Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Mercado Pago quer ensinar educação financeira para empreendedoras

Terça-feira, 05 de abril de 2022   Tempo de leitura: 5 minutos

Braço financeiro do Mercado Livre, o Mercado Pago quer impulsionar o empreendedorismo feminino. Para tanto, a fintech vai oferecer um curso online gratuito de educação financeira para microempreendedoras, chamado de “Agora vai Mulher”. A proposta é capacitar 900 empreendedoras de todo o país.

Leia também: PicPay Store amplia parcerias e aumenta vendas em 111% em 2021

As aulas serão ministradas pelo WhatsApp e terão conteúdos voltados para a gestão financeira de pequenos negócios, como precificação, negociação e tecnologias digitais. O curso, desenvolvido em parceria com a Aliança Empreendedora, que capacita líderes femininas em situação de vulnerabilidade econômica, é voltado para microempreendedoras com faturamento mensal de até R$ 5 mil.

As microempreendedoras selecionadas para participar do programa serão capacitadas durante três semanas. Ao final, 100 delas poderão avançar para a etapa de aceleração e contar com um apoio personalizado da Aliança Empreendedora. As inscrições estão abertas até 29 de abril, no site da iniciativa.

Educação empreendedora das mulheres

Para Laura Motta, gerente de sustentabilidade do Mercado Livre, a educação financeira, no caso das mulheres, serve de caminho para a independência, melhorias na igualdade de gênero e também maior maturidade nos negócios. “O fortalecimento de empreendimentos liderados por mulheres potencializa a geração de renda. E, portanto, contribui para a autonomia e emancipação feminina, impactando também suas famílias e as comunidades onde estão inseridas”.

Leia também: E-commerce ajuda na ressocialização e garante renda a detentos em SP

Segundo a empresa, a iniciativa faz parte de um compromisso global do Mercado Pago em favor da educação empreendedora que pretende atingir 2,5 mil mulheres na América Latina, além de capacitar cerca de 3,9 mil jovens estudantes — 900 delas apenas no Brasil. A companhia também vai apoiar a educação financeira de mulheres empreendedoras na Argentina, Chile, Colômbia, México e Uruguai, em parceria com a Pro Mujer.

“Democratizar o acesso das pessoas aos serviços financeiros vai além da tecnologia e do crédito, significa oferecer conhecimento e ferramentas para que todos sejam capazes de gerir seus próprios recursos. Queremos ir além da inclusão financeira, estamos comprometidos com a educação e seremos um parceiro na jornada empreendedora dessas mulheres”, diz Gabriela Szprinc, head de pagamentos do Mercado Pago.

Segundo pesquisa, mulheres são donas de quase 40% dos micro e pequenos negócios

O Brasil está entre os 10 países com o maior número de mulheres empreendedoras, ocupando o 7º lugar no mundo, segundo dados Sebrae e da Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM). De acordo com uma pesquisa realizada pela vhsys, realizada no mês de fevereiro de 2022 com 822 pessoas, 39,9% disseram que atuam em empresas que têm mulheres como proprietárias delas.

No levantamento, apenas 33,2% dos negócios foram fundados por mulheres, enquanto 66,8% foram fundadas por homens. O centro-oeste e o Nordeste são as regiões que possuem maior concentração de mulheres como donas dos empreendimentos, com 44,3% e 42,6%, respectivamente. Esses dados são seguidos por Sul (40,8%), Sudeste (37,5%) e Norte (35,8%).

Questionados sobre o número de mulheres no quadro de colaboradores, 40,9% responderam que a presença feminina chega a até 10% na empresa; apenas 22,7% afirmaram que a presença delas ultrapassa a marca de 50%. Além disso, 27,4% dos entrevistados disseram que sua empresa possui até 10% delas em cargos de liderança; 16,1% possuem até 50% delas no quadro de gestores e, somente 17,6% disseram que há mais de 50% de mulheres entre seus gestores. Já 28,3% afirmaram que não possuem mulheres em posições de liderança.

Número de mulheres por setor

De acordo com dados do levantamento, o segmento do Comércio é o que possui mais mulheres proprietárias de empresas, com 45,5%, seguido da Indústria com 32,6% e por último Serviços (31,9%). Também no setor de Comércio, 20,3% das empresas respondentes possuem mais de 50% de liderança feminina. Em Serviços, o percentual de negócios com mais de 50% de mulheres em cargos de gestão é de 15,1% e na Indústria é de 10,9%.

Por fim, a pesquisa buscou entender quais são, atualmente, os principais desafios enfrentados pelas mulheres no empreendedorismo. De forma ampla e aberta, respondentes descreveram que o preconceito, machismo, jornada dupla/tripla e a falta de respeito estão presentes no dia a dia das mulheres brasileiras no mercado de trabalho.

Quanto aos estudos separados por gêneros, o público masculino enxergar alguns desafios para o avanço das mulheres. São eles:

  • preconceito;
  • desigualdade de oportunidades/falta de oportunidade;
  • machismo;
  • e as mesmas questões das jornadas do empreendedorismo masculino.

Já as mulheres listaram:

  • preconceito;
  • sobrecarga/múltiplas jornadas (principalmente no que diz respeito a conciliar maternidade, tarefas domésticas e trabalho);
  • falta de respeito;
  • e machismo.

Fontes: Exame e vhsys

Leia também: Correios anuncia redução de prazo do Sedex em mais de 200 trechos no país

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER