Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Marketplace de nicho: tática de vender em lojas segmentadas pode aumentar vendas

Segunda-feira, 14 de outubro de 2019   Tempo de leitura: 7 minutos

Que marketplace é um local onde podem ser encontrados diversos comércios variados, quase todo mundo sabe. Porém, dependendo do seu tipo de negócio, trabalhar com marketplace de nicho, ou seja, plataformas voltadas para determinada área do varejo, pode ser bastante interessante. Jamil Amir Tanus, gerente de marketplace da Leroy Merlin, defende que a estratégia pode render maior visibilidade ao um público segmentado, aumentando a oportunidade de demonstrar os seus diferenciais.

Durante o Marketplace Conference, o executivo elencou as principais vantagens de se investir em um marketplace segmentado. “O marketplace de nicho é um segmento que tem crescido cada vez mais no mercado e tem conseguido dar aos lojistas uma melhor exposição dos seus itens com maiores possibilidades de venda”.

imagem de um homem mexendo em um table, representando transformação digital

Nicho é uma porção específica de um mercado, com necessidades e hábitos específicos com consumidores exigentes. Normalmente, é um segmento de público que não tem suas necessidades bem exploradas e mais propenso a compras por impulso.

“Essa segmentação de mercado costuma ser a chave para o sucesso dos negócios”, defende Tanus. “Não é para largar os outros canais, mas procurar um público específico é uma maneira de gerar mais vendas, pois vale a pena ampliar a validar novos canais de venda relevantes ao seu negócio o tempo todo”, afirma.

Ainda segundo o executivo, “quando o consumidor acessa um marketplace de nicho, ele sabe exatamente o que quer. Assim, as chances de finalizar a compra são maiores. Esse público tende a ser mais criterioso, bem informado e não se importa em pagar a mais pelo produto se for necessário”.

Mercado online brasileiro

De acordo com o executivo, o mercado brasileiro segue um padrão diferente do global, pois tem características do varejo físico enraizadas e regionalizadas. O Sudeste é a região com maior número de pedidos, mas há crescimento forte no Sul e no Nordeste. 

“Em mercados tão amplos como temos é praticamente impossível uma única empresas atender todos os momentos do seu cliente. Aqui, o online é entrelaçado ao físico. Temos vários players diferentes que performam de maneira diferente. Nos EUA, tem a Amazon, na China tem o Alibaba. No Brasil, temos a Via Varejo, a B2W, o Magazine Luiza, e eles não vendem apenas um segmento. Por isso, é interessante um nicho”, justifica.

“O nicho tem projeção de crescimento, como no caso da Amazon, que nasceu como marketplace de nicho. Ser nicho é ser referência da marca: Leroy Merlin (casa e decoração), Netshoes (calçados), Cobasi (artigos para pets), Dafiti (moda e calçados). Nessas lojas, o cliente procura por um produto específico”, complementa o executivo.

Seguem alguns dados do marketplace no Brasil, segundo Tanus:

  • Share em crescimento nas vendas online estimativa de 35% das vendas em 2019
  • Categorias com maior crescimento: casa e decoração, moda e saúde
  • Aumento de mais de 85% de lojas virtuais no último ano
  • 61% das empresas possuem e-commerce há menos de um ano
  • Frete é um fator decisivo na compra
  • Qualificação de atributos e de produtos tem se mostrado cada vez mais importante na conversão e para evitar problemas no pós-venda
  • É possível verificar qual loja virtual possui a estrutura mais adequada para atingir o seu público-alvo e retornar resultados positivos para a sua loja

Como isso melhora o meu negócio

No marketplace de nicho, o varejista consegue fazer vendas em volume, pois a venda para consumidores jurídicos é mais comum nesses canais, de acordo com o executivo. “Também aumenta a chande de venda combinada, pois o cliente pode comprar uma reforma para a cozinha dele, todo o projeto. Além disso, como o atendimento é focado em menos lojas, equipe tem proximidade maior, inclusive no pós-venda”.

Jamil Amir Tanus, durante o Marketplace Conference 2019

No entanto, o especialista ressalta que o varejista precisa se atentar a algumas questões ao entrar nesse tipo de negócio. “tem que tomar cuidado com o gerenciamento de estoque e escolher bem a gama de produtos que irá disponibilizar, pois a sua curva A pode ser diferente nesse canal”.

O marketplace de nicho tem algumas especificidades, segundo o especialista:

  • A categorização desses canais é bem específica. Por exemplo, mesa de jardim. A categorização específica para seu produto, facilitando que o cliente o encontre
  • Reconhecimento da marca
  • Referência na busca
  • Melhor exposição com maior possibilidade de negócios
  • Menor número de acesso, mas com compradores mais direcionados
  • Ticket médio maior
  • Omnicanalidade: maiores possibilidade de venda, não somente através do e-commerce, como app, televendas e loja física.

Leia também: Time campeão! Aprenda estratégias de jogo para se dar bem em marketplace

Por Dinalva Fernandes, da redação do E-Commerce Brasil

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.