Redação E-Commerce Brasil

Panorama mostra em quais aplicativos o brasileiro quer gastar seu dinheiro

Quinta-feira, 30 de maio de 2019   Tempo de leitura: 8 minutos

O Panorama Mobile Commerce, realizado pela Mobile Time em parceria com a Opinion Box, mostrou que, além de estar atrelado às classes a aos hábitos sociais, o consumo mobile no Brasil dita tendências de quais e como os aplicativos terão sucesso. De forma geral, a relação dos produtos mais comprados e dos sites e aplicativos preferidos mostram que lazer, usabilidade e interação com as redes sociais estão em alta este ano.

A pesquisa revelou que, para o usuário, o fator mais relevante em comprar por um aplicativo é poder retirar a compra na loja física. Citados como fatores relevantes estão também a navegação gratuita, e a possibilidade de fazer compras personalizadas.

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

 

Além disso, o levantamento aponta que roupas são os principais itens comprados no mobile, seguido por eletrodomésticos e alimentos.

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

Quais são os aplicativos preferidos?

O panorama mostra que os aplicativos mais citados são grandes marketplaces, com destaque para o Mercado Livre, com 41% das preferências, maior valor já registrado para um m-commerce em cinco anos de pesquisa. Na sequência, destacam-se Americanas.com, iFood e Magazine Luiza, que registraram bom desempenho entre os consumidores.

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

WhatsApp e Facebook Messenger: o cliente compra nas redes sociais

Parte relevante do estudo envolve a maneira como os aplicativos são usados para o comércio móvel mesmo quando essa não é sua finalidade original. Redes sociais, como o WhatsApp e o Facebook Messenger são usados geralmente para a contratação de serviços de profissionais autônomos e até para pequenas encomendas.

Neste contexto, 61% dos entrevistados afirmaram já terem encomendado algum produto por esses meios. É possível perceber uma preferência de acordo com a classe econômica: 62% dos respondentes que usam o WhatsApp para efetuar uma compra são da classe C, D e E; 52% são das classes A e B.

Mulheres são maioria das consumidoras pelo aplicativo de mensagem: 66%. A região que mais usa a ferramenta é a Norte (77%).

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.
Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

O WhatsApp também é muito utilizado para serviços de estética, como manicure, pedicure, cabeleireiro e maquiagem. Muitos profissionais da área usam a ferramenta para fazer agendamentos e manter contato com os clientes.

O consumidor aprova o aplicativo, já que 52% dos que usam serviços desse tipo diz agendá-los via WhatsApp. 6% dos consumidores também usam o Facebook Messenger para essa finalidade. No total, 14% dos brasileiros já usaram o aplicativo de mensagens para agendar serviços estéticos.

 

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.
Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

Bicicletas e patinetes elétricos: o mobile nas ruas

São Paulo e Rio de Janeiro já convivem há alguns anos com a possibilidade de alugar bicicletas compartilhadas por bancos por intermédio de um aplicativo. Os terminais da mais popular, a bicicleta laranja do Itaú, podem ser encontrados em pontos específicos do centros urbanos.

O aluguel desse tipo de ferramenta tornou-se ainda mais popular com a chegada, em 2018, de outras empresas dispostas a apostar no uso coletivo das bikes. É o caso da Yellow e da Grin, que apostaram, respectivamente, em bicicletas e patinetes elétricos. Ambos podem ser desbloqueados por aplicativo mediante pagamento. O diferencial de ambas é não precisar devolver o aluguel em um terminal, mas deixá-lo em algum lugar público depois de usar. O GPS e o próximo usuário com o aplicativo cuidam do resto.

Somente 7% dos respondentes em todo o Brasil já alugaram bicicletas via aplicativo. Dos que alugaram os patinetes elétricos, somente 2%. Entre as classes também há grande diferença: 10% dos que afirmaram já terem usado são das classes A e B e somente 6% são das classes C, D e E. Na região Sudeste, onde há maior oferta desse serviço, 8% dos entrevistados alegaram ter usado as bicicletas via aplicativo.

Aplicativos de corrida ganham destaque

As últimas edições da pesquisa registrou o Uber como o aplicativo de corridas mais popular entre os brasileiros. A edição de 2019, no entanto, mostra que o rival 99, mesmo abaixo do Uber, aproxima-se rapidamente do topo e ganha uma fatia maior como aplicativo de corrida preferido pelo usuário.

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

A pesquisa também mostra que cresce o número de consumidores que usam aplicativos de corrida para solicitar um taxi (ou serviço equivalente). De 2018 para 2019, houve aumento de 7 pontos percentuais.

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

Bateu uma fome?

O hábito de “pedir” comida é comum para os brasileiros. Há alguns anos, aplicativos de comida como iFood e Uber Eats comprovam que os consumidores aprovam a facilidade e gostam de comprar alimentos via app. Hoje, 58% dos entrevistados disseram pedir comida dessa forma.

O iFood é mostrado pela pesquisa como o aplicativo de preferido de 70% dos entrevistados.
Além disso, 9% dos consumidores afirmaram preferir o WhatsApp para comprar alimentos.

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

Nas horas vagas: aplicativos de entretenimento e viagem

Com essa edição da pesquisa foi possível perceber uma fragmentação da preferência do usuário ao escolher um aplicativo para comprar ingressos de cinema. Em março de 2017, 45% dos consumidores preferiam o Ingresso.com. Hoje, no entanto, os usuários buscam outros aplicativos para fazer compras.

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

Para os que preferem viajar, a disputa fica entre Booking.com, Trivago e Airbnb. O Booking.com ainda é o preferido de 28% dos consumidores, mas é possível notar uma ascensão na preferência pelo Airbnb (15%).

Fonte: Panorama Mobile Time/ Opinion Box – Comércio móvel no Brasil – abril de 2019.

Por Júlia Rondinelli, da Redação do E-Commerce Brasil8

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.