Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Para 60% dos brasileiros, marcas usam questões sociais apenas para vender mais

Quarta-feira, 09 de outubro de 2019   Tempo de leitura: 4 minutos

Os consumidores de hoje querem que as marcas gerem impacto positivo na sociedade, e estão atentos para identificar quando uma empresa está apenas tentando seduzir o público com muita conversa e nenhuma ação. Para 60% dos brasileiros, marcas usam questões sociais apenas para vender mais, segundo pesquisa In Brands WeTrust 2019.

A pesquisa, realizada pela agência global de relações públicas Edelman e divulgada pela revista Exame, mostra que 91% dos consumidores brasileiros classificam como “essencial” ou “fator decisivo” confiar que a marca “fará o que é certo”, bem acima da média mundial, de 81%. No Brasil, a condição perde apenas para qualidade (92%) e custo-benefício (92%) do produto no ranking das principais considerações feitas pelo consumidor.

O relatório investigou a confiança dos consumidores nas marcas em oito países – Brasil, China, França, Alemanha, Índia, Japão, Reino Unido e EUA –, a partir de entrevistas online com 16 mil pessoas (2 mil por país) e de pesquisa via celular com 8 mil pessoas (mil por país), entre os meses de abril e maio de 2019.

Responsabilidade das marcas

Se, por um lado, a expectativa dos consumidores tem aumentado, eles também estão mais atentos ao que as marcas dizem fazer: 63% dos brasileiros acreditam que toda marca tem a responsabilidade de se envolver em pelo menos uma questão social, mas apenas 23% afirmam ter experiência pessoal de que elas levam em conta os interesses da sociedade.

A percepção generalizada é a de que as marcas prometem mais do que cumprem: para seis em cada dez brasileiros, as marcas usam questões sociais como manobra de marketing para vender mais. Só 36% dos entrevistados confiam na maioria das marcas que consome.

De acordo com o In Brands WeTrust, o consumidor brasileiro que confia em uma marca há muito tempo tem mais chance de comprar novos produtos (58%) do que o que não confia completamente nela (23%).

Fidelidade

O consumidor que confia na marca também tem mais probabilidade de permanecer fiel à ela (63% contra 25%), de defendê-la (60% versus 23%) e de apoiá-la (51% contra 20%). Quando a marca é confiável nos três segmentos (produto, experiência de compra e impacto social), a porcentagem de consumidores que comprarão pela primeira vez, permanecerão leais, defenderão e apoiarão (72%) é mais alta do que a de consumidores que compram confiando apenas no produto (52%), uma diferença de 20 pontos.

Outro benefício de uma marca ser percebida como confiável é a atenção do consumidor às peças de comunicação. Em um cenário onde 77% dos brasileiros evitam a publicidade, o estudo mostra que, entre os que confiam na marca há muito tempo, 88% vão prestar atenção em seus anúncios e demais comunicações.

Leia também: E-commerce de doação: saiba como funciona a solidariedade digital

Com informações da Exame

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.