Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Lojas virtuais tendem a procurar por transportadoras privadas, indica pesquisa

Quarta-feira, 07 de fevereiro de 2018   Tempo de leitura: 2 minutos

A terceira Pesquisa Logística no E-commerce Brasileiro, feita pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), apontou um crescimento pela procura de transportadoras privadas por parte das lojas virtuais.

Apesar de 80,9% dos empreendedores ainda usarem os Correios como forma de entrega para os seus produtos, a porcentagem correspondia a 93% das entregas em 2013. Paralelamente, a preferência por transportadoras privadas aumentou consideravelmente: de 35% em 2013 para 52,8% em 2017.

A pesquisa, feita com o apoio da Brazil Panels e da ComSchool, contou com 544 questionários online em setembro de 2017 e apontou também dados sobre a armazenagem dos produtos da empresa e condições de estoque, levando em consideração o porte de cada empresa.

Com relação à armazenagem, 86,1% dos respondentes alegaram ter um lugar próprio, enquanto 5,7% fazem uso de alguma empresa terceirizada para tal, sendo que 8,2% fazem uso alternado de ambos os tipos.

Dos entrevistados, 16,8% fazem uma parcela de sua armazenagem através do modelo de compartilhamento com fornecedores por consignação ou dropshipping e somente 8,6% tem a totalidade de seu catálogo compartilhado.

A pesquisa levou em consideração que existem 22 mil lojas ativas na web no Brasil atualmente e fazem parte da amostra empresas de varejo de bens de consumo de portes variados.

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.