Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Redes sociais foram responsáveis por 21% das vendas em 2018, revela pesquisa

Segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019   Tempo de leitura: 6 minutos

A ascensão da tecnologia e a facilidade de comprar com apenas um clique tem atraído cada vez mais o consumidor brasileiro para o e-commerce. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), estima-se que o faturamento das vendas deste segmento chegue a R$ 79,9 bilhões em 2019, representando crescimento de 16% com relação a 2018. E 21% dessas vendas aconteceram através de redes sociais (21%), como revela a 4ª edição do NuvemCommerce Relatório Anual de comércio eletrônico 2018, da Nuvem Shop.

De acordo com a Nuvem Shop, as vendas por meio das redes sociais representaram 21% do total de transações no ano de 2018. Além disso, oito em cada dez visitas e uma em cada quatro vendas foram geradas por meio destes canais, especialmente via Instagram e Facebook.

O Instagram foi o grande campeão em vendas e representou 59% das transações, enquanto o Facebook ficou em 37%, o Youtube em 3% e o Pinterest em 1%. Atualmente, o Brasil é o segundo país com mais usuários no Instagram, perdendo apenas para os Estados Unidos. Segundo o Sebrae, esta é a rede social que mais cresce no mundo, contando atualmente com mais de 500 milhões de contas.

A pesquisa revelou também que 47,9% dos e-commerces percebem o aumento de visitas e vendas quando utilizam as redes sociais de maneira orgânica para divulgação, mas 40%, apesar de utilizar as redes, ainda não têm esta percepção. Ademais, 10,3% não utilizam as redes sociais para esta finalidade, mas pretendem empregar esta estratégia no futuro. Por fim, apenas 1,8% não se interessa pela utilização desses canais como estratégia de vendas.

Mobile

A enorme expansão do mercado de dispositivos móveis tem impulsionado cada vez mais o comércio eletrônico. Essa tendência afeta diretamente os e-commerces, que precisam adaptar-se aos novos hábitos de consumo.

De acordo com o relatório, em 2017, as vendas via desktop eram superiores (55%) em relação às transações mobile (45%) e as visitas às lojas online através de dispositivos móveis representavam 69%, enquanto o desktop era responsável por 31%. Contudo, em 2018, o cenário se inverteu e 53,8% das transações foram realizadas via mobile e 46,2% por desktop. Além disso, 66% das visitas às lojas foram via dispositivos móveis e 34% pelo desktop.

Ainda segundo o estudo, em 2018, os segmentos de moda e vestuário, saúde e beleza e acessórios foram os que mais venderam via mobile.

“Nota-se que o m-commerce é uma tendência que já está atingindo a maioria dos consumidores pela facilidade e praticidade. Por isso, os consumidores estão ganhando cada vez mais confiança para realizar suas transações via dispositivos móveis e os lojistas precisam estar atentos para adaptarem seus sites para uma versão que comporte não apenas o desktop, mas também o mobile”, explica Alejandro Vazquez, co-fundador da Nuvem Shop.

Pagamento e segmentos

O levantamento mostra que o meio de pagamento mais utilizado pelos consumidores foi o PagSeguro (46,8%), seguido de Mercado Pago (15,8%) e Wirecard (13,9%). Em relação ao frete, os Correios representaram 58% das vendas, frete personalizado (34,6%) e retirada física (4,1%).

O segmento de moda e vestuário foi o que dominou o mercado com 38% das transações, seguido de saúde e beleza (12,4%) e acessórios (11,5%).

Campanhas de marketing

O relatório apontou que 12,1% dos lojistas fazem uso do e-mail marketing como estratégia de vendas, e consequentemente, notam o aumento de visitas ao site e nas vendas. Contudo, 18,2% utilizam este recurso, mas não percebem um crescimento no engajamento em seus canais. Além disso, 58,8% dos e-commerces ainda não utilizam e-mail marketing, mas pretendem no futuro e 11,5% não têm interesse em empregar esta estratégia.

Com relação aos anúncios pagos, a maioria dos lojistas utiliza o Facebook Ads (50,9%), Instagram Ads (46,7%), Google Ads (27,9%) e outros meios (9,1%). Já 30,3% não investem em anúncios pagos. Com relação aos canais utilizados para atendimento, o WhatsApp (88,5%) é o canal mais utilizado pelos e-commercers, seguido do e-mail (77%), redes sociais (73,3%), telefone (55,2%), Facebook Messenger (50,3%), Chat Online (29,7%), Skype (3%) e outros canais (8,5%).

“Os consumidores estão atentos em relação às ofertas e sempre em busca de um atendimento personalizado. Assim, é fundamental criar estratégias consistentes para superar as expectativas dos consumidores. Esse é o grande segredo para impulsionar e garantir o sucesso de um negócio”, finaliza Vazquez. Para acessar o estudo completo, clique aqui.

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.