Redação E-Commerce Brasil

Tendências do streaming para fidelizar o consumidor

Quinta-feira, 16 de setembro de 2021   Tempo de leitura: 4 minutos

Assim como as redes sociais, as plataformas de streaming também caíram no gosto do brasileiro. O país aparece entre as primeiras posições nas pesquisas de consumo das ferramentas de distribuição de conteúdos digitais, abrindo espaço para que empresas explorem esse mercado.

Atenta ao comportamento do consumidor, a referência nacional no Brasil hoje é o serviço de streaming da Globo, o Globoplay. Com o avanço da pandemia e a privação da sociedade em opções de lazer e cultura, a empresa percebeu um crescimento de 70% na base de assinantes e uma alta de 201% no consumo de horas de conteúdo. Esse último dado, considerado o mais importante pelo head de marketing, aquisição e engajamento da plataforma Tiago Lessa.

“A discussão deve sempre se basear pelo consumo de conteúdo e não só pela base de assinantes. O consumidor não pode optar pela plataforma porque o conteúdo roda melhor por lá, mas sim pelo conteúdo em si que cada ela oferece”, destacou no Fórum E-Commerce Brasil – Grand Connection, na terça-feira (14).

Pensando nisso, o Globoplay entrega não só conteúdos próprios como documentários, novelas, séries e filmes, mas também canais ao vivo e outras produções em parceria com empresas que possibilitam a apresentação de um catálogo atual e diverso ao assinante.

Conquistar e manter o consumidor

Juliette Freire, vencedora do Big Brother Brasil 2021, em campanha publicitária do Globoplay. Imagem: Reprodução

Além do engajamento em tendências de comportamento do consumidor, outro desafio dos serviços de streaming é manter o assinante que, muitas vezes, chega ao serviço por conta de uma produção específica, mas não se fideliza.

No caso do Globoplay, a empresa passou a investir em conteúdos atuais, entregues a tempo de aproveitar o “hype” e que conversem com as grandes produções que trouxeram o consumidor até a plataforma para fazer o cliente ficar.

Um exemplo é a edição do “Big Brother Brasil 2021”, que trouxe números ainda mais impressionantes para o canal de streaming da emissora neste ano. Ao apresentar documentários sobre personalidades marcantes do programa, como Karol Conká e Juliette Freire, pouco tempo após o término do “BBB 21” ou até mesmo durante a edição, a plataforma conseguiu manter o assinante interessado em conteúdos para além do reality show.

Lessa conta que com produções como essas, assinantes que estavam inativos voltaram à plataforma, ex-assinantes reativaram as assinaturas e novos usuários assinaram o serviço. O sucesso foi tanto que o mesmo acabou sendo feito com produções de documentários sobre a edição dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que rendeu um público acima da média acessando a plataforma durante sua exibição. “Nosso trabalho é manter esses assinantes na base”, finaliza.

Leia também: Na Natura, o social selling é ferramenta de empoderamento das consultoras

Por Marina Teodoro, em cobertura especial para o Fórum E-Commerce Brasil.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER