Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Varejistas recuperam R$ 11,5 milhões em vendas efetuadas com cartão

Quinta-feira, 23 de maio de 2019   Tempo de leitura: 3 minutos

Levantamento feito pela plataforma Finanças 360º mostra que, nos dois primeiros meses deste ano, empresários do setor conseguiram recuperar um total de R$ 11,5 milhões em vendas efetuadas e não repassadas pelas operadoras e credenciadoras de cartão. Porém, nem todos os casos são detectados facilmente pelos comerciantes, acarretando prejuízo.

O operador de franquia de uma rede de lojas O Boticário em Manaus, Tarquinio Souza, se surpreendeu ao detectar que haviam erros na conferência de vendas efetuadas. Os valores não foram repassados pela operadora de cartão no prazo estipulado. O prejuízo calculado: cerca de R$ 170 mil. Caso não fosse detectado o erro, esse montante nunca seria pago.

“Nós fomos fazer a verificação do ponto de venda com o extrato bancário e notamos que havia um período enorme em aberto que não foi pago”, disse Souza à Finanças 360º. De 22 operações de vendas realizadas na rede de lojas, 15 não tiveram os valores repassados pela operadora de cartão. Confrontada, a empresa alegou erro sistêmico. Com a comprovação feita por Souza junto à operadora de cartão, o valor foi recuperado em 35 dias.

Assim como Souza, muitos varejistas que trabalham com vendas por cartão de crédito e de débito passam por situações semelhantes, e muitas vezes não possuem a mesma capacidade de identificar.

Leia também: Mercado Pago lança maquininha voltada para pequenas e médias empresas

Segundo Henrique Carbonell, sócio-fundador do Finanças 360º, todos varejistas que operam vendas por cartão estão sujeitos a isso. “Dados de mercado apontam que cerca de 2% a 3% das vendas em cartões são perdidas”, avalia. Ainda segundo ele, é praticamente impossível realizar a detecção dessas falhas sem automatizar processos.

A paulista Adriana Ungaretti conseguiu otimizar a gestão das quatro lojas da Chilli Beans com o uso de uma ferramenta que facilitasse e simplificasse o controle financeiro da operação. Essa automatização levou a empresária a evidenciar discrepâncias de taxas cobradas pela operadora do cartão em diferentes pontos de venda.

“Se eu não tivesse automatizado a operação com um sistema, talvez nunca descobrisse, e continuaria pagando os valores cobrados”, afirma a empresária. Com isso, ela detectou erros de taxas indevidas cobradas na faixa de R$ 12 mil.

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.