Logo E-Commerce Brasil

Panorama do Open Finance: quais são as oportunidades para empresas?

Por: Redação E-Commerce Brasil

Equipe de jornalismo E-Commerce Brasil

Nos últimos dois anos, a agenda de inovações do setor financeiro foi intensa. Depois da abertura do sistema bancário, com o Open Banking, chegamos a um capítulo que promete um leque de serviços ainda mais abrangentes, conhecido como Open Finance.

Além da democratização, essa nova era do sistema financeiro vai ao encontro de uma demanda cada vez mais urgente para os usuários: o controle sobre seus próprios dados.

Se, até aqui, as mudanças trazidas pelo Open Finance foram sutis, agora a tendência é que elas se aprofundem ainda mais, alterando as dinâmicas de um setor tão tradicional.

Diante das profundas transformações, empresas de diferentes segmentos e portes precisam estar preparadas. Afinal, há inúmeras oportunidades para empresas que entram no sistema financeiro aberto.

Então, que tal entender mais sobre o panorama do Open Finance e os impactos nos negócios? Continue a leitura do conteúdo a seguir. 

Como funciona o Open Finance?

Parte da agenda de inovações do Banco Central (BACEN), o Open Finance (sistema financeiro aberto, em português) é uma evolução do Open Banking. 

O conceito – criado para substituir o Open Banking –, tem como objetivo ampliar os a inovação e os tipos de dados que podem ser compartilhados entre instituições financeiras e usuários, padronizando-os por meio de APIs (Application Programming Interface).

Como o próprio nome sugere, ele engloba os serviços financeiros de forma geral, como:

    Assim como ocorreu no Open Banking, o compartilhamento de dados entre usuários e instituições só é feito com o consentimento explícito do usuário, e pode ser interrompido a qualquer momento pelos consumidores.

    Afinal, qual é a diferença entre Open Banking e Open Finance?

    Como mencionamos acima, o Open Finance é uma evolução natural do Open Banking. 

    Enquanto o Open Banking abrange apenas os bancos, o Open Finance promove a abertura do sistema financeiro como um todo.

    Dessa forma, é possível garantir uma maior descentralização financeira, padronizar as informações e garantir a democratização do acesso aos serviços.

    Quais são as vantagens do Open Finance?

    Os dados são ativos extremamente valiosos no contexto digital. 

    Não à toa, desde 2020, a Lei Geral de Proteção de Dados atua na conscientização da população acerca da importância da privacidade e da proteção de dados, o que, é claro, impacta as estratégias das empresas que não estão em conformidade com a lei.

    Diante disso, consumidores têm exigido mais transparência e controle em relação às próprias informações.

    Agora, com a disrupção trazida pelo Open Finance, os usuários podem ter um maior empoderamento, decidindo se, com quem e como desejam compartilhar os dados.

    Ao optarem por fazer parte do sistema financeiro aberto, consumidores e empresas ganham vantagens, como:

      Ao longo deste artigo, entendemos o funcionamento do Open Finance, as suas vantagens e as expectativas para o mercado financeiro brasileiro.

      Mas quais são os impactos dessas mudanças para as empresas? E quais são as oportunidades que podem surgir ao longo do caminho?

      Para ficar por dentro das dinâmicas e se preparar, baixe o seu Panorama do Open Finance para empresas, conheça os big numbers do projeto e descubra quais são as novas possibilidades de negócios que despontam no horizonte com a implementação do sistema financeiro aberto.