Redação E-Commerce Brasil

Vendendo pelas redes sociais: webinar abordará as principais tendências de varejo e de pagamentos eletrônicos

Sexta-feira, 31 de julho de 2020   Tempo de leitura: 7 minutos

A Worldpay from FIS, empresa líder em tecnologia de serviços financeiros e voltados para comerciantes, promove, no próximo dia 4, terça-feira, às 17h, um webinar sobre tendências emergentes do comércio eletrônico, bem como as tecnologias de pagamento disponíveis para apoiá-las.

Durante o evento, chamado de “Global Payments Report 2020: O Futuro dos Pagamentos”, a Diretora Comercial da Worldpay from FIS, Juliana Quinteiro, recebe Gustavo Cunha, economista, para falar sobre alguns temas. Entre eles, comércio via redes sociais e assistentes de voz, tendências de pagamentos no Brasil e no mundo — incluindo modalidades instantâneas — e o crescimento global do e-commerce. A inscrição para o webinar é gratuita e está disponível pelo site.

Quinteiro vai focar no crescimento do comércio via redes sociais, que se acelerou durante a epidemia de Covid-19. “Com 66% da população possuindo um dispositivo móvel e penetração da internet em 71%, o Brasil está fervilhando de oportunidades para comerciantes dispostos a combinar os dois fatores e explorar as vendas por meio de seus canais nas redes sociais”, afirma Quinteiro.

Redes sociais

De acordo com o Global Payments Report 2020, da Worldpay from FIS, o Brasil é o maior mercado de comércio eletrônico da América Latina e possui alguns dos consumidores mais conectados da região, criando o ambiente perfeito para que essa tendência prospere. Além disso, um pesquisa da Qualibest mostra que 62% dos brasileiros já compraram pelas redes sociais, sendo as plataformas mais populares os grupos de Facebook e WhatsApp.

Recentemente, a rede social TikTok, o segundo aplicativo mais baixado no mundo em 2019, adicionou um botão “Comprar Agora” para levar os usuários diretamente de seus vídeos aos sites de comércio eletrônico dos anunciantes. Embora a funcionalidade ainda não esteja disponível para os 7,3 milhões de usuários do Brasil, a tendência é clara: plataformas de redes sociais são um novo canal de compra online.

Além disso, em 2019, o Instagram ativou a função “Checkout on Instagram”, que permite aos consumidores comprar produtos através de um story ou publicação, sem sair do aplicativo. O Snapchat oferece uma funcionalidade semelhante, o botão: “Shop and Cop”.

Estratégia

Consequências da pandemia do Covid-19, como lojas fechadas e a necessidade de manter o distanciamento social, devem tornar o social commerce ainda mais popular. “Ele está se tornando, rapidamente, um canal de vendas do qual os varejistas não podem escapar”, diz Quinteiro. “Como os consumidores estão procurando por um senso de comunidade e compartilhamento, comerciantes devem investir, paralelamente a sua presença online já existente, em uma estratégia de vendas pelas redes sociais para se conectar com novos clientes”, completa.

Para redes sociais que adotam estratégias de comércio eletrônico, é importante garantir que a experiência do comprador seja acertada e relevante. De acordo com a executiva, a mágica do social commerce é poder criar novas oportunidades de vendas em um ambiente onde o consumidor já está à vontade, o digital. Por isso, é importante que as redes tenham como alvo o perfil certo de cliente ao considerar quais produtos e oportunidades oferecer.

Pagamento

Para completar a estratégia em redes sociais, métodos de pagamento precisam ser rápidos, simples e seguros para garantir que as interações nas redes sociais sejam convertidas em vendas. “Para aumentar as chances de sucesso, as opções de pagamento aceitas devem ser diversificadas, garantindo ao cliente encontrar seu método preferido e minimizando o atrito na hora de fechar a compra. Além disso, os comerciantes devem oferecer checkout otimizado para dispositivos móveis, já que boa parte dos usuários comprará por meio deles”, explica Quinteiro.

Contexto global

A China está liderando o comércio pelas redes sociais, impulsionada pela preferência esmagadora de seus consumidores por navegar na internet usando smartphones.

Tendo deixado para trás a era dos desktops, os usuários chineses são atraídos pelos “Super Apps”. Dessa forma, esses aplicativos consolidam várias funções em uma única plataforma, na qual os usuários podem fazer de tudo: desde reservar voos e hotéis até socializar com os amigos.

Um dos maiores super apps na China é o WeChat, que possui mais de um bilhão de usuários. Apesar do Brasil não contar com nada tão grande quanto o WeChat, as recentes tentativas do Facebook de lançar um serviço de pagamento pelo WhatsApp no ​​país mostram que o mercado está pronto para dar o próximo passo.

As vendas por meio das redes sociais deram um novo significado ao ato de fazer compras online. Ademais, as marcas estão reinventando a maneira como alcançam seus consumidores neste mundo impulsionado pela tecnologia e preocupado com o distanciamento social.

Serviço

Webinar Global Payments Report 2020: O Futuro dos Pagamentos

4 de agosto, terça-feira, 17h

Inscrições aqui.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.