Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

STF julga hoje Ação Direta de Inconstitucionalidade do ‘Convênio do ICMS’

Quarta-feira, 07 de novembro de 2018   Tempo de leitura: 2 minutos

O Supremo Tribunal Federal julga hoje a Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 5464 que suspendeu em 2016 a nona cláusula do Convênio 93/2015. Acompanhe a votação aqui: https://www.youtube.com/watch?v=B2ARRG4uQ1U

Às 14:30, o STF começou a julgar outro recurso, que discute cobrança do ICMS de empresa optante pelo Simples Nacional, na modalidade de cálculo conhecida como diferencial de alíquota. Em discussão: saber se é constitucional a cobrança do ICMS de empresa optante pelo Simples Nacional, na modalidade de cálculo conhecida como diferencial de alíquota.

Relembre a ADI 5464 que derrubou a cláusula nona do Convênio 93

A liminar que suspendeu a cláusula nona do Convênio 93 ficou conhecida na época por salvar os micro e pequenos empresários optantes do Simples Nacional do e-commerce de terem que recolher alíquotas de ICMS sobre operações de venda de produtos e serviços para outros estados. Para muitos o recolhimento de tal imposto seria insustentável financeiramente, conforme noticiou o E-Commerce Brasil na época.

A cláusula questionada na ADI determinava às empresas do Simples, assim como às empresas incluídas nos demais regimes de tributação, o recolhimento de alíquotas do ICMS sobre operações que destinem bens e serviços ao consumidor final localizado em outro estado.

Segundo o pedido feito pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), autor da ADI, pela Lei Complementar 123/2006 as empresas do Simples são sujeitas a uma alíquota única sobre a receita bruta mensal. A nova regra, ao impor a cobrança do ICMS sobre cada operação, ameaça a competitividade e a própria sobrevivência das pequenas empresas, conforme a entidade.

Para Rogério David Carneiro, especialista em Direito Tributário e em Direito Privado, a adequação à norma não é tão simples. “Na verdade, as empresas do simples nacional passariam a ter uma carga tributária maior do que as demais empresas, sendo impraticável concorrer com esse mercado que já é dominado por gigantes”, ele explica.

Segundo Carneiro, a suspensão da cláusula nova do Convênio 93 provoca um retorno ao cenário de 2016: “com muitas micro e pequenas empresas saindo do e-commerce e muitas outras até fechando”.

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.