Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Mercado Livre registra receita líquida recorde de US$ 2,2 bilhões no primeiro trimestre

Sexta-feira, 06 de maio de 2022   Tempo de leitura: 10 minutos

O Mercado Livre atingiu um novo recorde de receita total no primeiro trimestre de 2022, superando a performance do quarto trimestre do ano passado. A receita líquida alcançou US$ 2,2 bilhões no primeiro trimestre de 2022, crescimento de 63,1%, em dólar, e de 67,4% em moeda constante, na comparação com o mesmo período de 2021. O Brasil representa 55% da receita líquida total do Mercado Livre, tendo alcançado US$ 1,2 bilhão e crescimento de 54,8% em reais.

Leia também: ABComm estima crescimento de 13% nas vendas online no Dia das Mães

A receita líquida do negócio de commerce aumentou 40,2% em dólares na comparação anual, para US$ 1,3 bilhão. Esse número foi impulsionado pelos cerca de 40 milhões de compradores únicos no trimestre. Os consumidores se mantêm ativos, gerando crescimento na quantidade de itens por comprador em relação ao ano passado, mesmo com os efeitos da pandemia. Já a receita líquida de fintech cresceu 107,9% em dólares, chegando a US$ 971,1 milhões, ano contra ano. No primeiro trimestre, o Mercado Pago registrou quase 36 milhões de usuários ativos, alta de 31,1%, com crescimento em todos os mercados da região, sobretudo nos serviços de pagamento via carteira digital e usuários de crédito.

Commerce

O volume de vendas (GMV) do marketplace atingiu US$ 7,7 bilhões no primeiro trimestre, crescimento de 26,5%, em dólar, e de 31,6% em moeda constante. Ao todo, foram vendidos 266,7 milhões de itens, o que representa um crescimento de 20,1%. O volume total de anúncios registrados na plataforma chegou a 329 milhões. O Brasil se destaca na região com crescimento de 23,2% no GMV, em moeda constante, atingindo US$ 3,4 bilhões, e 137 milhões de itens vendidos no período — sendo 6,6 itens por comprador, o nível mais alto da média histórica para o primeiro trimestre.

Com o Mercado Envios, 254,3 milhões de itens foram enviados na região, aumento de 22,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram significativos os avanços na execução e velocidade do Mercado Envios, cuja penetração atingiu 98,4% de toda operação, acima dos 96,6% registrados no mesmo trimestre de 2021. Desse total, mais de 90,5% corresponde à rede gerenciada do Mercado Livre — sendo 40% dos envios via modelo fulfillment. Do volume geral de mercadorias, cerca de 80% foi entregue em até 48 horas e cerca de 54% no mesmo dia ou no dia seguinte à compra.

Os serviços do ecossistema de commerce seguem em expansão. Isso ocorre sobretudo no Mercado Ads, que tem sido um destaque consistente em termos de crescimento e margem. A receita do negócio de publicidade digital quase dobrou no primeiro trimestre, ano contra ano, tendo investido consistentemente em tecnologia para ampliar a presença de anúncios no ecossistema.

Fintech

A carteira de crédito atingiu mais de US$ 2,4 bilhões — era US$ 1,7 bilhão ao final de 2021 —, apresentando crescimento lucrativo consistente, alinhado com nossas expectativas. No período, o Mercado Crédito concedeu mais de US$ 1,7 bilhão em créditos, quase o triplo do valor registrado no primeiro trimestre de 2021.

Leia também: Gucci passará a aceitar criptomoeda para pagamento nos EUA

Já o volume total de pagamentos (TPV) via Mercado Pago atingiu US$ 25,3 bilhões pela primeira vez, crescimento de 72,0%, em dólar, e de 81,2% em moeda constante. Já o volume total de transações (TPN) no período cresceu 73,2%, ano contra ano, superando cerca de 1,1 bilhão no primeiro trimestre, o segundo consecutivo.

O volume total de pagamentos via Mercado Pago, fora da plataforma do Mercado Livre, também continua crescendo, atingindo US$ 17,2 bilhões, crescimento de 103,2%, em dólar, e de 138,6% em moeda constante. Os pagamentos fora da plataforma do Mercado Livre estão crescendo muito no Brasil, onde avança também o número de novos vendedores, sobretudo devido às operações com Pix.

Pagamentos processados

O total de pagamentos processados pode ser dividido entre o volume total de cobranças processadas e o volume total de transações de contas digitais. O primeiro inclui cobranças na plataforma do Mercado Livre, cobranças online e cobranças processadas por meio das maquininhas de cartão Point e dispositivos QR, que totalizaram US$ 17,4 bilhões, crescendo 46,4% em dólar, ano contra ano, e 52,4% em moeda constante. No primeiro trimestre, foram vendidas mais 1,1 milhão de maquininhas, alta de 18,2% ano contra ano, com destaque para Brasil, Argentina e México.

No Brasil, ainda é notável o crescimento da base de vendedores que passaram a adotar dispositivos QR, sobretudo micro e pequenos empreendedores que já utilizavam maquininhas e adotaram também essa modalidade. Com isso, o volume total de pagamentos via código QR quadruplicou no trimestre, ano sobre ano.

O volume de transações por meio da carteira virtual, que inclui ainda transferências entre usuários do Mercado Pago, transações de cartão de crédito, débito e pré-pago, cresceu 178,5% em moeda constante, na comparação anual, totalizando quase US$ 8 bilhões.

Criptomoedas segue crescendo

Ao final de março, mais de 22,7 milhões de usuários contavam com fundos investidos no fundo, que reúne os usuários de conta digital com rendimento. O portfólio de produtos de poupança e investimentos mantém seu rápido crescimento, impulsionado pelo lançamento da carteira de criptomoedas ao final do ano passado. No Brasil, único país onde o serviço opera atualmente, a base de usuários da carteira de criptomoedas segue crescendo.

Leia também: Ebay e Etsy registram bons números, mas crise do ecommerce nos EUA cria previsão “fraca” neste trimestre

No período, foram distribuídas mais de 522 mil apólices de seguros, volume 6,0% maior do que aquele registrado no primeiro trimestre do ano passado, impulsionado pela maior penetração dos produtos na Argentina, Brasil e México. Por aqui, a distribuição de seguros para cartão e para pagamentos via Pix reforçam a oferta de seguros do Mercado Pago.

Desempenho financeiro

O lucro bruto do Mercado Livre foi de cerca de US$ 1,1 bilhão, aumento de 81,5% em dólares na comparação com o mesmo período do ano anterior. As margens brutas melhoraram ano a ano, com melhor alavancagem operacional sobre a base de custos. A receita operacional foi de US$ 139 milhões, crescimento de 53,5% em dólares, e o lucro líquido bateu os US$ 65 milhões.

A base geral de usuários únicos ativos do ecossistema atingiu 80,7 milhões ao final do trimestre, alta de 15,7% em comparação com o mesmo período de 2021 — sendo 6,7 milhões de novos usuários incorporados somente no primeiro trimestre deste ano.

Em linha com a estratégia e investimentos previstos para a América Latina, o Mercado Livre anunciou que mais de 14 mil novos colaboradores diretos serão incorporados à operação, em todo ecossistema de commerce e fintech. Com isso, o total de colaboradores vai saltar dos atuais 29 mil colaboradores — ao final de dezembro de 2021 — para mais de 44 mil até o final de 2022.

Mercado Livre vai contratar 4 mil novos profissionais em 2022

Com a expansão, o total de colaboradores vai saltar para mais de 16 mil ao final de 2022, aumento de 31% na comparação com 2021. As áreas de tecnologia, fintech e logística devem absorver a maior parte das vagas, abertas para diferentes posições e regiões do Brasil.

Modelo de trabalho

Recentemente, o Mercado Livre adotou o modelo de trabalho flexível para os colaboradores das áreas administrativas, garantindo satisfação e bem-estar, e estimulando ainda mais a criatividade. As equipes operacionais da companhia seguem trabalhando de forma presencial nos centros logísticos, que mantêm protocolos de segurança e saúde.

Hoje, o Mercado Livre tem mais de 19 mil pessoas que fazem parte de equipes que têm a possibilidade de trabalhar remotamente na América Latina. Ao mesmo tempo em que o trabalho remoto pode contribuir com a produtividade, o trabalho presencial gera maior conexão e transmissão da cultura. A flexibilidade, então, foi encarada pela companhia como a melhor forma de integrar o trabalho com a vida pessoal.

O Mercado Livre é reconhecido pela consultoria Great Place to Work como uma das melhores empresas para trabalhar no mundo, na América Latina e no Brasil. Por aqui, aliás, foi eleita no último ano como a melhor empresa para as mulheres. Informações sobre as vagas e os requisitos para cada posição podem ser encontrados no site da companhia.

Leia também: Pesquisa da Nielsen contribui para criar estratégias de vendas às mulheres

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER