Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

No Dia das Mães, 45% dos consumidores farão menos compras

Quinta-feira, 05 de maio de 2022   Tempo de leitura: 4 minutos

O Dia das Mães está chegando e o Pulso, plataforma de monitoramento de mercado da Score Retail, traz as expectativas dos brasileiros nas datas mais importantes do varejo. A data é apontada como um momento simbólico de união das famílias. Isso porque, ao perguntar como será comemorada, 33% responderam “vou para casa da minha mãe ou sogra”; 18% “receberei minha família em casa”, e apenas 9% informaram que vão a um restaurante com a família.

Compras online

Para os que optaram pelas compras online, 41% optam por Site de varejo totalmente digitais (como Mercadolivre, Submarino, Amazon, Shopee, etc), 28% preferem o site da marca do produto/serviço, 27% optam por sites de redes de varejo (Americanas, FastShop, Renner, Marisa, etc), 8% citaram os sites de pequenos lojistas, 4%, redes sociais, 3%, site de supermercados/hiper, 2%, app de delivery, 20% ainda não decidiram.

Pensando no almoço que as famílias costumam preparar para celebrar a ocasião, ao citarem apenas um tipo de alimento que não pode faltar na mesa, as respostas dividem opiniões:

  • Carne e lasagna receberam 12% dos votos, cada;
  • Churrasco 10%;
  • Massa 9%;
  • Macarrão 8%;
  • Salada, arroz, maionese 7%, cada;
  • Sobremesa, peixe, feijão 2%, cada.

Leia também: Spotify é o primeiro streaming de música a ter presença no Roblox

Dia das Mães
A pesquisa foi feita por abordagem digital com 1.133 entrevistas no período 25 e 26 de abril em nove cidades. O resultado apresenta 2,9% de margem de erro.

Bolsos apertados

Para quem pensa em gastar com compras ou apenas com as tradições familiares, o bolso, para grande parte dos consumidores, está falando mais alto que as datas comemorativas. O mesmo comportamento pode ser notado na pesquisa feita sobre as expectativas da Páscoa.

  • 45% estão mais apertados e, por isso, farão menos compras;
  • 24% consideram estar da mesma forma que nos anos anteriores, nada mudou;
  • 22% estão mais apertados, mas vão manter a tradição de família;
  • 7% se consideram em melhor situação, mas vão manter os hábitos familiares;
  • 1% está melhor e vai aproveitar para gastar um pouco mais.

“O consumidor enfrentará um ano de contenção de gastos em todas as datas do varejo. Ainda se tem muito resquício da pandemia e é um ano de incertezas. As marcas precisam se engajar naquilo que pode fazer diferença de forma mais simples, como ativações com entretenimento e soluções para os momentos de família, como os almoços que vimos que serão a principal alternativa de celebração da data”, analisa Ana Letycia, Head de planejamento da Score Retail.

Ranking de segmentos

Ao que mais interessa para o varejo, os segmentos dos presentes foram ranqueados em:

  • Vestuário: 66%;
  • Calçados: 38%;
  • Perfumes: 36%;
  • Bolsa e acessórios: 26%;
  • Comestível: 18%;
  • Beleza e maquiagem: 17%;
  • Joalheria: 17%;
  • Artesanato: 16%;
  • Eletrônicos: 10%
  • Utilidades domésticas: 9%;
  • Decoração: 9%;
  • Viagem (passagem/estadia): 8%;
  • Eletrodomésticos: 6%;
  • Digital (video, áudio): 3%;
  • Assinatura de algo que goste: 3%.

Tíquete médio

E quanto o consumidor pensa em gastar, somando todos os presentes que irá comprar?

  • Até R$ 50: 13%;
  • R$ 51 a R$ 100: 25%;
  • R$ 101 a R$ 150: 19%;
  • R$ 151 a R$ 250: 14%;
  • R$ 251 a R$ 350: 5%;
  • R$ 351 a R$ 500: 4%;
  • Mais de R$ 500: 3%;
  • Não se aplica: 18%.

A loja física é a opção disparada na hora de comprar o presente, com 55% dos votos. A internet ficou com 31%, o formato pick-up com 2%, e outros 2% vão comprar ou fazer um presente.

Leia também: Amazon promete US$ 20 bilhões em exportações da Índia até 2025

Lojas físicas

Para quem busca realizar as compras do Dia das Mães em loja física, a expectativa ficou a seguinte: 35% em redes de varejo (Americanas, FastShop, Renner, Marisa, etc); 24% em loja de bairro/pequeno lojista; 22% loja da marca do produto; 3% super/hipermercado e 28% ainda não se decidiram.

“As compras online permanecem em alta, principalmente em datas especiais como o Dia das Mães, mas é importante notar como mais da metade da população optou por compras em lojas físicas. Esse é o reflexo da flexibilização da pandemia que permite aos brasileiros, novamente, irem às compras presenciais e escolherem os presentes. Em um ano de incertezas financeiras, ainda é possível observar que 45%, mesmo mais apertados vão fazer compras e os demais 55% vão manter as tradições familiares e isso também inclui a escolha de um presente ou investimento em um momento junto aos familiares”, afirma Ligia Mello, coordenadora da pesquisa e sócia da Hibou.

Metodologia

A pesquisa para o Dia das Mães foi feita por abordagem digital com 1.133 entrevistas no período 25 e 26 de abril em nove cidades. O resultado apresenta 2,9% de margem de erro.

Leia também: Shopee inaugura 2º escritório em SP

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER