Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Brad Smith, da Microsoft: ‘Proteger a privacidade é essencial aos direitos humanos’

Quarta-feira, 06 de novembro de 2019   Tempo de leitura: 4 minutos

Brad Smith foi o orador que abriu o palco principal na Altice Arena nesta quarta-feira (6), no Web Summit, em Lisboa. Durante 20 minutos, o presidente da Microsoft falou da forma como a tecnologia pode ser usada para o bem e para o mal, um tema que, aliás, está no livro Tools and Weapons, lançado recentemente em parceria com Carol Ann Browne.

Smith destacou a importância das empresas de tecnologia no fornecimento de proteção à privacidade para enfrentar os novos desafios levantados pela era digital. Ele disse que com a nova onda de tecnologia também deve haver uma nova onda de proteção à privacidade e à segurança, além de medidas para assegurar a ética.

“Precisamos reconhecer que, à medida que a tecnologia avança, precisamos parar de deixar as pessoas para trás. A computação em nuvem é onipresente em todo o mundo, reduziu o custo de acesso à tecnologia e levou à uma explosão de dados”, explicou. “Começaremos a próxima década com 25 vezes mais dados digitais do que em 2010 ”, previu Smith.

IA a serviço da sociedade

O executivo abordou as preocupações em torno da Inteligência Artificial (IA), prevendo que a conversa abordaria as implantações mais gerais da tecnologia. “Qualquer ferramenta pode se tornar uma arma, incluindo a IA. Portanto, as empresas precisam pensar como nunca sobre o que isso significa em termos de sociedades mais amplas”.

Smith disse que é importante proteger a privacidade, algo que ele vê como um direito humano fundamental e uma das questões mais críticas da próxima década. “Precisamos perguntar o que os computadores não devem fazer. Somos a primeira geração na história da humanidade que capacitará as máquinas a tomar decisões. Se errarmos, toda geração que nos seguir pagará um preço ”, profetizou.

Parcerias com governos

Smith ainda pediu que as empresas de tecnologia trabalhem mais com os governos para enfrentar novos desafios relacionados à acessibilidade e sustentabilidade ambiental, e demonstrou que o setor está comprometido em usar a tecnologia para resolver os problemas do mundo. Como exemplo, o executivo citou o uso da IA ​​para coletar e analisar dados para impedir a pesca ilegal.

Smith também pediu que o alcance da tecnologia fosse ampliado, observando que mais de 20 milhões de americanos ainda não têm acesso à banda larga.

Outras tendências que o executivo espera na próxima década incluem uma combinação de computação tradicional com esforços quânticos emergentes e um aumento no número de data centers, além de inovações na maneira como os dados são armazenados e processados. “Vamos ver o 5G se tornar 6G e a computação se tornará ambiente, estará em todos os dispositivos, em todos os cantos, em todas as partes de nossas casas”, revelou.

Leia também: ‘O mundo vive uma crise de confiança’, diz Katherine Maher, CEO da Wikipedia

Por Vivianne Vilela, diretora executiva do E-Commerce Brasil, enviada especial para o Web Summit

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.