Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Segundo relatório, Shopee lidera ranking dos aplicativos de e-commerces mais acessados

Terça-feira, 28 de junho de 2022   Tempo de leitura: 4 minutos

O mercado online ganhou fôlego no Brasil após leve queda em abril. De acordo com a última edição do Relatório Setores do E-commerce no Brasil, produzido pela agência Conversion, o comércio eletrônico cresceu 4,2% e registrou 2,14 bilhões de acessos, no último mês de maio. O levantamento ainda apontou que, entre os 10 maiores players do mercado, cinco são do setor de importados ou marketplaces estrangeiros. Três são asiáticos: Shopee, AliExpress e Shein. A última edição do relatório conta ainda com a inclusão inédita dos dados de acessos via aplicativos, informação que deixou ainda mais claro o boom dos e-commerces asiáticos no Brasil.

Leia também: Programa Brasil Mais quer aumentar digitalização de pequenos negócios

Ao considerar apenas os acessos por apps, a Shopee fica em primeiro lugar, com mais de 125 milhões de acessos em maio. Ou seja, 40,8% a mais que sua concorrente Mercado Livre, que teve pouco mais de 74 milhões de visitantes no mesmo mês. A loja singapurense é conhecida pelas suas promoções, cupons e gamificação da experiência do usuário dentro do app e site.

Lista dos e-commerces com maiores acessos por aplicativos no Brasil. Fonte: Relatório Conversion do E-commerce no Brasil (Maio/2022)

Brasil é promissor para a Shopee

“O Shopee conseguiu identificar uma grande lacuna no e-commerce global, que é o ticket baixo, criou muito senso de urgência com suas promoções e construiu uma verdadeira experiência de busca de achados, que faz com que as pessoas queiram passar cada vez mais tempo dentro do site e do app”, avalia Diego Ivo, fundador da Conversion.

O mundo assiste ao crescimento meteórico das plataformas asiáticas a cada ano. Só nos últimos 12 meses, os e-commerces de países como China e Singapura cresceram vertiginosamente, registrando um aumento de 61,4% de tráfego no Brasil. A Shopee, que no último ano cresceu 74,2% em número de acessos, está apostando pesado no mercado brasileiro.

Em plena pandemia, a plataforma aterrissou no país, ousando com frete grátis e 0% de taxa de comissão para o seller a fim de ganhar penetração no mercado. Segundo projeções da empresa de investimento Bernstein, o Brasil tem tudo para ser o maior mercado da empresa singapurense em número de usuários ativos mensais, podendo, inclusive, ultrapassar o mercado da Indonésia.

Apps entram em jogo

Com a inclusão inédita dos dados de apps, o Relatório dos Setores do E-commerce pode medir com uma precisão ainda maior o comportamento de consumo dos brasileiros. Entre os 18 setores analisados, Comidas & Bebidas foi o que registrou o maior número de acessos de apps, totalizando 58% das visitas totais vindas de aplicativos. Esse crescimento foi liderado pelo iFood, que aparece em primeiro lugar entre os aplicativos de delivery de refeições. Em segundo lugar, aparece o setor de marketplace, que concentra 29% dos seus acessos nos apps é puxado pela Shopee. Para fechar o TOP 3, o mercado de produtos importados recebeu 28% dos seus usuários de maio através dos apps, liderado pelo Mercado Livre.

Mobile é o meio

O celular, inclusive, é o canal mais utilizado pelos usuários para acessarem seus e-commerces preferidos. Em Maio, 74% dos acessos a e-commerce foram feitos a partir de um mobile. Trata-se de uma tendência cada vez mais forte, especialmente com a expansão da internet rápida e móvel para todos os brasileiros. Por outro lado, ¼ dos acessos a sites de e-commerce continuam sendo feitos por desktops. Tablets têm baixa participação e são agrupados nos dados de celular/mobile. Os acessos de aplicativo contabilizam somente aparelhos com sistema operacional Android.

Leia também: Projeto de Lei obriga e-commerces a oferecerem SAC

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER