Redação E-Commerce Brasil

Com 156 milhões de visitas em agosto, Importados apresenta expansão no e-commerce, aponta Conversion

Quinta-feira, 23 de setembro de 2021   Tempo de leitura: 4 minutos

Em agosto deste ano, o e-commerce registrou 1,76 bilhão de acessos, crescendo 1,1% no comparativo com o mês anterior, segundo dados do Relatório Setores do E-commerce no Brasil da agência Conversion. Neste cenário, uma categoria em específico tem se destacado cada vez mais: o setor de importados, que mostrou um crescimento de mais de 60% no número de acessos nos últimos 12 meses. Somente no último mês, o setor registrou 156 milhões de buscas.

O setor de importados foi impulsionado graças ao boom dos e-commerces asiáticos no Brasil. De acordo com o relatório, em agosto deste ano, a chinesa AliExpress e a cingapuriana Shopee somaram juntas mais de 67% de todo o tráfego (Share of Traffic) dos 18 sites analisados do setor.

Fonte: Conversion

“Em um cenário de restrições orçamentárias, de escassez de produtos e preocupações em relação às compras presenciais, os consumidores mostram maior inclinação a experimentar produtos de marcas importadas, incluindo as asiáticas, que, muitas vezes, apresentam preços bem atraentes aos olhos dos brasileiros”, explica Diego Ivo, CEO da Conversion.

De acordo com o executivo, preços menores, variedade de produtos, tecnologias avançadas, logística eficiente e soluções locais de pagamento são os principais pontos que justificam o crescimento exponencial do e-commerce asiático no Brasil. “Sem contar que a China, país que lidera esse tipo de crescimento, é o maior mercado digital do mundo”, destaca Ivo.

Qual o principal fator para compras de importados?

A Conversion realizou a pesquisa online com 400 brasileiros de todas as classes sociais e regiões do país, entre os dias 9 e 12 de setembro.

Segundo o levantamento, 80% dos entrevistados consideram o preço o principal fator de influência para as compras dos importados. Outros fatores são custo x benefício (46,75%) e custo de frete (39,50%). Para Diego Ivo, os consumidores tendem a escolher, entre as marcas que mais admiram, aquela que apresenta melhor preço, mas este não é o único parâmetro de comportamento de compra que deve ser levado em conta.

“Na corrida de quem oferece o preço mais baixo, o e-commerce asiático é páreo duro na disputa. Por isso, é importante que as varejistas online prestem atenção em outros parâmetros que os brasileiros levam em conta ao comprar um importado, como o tempo de entrega, um fator que o comércio online nacional pode levar grande vantagem”, diz o CEO da Conversion.

Para acessar o relatório completo, acesse: https://lp.conversion.com.br/relatorio-setores-ecommerce

Leia também: 10 anos em 12 meses: Flávio Rocha, CEO da Riachuelo, fala sobre a reinvenção do varejo de moda

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER