Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Pagar.me enxerga cenário de 2019 com otimismo

Quinta-feira, 20 de dezembro de 2018   Tempo de leitura: 2 minutos

Um novo ano está quase chegando e trará com ele novas expectativas, objetivos a serem alcançados, metas a serem cumpridas, além de uma infinidade de questionamentos sobre o que 2019 proporcionará para ultrapassar os resultados que estão sendo alcançados em 2018. Contudo, mesmo que haja dúvidas sobre o que nos aguarda, se as coisas caminharem para os mesmos rumos dos resultados que obtivemos neste ano, as expectativas para o ano que se aproxima são bem promissoras.

Impulsionado por eventos como a Copa do Mundo e o Dia dos Namorados, 2018 conquistou resultados significativos para o e-commerce no primeiro semestre, obtendo um faturamento de R$ 23,6 bilhões e alta de 12,1% se comparado ao mesmo período de 2017, segundo o estudo Webshoppers, realizado pela Ebit desde 2001.

Para se ter uma ideia, o e-commerce brasileiro está passando por uma grande expansão já não é de hoje, fazendo com que ano após ano os números entregues sejam cada vez mais animadores. Isso é uma realidade tão perceptível, que os avanços apenas reforçam o que foi apontado pelo estudo da consultoria Bain & Company, que em sua projeção diz que o comércio eletrônico poderá crescer 11% ao ano no país até 2019, atingindo um faturamento expressivo de U$ 16 bilhões.

Indo um pouco mais a fundo, de acordo com um estudo realizado pela PwC, a frequência com que os brasileiros efetuam compras na internet tem aumentado bastante com o passar dos anos. Antes, há uns quatro anos, a parcela de consumidores que compravam online regularmente, pelo menos uma vez por mês, era de 58%, número que aumentou consideravelmente em 2018, subindo para 65%.

Esse valor se torna ainda mais relevante quando aborda os jovens de 16 a 22 anos, visto que 75% deles realizam compras pela internet, principalmente em lojas virtuais de marca própria, como o Submarino, Americanas, Ponto Frio etc., e marketplaces, como o Mercado Livre, OLX, Amazon, dentre outros.

O que esperar de 2019: crescimento, consolidação e expansão

Segundo estudo do Banco BTG, o varejo online deve crescer em torno de 17,3% em 2019; porém, a maior parte desse crescimento virá dos grandes marketplaces, ou seja, cada vez mais os pequenos e médios lojistas se valerão da presença online dos grandes varejistas para realizarem suas vendas. Além disso, o movimento de omnichannel também deverá tendenciar boa parte do crescimento, e a presença de vendas online dentro de lojas físicas deverá crescer bastante, reduzindo o custo de estoque dos varejistas.

Olhando para o cenário de expansão/digitalização, indústrias tradicionais, como a de telecomunicações, vêm se movimentando com o intuito de não perderem tanto espaço para serviços como Netflix e Spotify, e por isso estão começando a oferecer serviços online.

Além dessas indústrias, temos uma digitalização de ambientes essencialmente físicos, como é o caso dos restaurantes por quilo, que estão passando a aceitar wallets como meios de pagamento, resolvendo parte do problema das enormes filas na hora de fechar a conta.

Por fim, existe uma tendência interessante que é a visão de meios de pagamento como forma de monetização, ou seja, diversas startups ou empresas de serviço veem uma grande oportunidade de rentabilização de seu negócio através do meio de pagamento, como é o caso de LaPag, Sambatech e Blueticket, que oferecem uma plataforma de serviço já acoplada ao pagamento e estão tendo bastante sucesso em suas estratégias.

Com base no que foi mencionado até aqui, acreditamos que a tendência para o cenário de vendas online em 2019 é de crescimento e consolidação do varejo, além de expansão para novos mercados. Isso apenas reforça o quanto o comércio eletrônico tem grandes chances de obter resultados significativos em suas vendas, desde que aqueles que fazem parte dele se adaptem aos avanços e tendências do varejo online para 2019 com o intuito de continuarem competitivos.

Para que isso aconteça, é preciso que os grandes, médios e pequenos empreendedores que atuam no comércio eletrônico pensem em novas alternativas para se adaptar à realidade do consumidor. Este, por sua vez, está cada vez mais exigente e sabe exatamente aquilo que está buscando, fazendo com que seja necessário que o e-commerce se adapte e se molde ao que as pessoas desejam.

Para finalizar, vale a pena reforçar que 2018 está sendo um ano muito bom para o varejo online. Isso é perceptível não apenas quando pensamos em grandes lojas online, mas abrange até mesmo as pequenas lojas que possuem seu espaço em sites de revenda.

Então, as chances para que 2019 ultrapasse os resultados obtidos neste ano são reais e possíveis de serem alcançadas por todos os que atuam no comércio eletrônico, basta que cada um busque evoluir e aproveitar as tecnologias oferecidas para que avance com mais assertividade.

E você, consegue enxergar um cenário otimista para o e-commerce em 2019? Em sua opinião, quais são os principais pontos a serem observados pelos que atuam nesse setor caso queiram ultrapassar os resultados que estão conquistando em 2018?

Compartilhe seu ponto de vista ao deixar seu comentário abaixo ou converse diretamente conosco através de nosso site e mídias sociais.

João Misko, Head of Solutions – Pagar.ME

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.