Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Público jovem, design inovador e modelo ‘Do it Yourself’ são apostas da Veromobili

Segunda-feira, 18 de dezembro de 2017   Tempo de leitura: 4 minutos

Unir a tradição da indústria moveleira à criatividade do design moderno e à comodidade da compra pela internet. Esta é a história do empreendedor Leandro Marcato, de São José do Rio Preto, que fundou a Veromobili há cerca de 3 anos. A proposta da Veromobili é oferecer móveis produzidos por jovens talentos do design, por um preço justo e que sejam fáceis de montar com uma simples ferramenta. Leandro Marcato participa também do programa E-Commerce Experience, programa de aceleração de e-commerces que já operam e que querem vivenciar uma experiência 360º de aprendizagem personalizada e colaborativa. Confira a entrevista com Leandro:

ECB: Conte-nos um pouco sobre como surgiu a Veromobili.

Leandro: Minha família trabalha com móveis há mais de 60 anos, então eu cresci dentro da marcenaria, que na verdade, se transformou em indústria de móveis no interior de São Paulo. Crescendo nesse mercado de móveis planejados, surgiu a ideia de escalar o negócio. Foi quando comecei a pesquisar na Europa e conheci o modelo “Faça você mesmo” (adotado por empresas como IKEA). Nesse modelo, o consumidor vai até a loja, compra, leva o produto para casa e ele mesmo monta. Duas marcas no Brasil já fazem isso, mas é um mercado que está começando. Se você analisar o modelo atual voltado para o consumidor é difícil de ser montado. Foi enxergando esta oportunidade que eu tomei a decisão de abrir um e-commerce. Quando contei a ideia para o meu pai ele disse que eu estava louco (risos).

Sou sozinho, não tenho sócio, mas uma parte dos produtos quem fabrica são pessoas da minha família. Apesar disso, já temos mais de 8 fornecedores para iluminação, estofado, componentes, etc. Alguns fazem os componentes, outros fazem a embalagem, enfim.

ECB: Qual é a maior dificuldade de vender online?

Leandro: Quando comecei a pesquisar o mercado uma das maiores dificuldades foi a questão de preço. Porque hoje quem vende móveis na internet está focando nos móveis populares, então a nossa proposta inicial foi de oferecer móveis com design, fáceis de montar (Todos os produtos acompanham a ferramenta de montagem), porém com preço competitivo. Focamos na questão do design: hoje todos os nossos produtos são assinados por jovens designers que são recém-formados. O custo de desenvolvimento não é tão alto, então conseguimos baratear parte da produção. Nós fazemos a parte de facilitar a produção e também da embalagem. Outra dificuldade é o fato de que, para o produto chegar barato na casa do consumidor precisamos resolver a questão do frete, principalmente por se tratar de móveis, custa caro. Uma venda para o Nordeste, por exemplo, custa em torno de R$ 200,00. Hoje temos parceiros de entrega como Ativa e Patrus e entregamos no Brasil todo, mas o forte é São Paulo e Rio de Janeiro. Nosso público, em geral é jovem (tem entre 25 e 35 anos), pessoas que moram em apartamentos alugados, que compram móveis não tão grandes, que perguntam se é possível remontar…

ECB: Por ser um público jovem, você acredita que é mais fácil para eles aderirem ao ‘Do it Yourself’?

Leandro: Acredito que sim, porque tudo que você precisa contratar, você precisa pagar. E o público mais jovem está entendendo isso. Em geral, essas pessoas já entendem mais sobre mobilidade, hoje elas não precisam comprar uma revista de decoração, elas acessam o Pinterest e já imaginam como ficará a sala delas. Esse público não tem condições de investir num projeto arquitetônico caro ou pagar pelo serviço de montagem. É um momento da vida dele e por isso investe tempo buscando as referências e no fim de semana faz tudo (montagem) sozinho. Vemos isso na prática: as fotos que usamos nos posts, por exemplo, geram vendas. Se eu coloco um aparador amarelo com um móvel azul, por exemplo, vendo as peças desta combinação.

ECB: As recomendações que vocês fazem surtem efeito…

Leandro: Sim, por isso, no começo do ano que vem quero investir mais em produção: por exemplo, a partir do cadastro da foto do produto ser capaz de mostrar o que existe no estoque.

ECB: Falando em investimento: o que você internaliza e o que terceiriza?

Leandro: No marketing eu tenho uma pessoa interna que faz o planejamento, datas comemorativas, mais geral, mas tenho uma agência que faz serviços de comunicação como identidade da marca, posts, redes sociais, etc e outra que faz os anúncios. Estou bem satisfeito com o serviço da agência, estou com eles desde que a empresa começou (quase três anos). Também tenho planos de montar um departamento interno para ganhar mais velocidade conforme a demanda aumenta.

ECB: O que você acha dos marketplaces?

Leandro: Nunca tive interesse em vender por marketplaces. Mas fomos procurados pela Amazon e começamos a vender por lá. Será o nosso primeiro teste. Vamos sentir como vai ser. Também temos parceria com a Westwing, apesar de não ser exatamente um modelo de marketplace (é mais focado em campanhas). Antes eles compravam e revendiam, agora eles autorizam o dropshipping e a logística fica por nossa conta.

ECB: Você participou da última Black Friday?

Leandro: Começamos tímidos no primeiro ano, no segundo ano optamos por não fazer e no ano passado não fizemos porque estávamos no meio da troca de plataforma. A nossa primeira plataforma era uma empresa que quebrou no meio do ano passado, tive que, desesperadamente, arrumar uma outra plataforma. Quando ficou pronto já era a semana da Black Friday, então a minha prioridade era ter a plataforma rodando.

ECB: Vale a pena participar da Black Friday mesmo encolhendo as margens?

Leandro: Quando a Black Friday é real, transparente, com descontos verdadeiros, sim. Nosso site não tem outlet ou variação grande de preço. A única coisa que fazemos é conceder cupons de 10 ou 15% de desconto. Black Friday pra nós é o preço normal, com desconto. Vale a pena para limpar estoque, produtos que estão com poucas unidades e não performaram bem durante o ano e que, provavelmente, sairão de linha. O meu estoque é caro porque o volume é muito grande. Não dá para “empilhar”, compensa eu girar, mesmo que eu perca um pouco de margem.

ECB: A Black Friday atrapalha as vendas de Natal?

Leandro: Na verdade, a Black Friday é o último respiro de venda de móveis, porque historicamente as vendas de móveis a partir do dia 10 de dezembro caem muito. As pessoas mudam o perfil de compra: começam a comprar mais presentes, viagens, férias. A pessoa não vai comprar um armário se vai sair de férias… As vendas só retomam depois do dia 15 de janeiro.

ECB: Você sentiu alguma queda de vendas durante a crise? Você acha que está melhorando?

Leandro: a marca começou na crise, então não vi as vendas caírem. As vendas na verdade crescem, mês a mês. Acredito que pode ter sim, segurado o crescimento, mas estamos observando um aquecimento agora, até porque o nosso mercado reflete muito o que acontece no ramo imobiliário: aumentam as locações de imóveis, aumentam a venda de móveis.

ECB: Sobre o perfil do seu cliente, o Mercado Livre divulgou recentemente que os móveis de perfil pequeno, como é o caso das mesas com 4 cadeiras, por exemplo, estão aumentando muito em termos de volume de buscas, você observou isso também?

Leandro: Sim, existe o fator familiar. As famílias estão cada vez mais enxutas e a questão do tamanho dos imóveis também influencia muito. Tudo está ligado: o público que aluga, para morar perto do trabalho, perto do metrô, mas não pode ter os móveis grandes. No começo eu não tinha muito essa percepção, então eu fui me adaptando.

ECB: Sobre o E-Commerce Experience: o que você está implantando no seu negócio?

Leandro: está sendo incrível! sou muito agradecido, venho do interior então eu era muito limitado em termos de conhecimento de fornecedores e prestação de serviço. Estamos trabalhando muito novas estratégias de SEO, estrutura de links, implementando ferramentas que apoiam o projeto E-Commerce Brasil como Yourviews, Shopback, etc. Eles não vieram se apresentar, mas as mentorias nos apontaram esses serviços e eu contratei.

ECB: O bom de ser pequeno é que você vai se adaptando muito rápido!

Leandro: Estou ‘bombardeando’ a equipe com informação, mas o importante é aproveitar o momento para aprender… Afinal quando o programa acabar teremos que fazer o acompanhamento de outra forma, mas enfim, está sendo incrível!

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER