Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Pinduoduo já é a segunda maior plataforma de e-commerce da China

Quinta-feira, 15 de agosto de 2019   Tempo de leitura: 4 minutos

O Alibaba e o JD.com estão em guerra pelo espaço chinês de e-commerce há uma década, mas um terceiro jogador chamado Pinduoduo conseguiu abalar o duopólio nos últimos tempos. A startup, que foi fundada em 2015 por um ex-Google e abriu seu capital na Nasdaq em julho passado, flexibilizou ainda mais os músculos durante a recente onda de compras “6/18” [promoção local]. As informação são do TechCrunch.

De acordo com o provedor de dados QuestMobile, os usuários ativos diários de Pinduoduo ultrapassaram o JD por pelo menos os últimos 12 meses, e saiu do mid-year sales festival — primeiro popularizado por JD como uma contrapartida do dia de compras “11/11” do arquirival Alibaba — com 135 milhões de DAUs (Daily Active Users, ou usuários ativos diários, em tradução livre).

JD, em comparação, terminou com 88 milhões de DAUs e o Taobao da Alibaba manteve o primeiro lugar em 299 milhões. Esse resultado solidificou ainda mais a posição de Pinduoduo como a segunda maior empresa de comércio eletrônico da China em número de usuários.

Leia também: A revolução logística chinesa que deixa a Amazon no chinelo

Produtos baratos

O boom de Pinduoduo é atribuído, em parte, aos laços com seu investidor, a Tencent — que também é um dos apoiadores da JD — que permite que ela venda via aplicativo lite da WeChat e toque na vasta rede social da gigante. O Alibaba, por outro lado, está há anos impedido de vender através do WeChat.

Em termos de vendas, a Pinduoduo ainda permanece algumas milhas atrás da JD, que se concentra em itens caros como eletrodomésticos e tem como alvo os consumidores urbanos e abastados da China. O Pinduoduo adotou uma postura mais rural e construiu uma reputação de vender produtos ultra-baratos a consumidores de pequenas cidades.

Em 2018, Pinduoduo acumulou 471,6 bilhões de yuans (US$ 68,6 bilhões) em volume de mercadorias brutas, um termo um pouco problemático para medir as vendas, pois totaliza o valor dos pedidos feitos, independentemente de serem realmente vendidos, entregues ou devolvidos. (O Alibaba parou de revelar os dados há alguns anos.) O volume da JD foi quase quatro vezes a do Pinduoduo em 1,68 trilhão de yuans (US $ 243,9 bilhões) no ano passado.

É preciso ter em mente que a JD é uma empresa de 21 anos nascida fora da era do PC, enquanto a Pinduoduo está em operação por menos de quatro anos. O crescimento contínuo da startup é inegável. Em um relatório de março, o banco de investimentos Evidence Lab do UBS previu que Pinduoduo poderia ultrapassar o JD na GMV em 2021.

Falsificações

Mas a história de Pinduoduo não é todas as rosas. Atualmente negociado a US$ 20,54, suas ações despencaram cerca de 35% desde a alta de março. O mercado on-line também foi repreendido por vender produtos falsificados e inferiores, um problema endêmico que há muito tempo prejudica o comércio eletrônico chinês. Este ano, o Pinduoduo foi colocado na lista negra “notória” do governo dos EUA, juntamente com a rival Alibaba, por vender falsificações, enquanto a empresa afirma que está trabalhando ativamente para erradicar listagens problemáticas.

Com informações do TechCrunch

Leia também: Como a Rússia alavancou seu e-commerce em três anos com mudança na legislação

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER