Redação E-Commerce Brasil

Mais da metade dos boletos gerados na Black Friday não foi paga, aponta MundiPagg

Terça-feira, 12 de dezembro de 2017   Tempo de leitura: 3 minutos

Na tentativa de agilizar o recebimento das vendas realizadas na data mais esperada do e-commerce brasileiro, as lojas virtuais não tiveram muita aderência com as vendas por boleto bancário durante o final de semana da Black Friday, que aconteceu entre 24 e 27 de novembro. De acordo com a MundiPagg, empresa responsável por 40% das transações do comércio eletrônico nacional, 54% dos documentos gerados nessas datas ainda não haviam sido pagos até 4 de dezembro, exatos dez dias após a fatídica sexta-feira.

O boleto bancário é uma aposta dos lojistas para incentivar as vendas à vista com desconto e, por consequência, adiantar o recebimento das vendas para o dia seguinte ao seu pagamento, diferentemente de uma venda por cartão de crédito, que tem a primeira parcela repassada após 30 dias. Além do alto índice de desistência do pagamento, o volume de vendas por boleto não teve apelo suficiente, representando apenas 5% de todos os pedidos gerados.

“As desistências são mais frequentes nesse meio de pagamento porque muitas pessoas optam por pagar os boletos no banco, ocasionando um intervalo de tempo suficiente para a reflexão de quem comprou por impulso”, explica João Barcellos, CEO da MundiPagg. Além disso, o executivo ressalta que o índice de documentos não pagos pode diminuir após 30 dias, já que algumas lojas estenderam a data de vencimento.

Cartões têm alto índice de conversão

Se o pagamento por código de barras está cada vez mais em desuso pelo consumidor, o dinheiro de plástico está cada vez mais relevante para compras nas lojas virtuais. Ainda de acordo com a MundiPagg, 90% das compras por cartões de crédito foram aprovadas no período. As outras 10% foram negadaspor diferentes motivos, entre eles, saldo insuficiente. “Muitos consumidores ainda não sabem que o limite disponível do cartão deve contemplar o valor total da compra e não apenas da parcela mensal”, explica Barcellos.

De modo geral, houve aumento de 20,5% no número de pedidos realizados, com tíquete médio de R$ 500. A MundiPagg registrou, ainda, o processamento de mais de 2,4 mil pedidos por minuto nos horários de pico, número 11% maior em relação a 2016, e 100 mil pedidos por hora, alta de 27% na comparação com o ano passado.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.