Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Pesquisa da Forrester em parceria com o E-Commerce Brasil revela dados do e-commerce

Quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Uma pesquisa realizada pela Forrester em parceria com o  E-Commerce Brasil entre os meses de Agosto e Setembro deste ano revela dados inéditos sobre o varejo online brasileiro. O objetivo da pesquisa (Retail eCommerce In Brazil: Key Metrics) foi entender melhor os indicadores de performance (KPIs) no Brasil, bem como as prioridades dos lojistas, principais desafios, o tamanho e a composição de suas equipes.

Foram realizadas mais de 300 entrevistas, cujos resultados foram distribuídos em três publicações. A primeira parte da pesquisa, Retail eCommerce In Brazil: Key Metrics mostra resultados surpreendentes sobre diferentes métricas de performance (KPIs) do e-commerce,  como as taxas de conversão, ticket médio, taxas de devolução e as vendas realizadas através de smartphones e tablets. A pesquisa analisa os dados de acordo com o modelo de negócio (varejo online, varejo tradicional e empresas de venda direta), assim como a receita total dos varejistas online e tempo de vida das empresas.

Confira abaixo alguns resultados:

A taxa média de conversão no Brasil é de 1.9%. No Brasil, as taxas de conversão variam de acordo com o segmento do varejista; lojistas que atuam apenas no online possuem as maiores taxas de conversão. Essas taxas tendem a crescer com a evolução do mercado: de acordo com a pesquisa The State Of Retailing Online 2014: Key Metrics & Iniciatives realizada anteriormente pela Forrester em conjunto com o Shop.Org, a média de conversão de vendas nos Estados Unidos é de 2.7%.

Smartphones representam 7% das vendas online, mas tablets não ficam muito atrás. A pesquisa revelou que 7% do total de vendas dos varejistas brasileiros são realizadas via smartphones – e o mais interessante é que os tablets já representam quase a mesma porcentagem dos smartphones. “Os dados contrapõem a tendência de assumir que as vendas mobile são quase inteiramente atribuídas aos smartphones nos mercados  emergentes do e-commerce e abrem novas oportunidades no Brasil que não devem ser ignoradas”, disse a vice-presidente e diretora de pesquisas da Forrester Research, Zia Wigder.

Taxas de devolução são baixas, mas devem aumentar. As taxas totais de devolução de produtos no Brasil são de 4%, um número bastante atraente para players de fora do Brasil que estão acostumados a altas taxas como as dos Estados Unidos e Europa (segundo a pesquisa da Forrester com o Shop.Org a porcentagem de produtos devolvidos nos EUA era de 12%). De fato, no Brasil a cultura de devolução de produtos comprados via internet ainda é bem menor. “As taxas de devolução podem aumentar com o tempo, conforme os varejistas ampliem e promovam suas políticas de devolução”, finalizou Zia.

A pesquisa será apresentada em São Paulo no dia 11 de novembro pela vice-presidente e diretora de pesquisas na Forrester Research, Zia Wigder.

Fonte: Forrester Research

Deixe seu comentário

5 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.