generosas de devolução do dinheiro. Além disso, oferece um serviço de entrega rápida que permite que os clientes recebam seus produtos em poucos dias ou até mesmo em poucas horas.

Inovação

A Amazon é conhecida pela disrupção do seu próprio negócio, criando um grande ecossistema de vendas em diferentes canais. Lembra quando ela era só uma plataforma para venda de livros?

A empresa recentemente apresentou sua nova loja física com tecnologia “Just Walk Out”, uma combinação de visão computacional, fusão de sensores e deep learning, que dá a opção aos clientes de entrar, pegar o que quiser e pular a etapa do caixa no fim das compras.

Além disso, a companhia saiu na frente com seu Amazon One, uma modalidade de pagamento feita com a palma da mão em um processo que vincula scan das digitais a um cartão de crédito. Com isso, o cliente não precisa mais do dispositivo e pode usar essa fórmula para o fechamento de suas compras.

Independentemente dos desafios que a empresa de Jeff Bezos esteja enfrentando, uma coisa é certa: a Amazon ainda tem muito o que mostrar para o futuro do mercado.