Redação E-Commerce Brasil

Lojas virtuais alcançam quase 20 bi de acessos no país em 2020, revela pesquisa

Segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021   Tempo de leitura: 4 minutos

As maiores lojas virtuais no Brasil atingiram a marca de quase 20 bilhões de acessos de consumidores ao longo de 2020, ano em que se intensificou a migração dos clientes do varejo físico para as vendas online. Os dados constam do Relatório Setores do E-commerce no Brasil, da consultoria Conversion.

O levantamento traz uma análise dos 200 maiores sites de vendas (no total, 217 lojas) e 15 setores que compõem o cenário do e-commerce nacional.

Segundo o relatório, dos 15 setores analisados, 13 tiveram aumento de visitas entre o início e o final do ano, como Farmácia & Saúde (64,10%), Pet (73,20%), Comidas & Bebidas (91,20%) e Moda & Acessórios (82,10%). As categorias de Turismo e Infantil tiveram queda de 27% e 11%, respectivamente.

Em 2020, o comércio eletrônico teve um incremento de 34% nas visitas totais, impulsionado principalmente pelo aumento em Varejo (39%) e Moda e Acessórios (82%). De acordo com o estudo, maio foi o mês que mais alavancou o crescimento dos acessos mensais e se tornou um marco do novo patamar do e-commerce nacional. O varejo ampliado deteve 52% dos acessos no online, seguido por Moda e Acessórios, que ampliou seu market share em 36%.

“Enquanto as lojas de rua e shopping centers estão reabrindo gradativa e intermitente no Brasil, o e-commerce não para de crescer e mudou para sempre o hábito de compras do consumidor. Prova disso é que, mesmo com a reabertura do varejo físico, o comércio eletrônico tem registrado recordes constantes, consolidando-se como o principal canal de vendas no país”, comenta Diego Ivo, CEO da Conversion.

Maio com mais visitas

Pelo mapeamento da Conversion, o segundo semestre de 2020 foi o período de maior visita dos consumidores às lojas virtuais, com crescimento de 24% em relação aos seis meses anteriores.

O comércio eletrônico registrou em janeiro deste ano 1,77 bilhão de acessos, o que marca um aumento de 25% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Já com relação a dezembro de 2020, o e-commerce teve queda de 6,86%.

Dos 15 setores analisados, dez tiveram aumento de mais de 20% no YoY (Year over Year), como Farmácia & Saúde (90,42%), Pet (75,38%), Comidas & Bebidas (74,07%) e Casa & Móveis (61,21%). Turismo teve queda de 25,26% comparado ao ano anterior, porém, segue em recuperação com aumento de 3% no MoM.

Farmácia & Saúde liderou o ranking de setor com maior crescimento (200%) no pós-pandemia (Janeiro de 2020 vs. Fevereiro de 2020) e também no comparativo anual. Shopee e Shein, da categoria importados, tiveram em janeiro os maiores crescimentos no YoY (2.100% e 922%) de todos os sites analisados. Mercado Livre, o maior site do segmento, perdeu 15% de market share no YoY, já a Amazon Brasil cresceu 30% no mesmo período.

“Neste mês, o canal de busca orgânica e paga foi o que mais contribuiu nas visitas, com participação de 59%, seguido pelo canal direto, 32%. A expectativa para os próximos meses é de um crescimento irrefreável nos acessos diários”, ressalta o CEO da Conversion.

O acesso ao estudo completo pode ser feito no endereço https://www.conversion.com.br/blog/relatorio-ecommerce-mensal/

Leia também: E-commerce brasileiro cresceu 75% em 2020, indica Mastercard SpendingPulse

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER